João d’Eça Lima serve conversas entre chefes de cozinha a la carte

As saudades são mútuas: eles têm saudades de cozinhar para nós e nós sentimos falta de comer nos seus espaços e deliciarmo-nos com as suas iguarias. Posto isto, depois de ter lançado uma série de workshops em Abril, neste novo confinamento provocado pela pandemia de Covid-19 o chef João d’Eça Lima, proprietário do restaurante Xisto, inventou outra forma de nos pôr em contacto e lançou um ciclo de Conversas de Cozinha com outros chefes portugueses e transmissão gratuita em directo no Facebook.

Quando nos fechámos em casa na primeira vez toda a gente quis partilhar tudo e mais alguma coisa e agora que as coisas estão um bocadinho mais apertadas, estamos mais preocupados com tudo, fechámo-nos mais e a ideia destas conversas foi reabrir esta partilha entre nós, partilha o chef com o primeiro convidado Nuno Manuel Diniz, esta quarta-feira, 3 de Fevereiro. Em 60 interessantes minutos, os profissionais trocam ideias sobre o presente, o passado e o futuro das nossas cozinhas e aquele que é um dos nossos maiores patrimónios: a gastronomia. 

As saudades são mútuas: eles têm saudades de cozinhar para nós e nós sentimos falta de comer nos seus espaços e deliciarmo-nos com as suas iguarias. Posto isto, depois de ter lançado uma série de workshops em Abril, neste novo confinamento provocado pela pandemia de Covid-19 o chef João d’Eça Lima, proprietário do restaurante Xisto, inventou outra forma de nos pôr em contacto e lançou um ciclo de Conversas de Cozinha com outros chefes portugueses e transmissão gratuita em directo no Facebook.

Quando nos fechámos em casa na primeira vez toda a gente quis partilhar tudo e mais alguma coisa e agora que as coisas estão um bocadinho mais apertadas, estamos mais preocupados com tudo, fechámo-nos mais e a ideia destas conversas foi reabrir esta partilha entre nós, partilha o chef com o primeiro convidado Nuno Manuel Diniz, esta quarta-feira, 3 de Fevereiro. Em 60 interessantes minutos, os profissionais trocam ideias sobre o presente, o passado e o futuro das nossas cozinhas e aquele que é um dos nossos maiores patrimónios: a gastronomia. 

Homem de convicções fortes, o chef, professor e proprietário do restaurante Revolução, em Lisboa, confessou que o que o diverte hoje em dia é ajudar a memória a sobreviver, quer de forma moderna quer de forma clássica, e atirou umas quantas reflexões directamente da aldeia perto de Montalegre onde está confinado, depois de ter optado por fechar o estabelecimento na capital.

O objectivo é reunir um conjunto de ideias que possam vir a ser ponto de partida para aquilo que nós vamos encontrar no futuro quer nos restaurantes, quer nas cozinhas, quer na formação que é necessária dar a todos os que querem enveredar por esta área, diz João d'Eça Lima. E as conversas são como as cerejas e os assuntos foram vários e abriram o apetite para os próximos encontros, com convidados como Noélia Jerónimo, Margarida Bessa Rego, Joe Best, Vítor Adão, Joao Cura Leonor De Sousa Bastos Francisco Siopa, Vitor de Oliveira, Lídia Brás, Miguel Cizeron, Raquel Dias Antunes e Guida Cândido.

João d’Eça Lima considera que este tempo de confinamento pode permitir a reflexão e por isso convidou pessoas com coisas bonitas para partilhar. Podem assistir a todas as conversas em directo todas as quartas, quintas e sábado, às 18h ou às 21h, ou em qualquer outra altura depois da transmissão uma vez que a gravação fica disponível na página de João d’Eça Lima no Facebook.

Como diz o chef beirão: que seja sempre o poder das ideias e das conversas aquilo que nos ajude a libertar deste correr dos dias. Pelo menos uma já saiu da primeira conversa, que foi o desafio de Nuno Manuel Diniz para cozinharem juntos, na casa cozinha dele ou na sua. Será que também vamos todos poder provar?

Texto: Filipa Queiroz
Foto: Louis Hansel/Unsplash

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.