A Baixa recebe de novo a Mostra de Estátuas Vivas

Para o mortal comum é impossível passar mais de uns segundos a fazer de estátua sem ter comichões em todo o rosto e começar a agoirar a posição escolhida. Para estes artistas é profissão. A mostra de Estátuas Vivas está de regresso à Baixa da cidade de Coimbra e promete fazer as delícias de quem as visite.

Depois de um interregno em 2020, o festival volta em força este ano para a quarta edição esperando recuperar o sucesso das anteriores. No Sábado, 18 de setembro, as ruas e largos da Baixa conimbricense enchem-se destas instalações humanas de quietude.

A edição deste ano conta com quatro dezenas de artista confirmados que vão recriar personagens da cultura e história nacionais, como D. Afonso Henriques, D. Sancho I, Rainha Santa Isabel, o Guerreiro Árabe, um Poeta ou um Músico e os escritores Miguel Torga, Eça de Queirós e António Nobre.

Pelas ruas da cidade estarão também outras personagens conhecidas que fazem parte da tradição popular e do imaginário colectivo, como os Vendedores do Mercado, o Pescador, a Varina, o Camponês, a Tricana, os Camponeses Domingueiros, o Carteiro, o Vendedor de Castanhas, o Polícia Sinaleiro e o Cauteleiro.

Nesta edição também é de assinalar a participação de estátuas completamente novas à cidade como o caso das criações Força da Natureza, Saltimbanco, Homo Stressiens, Casal de Chocolate, Caixa de Música, Chapeleiro Louco, Peregrino, Vaso de Flores, Camponês, Três Estações (Primavera/Verão/Outono) e Partida. Esta última arrecadou o primeiro lugar num festival com 104 estátuas a concurso na Bélgica, o Statues en Marche, que teve lugar em 28 e 29 de agosto.

Então e qual será o percurso deste festival? O passeio une o Largo da Portagem à Praça 8 de Maio, estendendo-se a outras ruas, largos e praças do coração da cidade, como Rua da Sofia, Terreiro da Erva, Rua Direita, Largo do Poço, Largo da Freiria, Rua Eduardo Coelho, Rua das Padeiras, Largo do Paço do Conde, Rua Adelino Veiga, Igreja de S. Tiago, Rua Sargento Mor e o Largo das Escadas do Gato.

Haverá um QR code disponível que contém o mapa do circuito sugerido. Os visitantes podem circular livremente, no entanto, a organização sugere que se comece pela Praça 8 de Maio e termine na Rua Visconde da Luz.

Porque a pandemia ainda impõe cuidados, o  evento decorrerá no total cumprimento das regras das autoridades de saúde e de segurança de artistas e público.

Não percam esta iniciativa que expressa a contínua importância dada pela cidade à pluralidade de expressões artísticas. Tentem apanhar algum dos quarenta artistas a piscar os olhos, garantimos que não será fácil!

Artigo Patrocinado
Fotos: Câmara Municipal de Coimbra

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.