Experimentámos comer no Papa e vamos regressar

Localizado junto à Rotunda do Papa, entre a Rua Castro Matoso e a Rua Alexandre Herculano, no Papa há opções para todos os gostos e feitios – e também para todos os bolsos: podemos gastar pouco ou muito, ninguém sai daqui com fome.

Aberto sem interrupções entre o meio-dia e a meia-noite, este restaurante passou a ser um destino ideal para um almoço ou jantar, um petisco a meio da tarde ou um after work acompanhado de dois dedos de conversa.

O Papa é uma churrasqueira nada convencional, pelas melhores razões possíveis: destacamos o ambiente cuidado, a decoração sóbria e também a dimensão. 

Aliás, em tempos de pandemia, esta característica é muito relevante: o Papa é amplo, com um pé direito de 6 metros, as mesas estão suficientemente distanciadas, está bem arejado e ventilado e é um local onde as pessoas se sentem seguras.

A cozinha funciona de forma a que os pratos demorem muito pouco. Não há demoras entre o pedido e a mesa, numa dança quase coreografada pelos funcionários que mostram um atendimento presente e atencioso. Durante a semana, ao almoço podem experimentar o menu diário que inclui couvert, uma entrada ou sopa, um prato principal (que podem escolher entre opções de peixe, de carne e vegetariana), bebida (água, refrigerante, cerveja ou um copo de vinho) e café – tudo por 9,5€.

Carta

Miguel Falcão e Pedro Gorgulho já tinham muita experiência no ramo, de outra churrasqueira de que também são proprietários. A inspiração da carta do Papa é, antes de mais, a grelha: o frango do churrasco, os secretos, a picanha, o bacalhau, o atum, etc.

O cardápio é complementado com propostas que andam de braço dado com esta aposta como os bifes, as tábuas, as tapas. Como o horário de funcionamento é contínuo, para lá dos momentos típicos de refeição, há sempre um petisco que se pode partilhar, uma cerveja que acompanha uma boa conversa a meio da tarde ou uma tapa que fecha o final de um dia de trabalho.

Tapas

Começámos com uma Morcela de Burgos com puré de maçã (6,5€) que, por si só, é razão para regressarmos. É um prato exclusivo da casa e que surgiu das idas a Andorra e das paragens em Burgos para a morcela. A mesa também se vestiu com um prato fresco de tataki de atum com abacate e uma dose generosa de chocos à Papa (8,5€), bem fritos e servidos com um molho feito à base da tinta do choco.

Mas havia mais, muito mais, por onde picar: batatas da casa (4,5€), pimentos padrón (4,5€), ovos rotos (5,5€), alheira de caça (6€), cogumelos portobello salteados (6€), polvo à galega (8,5€), presunto ibérico (9€), uma selecção de queijos e compotas (11€) e ainda um pica-pau do lombo (12€).

Há também sopas (de legumes, de peixe e a sopa do dia) e uma variedade de saladas: camponesa (6,5€), de queijo cabra, mel e frutos secos (8,5€), mozzarella caprese (9€) e salmão fumado com molho grego (10€).

Tábuas

O espaço é convidativo à partilha e continuámos a experiência gastronómica com uma tábua Campestre que conta com posta de alcatra, magret de pato, risotto de cogumelos e legumes da época (32€). Dependendo dos estômagos e do que se pede antes ou depois, a tábua pode chegar para 2 ou 4 pessoas e é uma mostra da identidade do restaurante: as carnes são exibidas sem artifícios nem molhos para que o sabor sobressaia a cada garfada.

Existem outras tábuas como a Montanha que inclui secretos de porco preto, posta de alcatra, cogumelos Portobello, queijo chèvre e batatas salteadas (30€) e a tábua Ibérica, entrecosto e secretos de porco preto, morcela de burgos, pimentos padrón, ovos rotos e legumes da época (32€).

Carnes e grelha

Os pratos principais enchem o olho: Magret de pato com molho de laranja e risotto de cogumelos (14€), Bife à portuguesa, Bife Portobello com azeite de trufa, Bife Gorgonzola ou o Bife Três Pimentas (todos entre 13,5 a 17€, dependendo do corte da carne).

E, claro, a grelha de onde sai um delicioso e suculento Frango de Churrasco (9,5€), Secretos ou Entrecosto de Porco Preto (12,5€), Picanha (14,5€), Posta de Alcatra (15,5€), Naco do Lombo (17,5€), Lombo de Bacalhau à Lagareiro (14,5€), Lombo de Atum (15€) e Polvo na Brasa (17,5€).

Massas e Risottos

Para quem preferir uma proposta diferente, o Papa oferece ainda escolha entre massas como o Penne Rigate com molho de tomate e parmesão (9€) ou com Pesto do Papa (9,5€) e risottos como o de Cogumelos Portobello (12€) ou de Camarão (13,5€).

Sobremesas

Se também forem gulosos como nós, guardem espaço para terminar a refeição numa nota doce. Sugerimos a Pannacotta de Iogurte com maracujá (3,5€) ou o Tiramisu de Frutos Vermelhos (4€).

Bebidas

Há alternativas para todos os bicos: vinhos das várias regiões portuguesas (verde, rosé, branco, tinto e fortificado), espumante, champanhe, cervejas especiais (de garrafa ou de pressão), sangrias e digestivos.

Pedro Gorgulho salientou a oferta variada cervejas e destacou a Inedit, uma cerveja muito gastronómica que está disponível à pressão.

 

Conteúdo Patrocinado pelo Restaurante PAPA 
FÁBRICA COOLECTIVA

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Benedito Clair
06.11.2020

Serviço completamente amador. É de evitar.