Se gostam de combinações perfeitas neste restaurante têm várias tentações

Com a tarde a pedir uma refeição tranquila na Baixa de Coimbra, escolhemos o aconchegante Sete Restaurante, arrumado na Rua Dr. Martins de Carvalho, mesmo junto à Igreja de Santa Cruz e café com o mesmo nome. Atropelado pela pandemia, o espaço que abriu em 2017 no rés-do-chão de dois edifícios do século XIX e foi remodelado no início de 2020, esteve necessariamente encerrado ao longo dos dois confinamentos.

Casa de 3 representantes da nova geração de cozinheiros, sommeliers e chefes de sala que regressaram à cidade - Dionísio Ferreira, Paulo Pechorro e Pedro Patusco -, o Sete investiu num upgrade da área técnica e em trazer maior conforto e luz ao espaço onde a comida há muito tempo já dava que falar.  

Fez-se um refresh no menu com 7 entradas, 7 pratos principais, 7 tentações para continuar e vinhos temos muitos mais, conta Pedro Santos, o chefe sommelier que nos recebe com um profissionalismo que faz a diferença. Sentámo-nos perto da janela a apreciámos o espaço e a vista para a Praça 8 de Maio e o Panteão Nacional.

Foi uma remodelação total; por cima era tecto falso dos anos 80 que durante as obras se partiu para ficar à vista o original. Chamam a atenção umas portas envidraçadas. Eram de uma zona de provas de um alfaiate, foram encontradas no edifício, continua Pedro Santos. No sítio onde era a cozinha, foi criado um saguão. A nova cozinha é grande e bem equipada e as casas de banho são novas, em mármore. 

Sete

O chef Dionísio gosta muito do número 7, conta Pedro Santos. Este é o 7.º lugar onde trabalha, passou por sítios como a Quinta das Lágrimas, Michelins e outros projectos diferentes mas este é o primeiro pessoal, continua. No menu, há sugestões vegetarianas e sugestões de wine paring, ou seja, bebida a combinar. Os vinhos são pensados para a nossa carta; só se calhar bem com a comida é que estão aqui; há vinhos fantásticos mas se não encaixarem com a comida não vale a pena ter, explica o responsável pela carta.

Começámos pelos Ovos Escalfados com Ervilhas, Tomate e Chouriço de Arganil (5,90€). Depois pedimos o  delicioso Bacalhau com Crosta de Salsa, Esmagada de Batata Doce e Lombarda (15,90€) e quisemos provar o Salmão Corado em Ervas Aromáticas com Couscous de Tinta de Choco (13,80€), porque já nos tinham falado dele. Mas há muito mais a provar, do Chambão de Borrego em Vinho Tinto com Puré de Castanhas (15,90€) à Vazia de Novilho, Batata Recheada com Queijo Rabaçal (15,90€) ou Sardinhas Crocantes e o seu arroz com pimentos (13,60€). 

Vinhos

No Sete Restaurante, o ambiente é tranquilo, há música portuguesa a tocar de fundo e uma sensação de história e elegância no ar. Os vinhos são outra peça-chave, além dos pratos e da localização. Há imensos na carta, inclusive a copo e uma selecção de 7, ou seja, dos anos 2007, 1987 e outros. O ano 7 nos vinhos é icónico, são vinhos fantásticos, não há como, diz Pedro Santos.

O escanção explica que há uma selecção de vinhos mais antigos, de vinhos biológicos, vegan ou com pouco álcool. O espaço aposta em ter um pouco de tudo e não repetir muito produtores, tendo um ou dois vinhos de cada um e maioritariamente da Bairrada e Dão. Estando nesta região é o que faz sentido, continua o responsável. Também há uma selecção de espumantes mais cuidada, vinhos do Porto, Madeira, Colheitas Tardias, Abafados e Moscatel com referências de várias casas e vários estilos.  

Sobremesa

Por último, mas não menos importante: a sobremesa. Provámos a Panacotta de Baunilha e Molho de Manga (3,30€) e o Pudim Abade com Molho de Limão e Amêndoas Salgadas (4,70€), que Pedro Santos explicou que é uma receita da casa feita com calda de laranja misturado com a gema do ovo e azeite a substituir o toucinho como gordura. É na mesma intenso mas mais ligeiro do que o Abade Priscos. A acompanhar, um Madeira Rainwater Medium Dry (3,90€). Acaba por ser um meio seco, aqui queremos dar frescura, acidez e contrabalançar com a doçura do prato, remata Pedro Santos.

Ficamos com a sensação de cereja no topo do bolo e começamos a inventar na cabeça pretextos para voltar e trazer amigos, mesmo que só seja possível uns poucos de cada vez, devido à pandemia. Agora a zona mais charmosa da cidade pede um passeio para desmoer. O Sete reabre hoje, dia 7, às 7 da tarde. Está aberto todos os dias das 12h30 às 15h e das 19h00 às 22h30 (reservas: 239 060 065).

Texto e fotos: Filipa Queiroz

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Elizabete Geraldes
12.05.2021

Importante divulgação sobre Coimbra e Centro de Portugal.