O ZX Spectrum faz 39 anos e há um museu único sobre ele em Cantanhede

Se têm mais de 30 anos e nasceram ali por volta dos anos 70, é muito provável que saibam do que falamos. O ZX Spectrum, lançado a 23 de Abril de 1982, foi o primeiro computador pessoal de muitos e a revolução foi tal que há quem mantenha o objecto como um precioso tesouro ou até vai mais além. Muito além.

João Diogo Ramos, engenheiro informático, fundou nada mais nada menos do que aquele que será o único museu no mundo dedicado ao ZX Spectrum, bem no centro da cidade de Cantanhede e em parceria com o município onde reside. Por quê? Por paixão, por ter uma colecção enorme e por causa do praticamente desconhecido papel que muitos portugueses tiveram na construção dos computadores conhecidos mundialmente.  

O Sinclair ZX Spectrum foi lançado em Inglaterra em 1982, pela mão do empreendedor e inventor Clive Sinclair, o mesmo que desenvolveu, entre outras coisas, a primeira calculadora eletrónica de bolso do mundo.

Um dos mais influentes microcomputadores europeus de 8 bits durante essa década, sobretudo depois de ter começado a ser usado como plataforma de jogos, tem a particularidade de, apesar do sucesso, ter limitações de hardware que exigem um nível de criatividade bem particular. Desde logo, inicialmente funcionava com…cassetes. Sim, cassetes: o som era convertido em ‘zeros e uns’ que por sua vez davam origem à imagem e ao jogo, na explicação para totós.

Nostalgia

Vivíamos a um ritmo diferente, em que só havia uma televisão em casa, por isso tinhas de negociar quando querias jogar e não podia haver bola nem telenovela para ninguém, conta João Ramos junto ao Túnel do Tempo que, juntamente com o designer Mário Martins, concebeu para permitir aos visitantes uma imersão no ambiente da época em que jogava, na casa dos avós. Sou um dos que teve a sorte de aprender a programar um computador porque ele me obrigou a isso; tínhamos de rezar a todos os anjinhos para isto funcionar e muitas vezes não funcionava e tínhamos de perceber porquê, curiosidade que acabava por ser estimulante e levou a muitas carreiras na Tecnologia.

João Ramos é CEO da Retmarker, empresa tecnológica que nasceu como spin-off da Critical Software, sediada em Coimbra. Em Outubro, inaugurou o Museu Load ZX Spectrum na desactivada Escola Conde Ferreira, com o apoio da Câmara Municipal de Cantanhede.

Nostalgia

Vivíamos a um ritmo diferente, em que só havia uma televisão em casa, por isso tinhas de negociar quando querias jogar e não podia haver bola nem telenovela para ninguém, conta João Ramos junto ao Túnel do Tempo que, juntamente com o designer Mário Martins, concebeu para permitir aos visitantes uma imersão no ambiente da época em que jogava, na casa dos avós. Sou um dos que teve a sorte de aprender a programar um computador porque ele me obrigou a isso; tínhamos de rezar a todos os anjinhos para isto funcionar e muitas vezes não funcionava e tínhamos de perceber porquê, curiosidade que acabava por ser estimulante e levou a muitas carreiras na Tecnologia.

João Ramos é CEO da Retmarker, empresa tecnológica que nasceu como spin-off da Critical Software, sediada em Coimbra. Em Outubro, inaugurou o Museu Load ZX Spectrum na desactivada Escola Conde Ferreira, com o apoio da Câmara Municipal de Cantanhede.

Made in Portugal

A maioria dos objectos no Museu Load são de João Ramos, adquiridas no eBay, mas também há empréstimos. De acordo com o fundador, já por aqui passaram centenas de visitantes portugueses e de países como Inglaterra, Polónia, Turquia e Brasil. Não gosto que seja considerado um exercício de nostalgia mas acho que o que traz as pessoas cá é o regresso à infância; há quem diga que ganhou anos de vida!, atira.

Muito disto foi feito em Portugal, a empresa a certa altura precisou de um parceiro e a escolhida foi a Timex, com fábricas no mundo todo, inclusive na Costa da Caparica. Em Portugal, tiveram a inteligência de não só fabricar os computadores como montar um centro de engenharia, então foi aqui que se desenvolveram alguns modelos. Há coisas que foram desenvolvidas nos anos 80 por funcionários ligados a esta empresa e que ainda hoje afectam o que aqui está, continua João Ramos, apontando para o smartphone que tem na mão. É esse tributo que não quero que seja esquecido.

Load “” Enter

Para meter o jogo a correr  no ZX Spectrum, era preciso teclar a instrução Load “” seguida de Enter. As palavras estão na porta do espaço que nos carrega numa viagem por parte da História da Tecnologia, ainda em processo. A guiar esta homenagem aos objectos mas também às pessoas que os tornaram possíveis, há 250 códigos QR, que permitem aceder às descrições através do smartphone.

Do rádio mais pequeno da Grã Bretanha aos relógios de pulso electrónicos, televisões de bolso e calculadoras vencedoras de prémios de design até aos vários modelos, protótipos e interfaces, há muito para ver e apresentar, por exemplo, aos mais novos. Explicamos que a base de um computador é um cérebro, uma maneira de armazenar informação, uma maneira de dar ordens ao computador e uma maneira de ver o que é que ele está a fazer, do monitor à televisão e impressora, explica João Ramos, enquanto ouvimos como som de fundo os ruídos característicos de um Spectrum a funcionar.

Primeiro computador português

Como dissemos, no Museu Load ZX Spectrum também há lugar para a concorrência, como um dos 3 primeiros Macintosh, da Apple, com as assinaturas da equipa que o criou marcadas no aparelho, inclusive a do próprio Steve Jobs. Ao lado, o primeiro computador português, o ENER 1000, que começou a ser produzido pela empresa Enertrónica numa fábrica na Figueira da Foz e vendeu várias dezenas de unidades apesar de depois não ter vingado. Saído do Departamento de Electrotécnica da Universidade de Coimbra, também está lá o posterior UNIC e a foto de quem o desenvolveu, como o professor catedrático aposentado e investigador António Dias Figueiredo. Foi o meu orientador de estágio, tenho uma admiração enorme por ele e por isso foi o principal orador na inauguração do Museu, conta João Ramos. Convenci a universidade a emprestar-me isto, primeiro porque ninguém conhece e depois porque é da mesma altura. 

Game Over

Além de vídeos, carteiras da antiga escola com jogos que os visitantes podem experimentar, uma biblioteca com livros e DVD, uma parede forrada a cassetes pirata e uma bancada de uma antiga fábrica de relojoaria que serve de mini-oficina para fazer pequenas reparações, há uma cereja no topo do bolo no fim: um triciclo eléctrico lançado por Clive Sinclair, hoje com 81 anos. Só queria que ele dissesse obrigado pela homenagem, que soubesse que fizemos isto, porque acaba por ser a maior homenagem que foi feita ao trabalho dele, confessa João Ramos. 

Na calha, o engenheiro informático tem um livro sobre a Timex e, possivelmente, um documentário, além de merchandising do museu, já disponível online. Para já, se lá forem podem trazer como lembrança (gratuita) uma fanzine com códigos, semelhante às que havia na época. O Museu Load ZX Spectrum está aberto de 3ª a Sábado, das 10h às 13h e das 14h às 18h (excepto enquanto estiverem em vigor as restrições devido à pandemia, que fazem com que encerre à 13h ao Sábado). A entrada é gratuita.

Texto e fotos: Filipa Queiroz

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.