Coisas para fazer esta semana em Coimbra

A chuva chegou em força mas isso não quer dizer que não valha a pena molhar os pézinhos para ir ver coisas bonitas que se fazem pela cidade de Coimbra. A programação da Blue House continua, com várias propostas inclusive a Lado C: Conversas com Discos, feita em parceria com a Coolectiva que estreou no dia 19 de Outubro na nossa página no Facebook. A Casa da Esquina reabre as portas da sua Marquise e este é fim-de-semana de Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra e Festa de Cinema Francês.

A coreógrafa Vera Mantero e o construtor sonoro e cénico Jonathan Uliel Saldanha apresentam um espectáculo enigmático na Oficina Municipal do Teatro, há o lançamento do livro Diários do Corona na Livraria do Convento e exposições patentes em vários espaços da cidade, inclusive na Galeria Sete e no Átrio do Edifício de Ambulatório do IPO de Coimbra. Ficam com alguns destaques mas já sabem que encontram sempre tudo o que se passa na nossa Agenda.

3 Meses para o Futuro!

Blue House está a promover por toda a cidade de Coimbra conversas com artistas, concertos, showcases, DJ sets, cine-concertos e jantares musicais para nos embalarem até 2021 e mostrarem que a cultura está viva e recomenda-se. A agência e produtora local convida-nos para meia centena de encontros musicais em Outubro, Novembro e Dezembro, que envolvem mais de 200 profissionais da área e vários parceiros, entre eles a Coolectiva. Às segundas-feiras, a Coolectiva participa e transmite em directo no Facebook o Lado C: Conversas com Discos, na companhia de Rui Ferreira, editor, radialista e dono da loja de discos Lucky Lux, e Pedro Serra, músico e empresário. Na próxima segunda a convidada será Joana Corker, da banda Birds Are Indie, mas podem saiber mais sobre toda a programação, que inclui cine-concertos, showcases, concertos e jantares com artistas aqui
 
Quando, onde e quanto? Podem consultar aqui

Umbra, Bruno Lisboa e Ricardo Ladeira

A nova exposição do projecto de ilustração Marquise é o resultado de uma residência dos artistas Bruno Lisboa e Ricardo Ladeira e foca-se na cultura folclórica, rica em narrativas místicas que pertencem a um invulgar imaginário. Provenientes das artes plásticas e da ilustração, os artistas, entusiastas curiosos desse mundo fabuloso que faz parte da génese da cultura portuguesa, propõem mergulhar de forma criativa dentro de contos fazendo uma investigação e exploração gráfica dos mesmos, dando-lhes novo protagonismo e uma roupagem contemporânea com o intuito de homenagear a herança e continuar o ritual de passagem para as novas gerações, de maneira a que o legado não se perca.
 
Quando? 24 Out a 31 Dez 2020 às 3as, 5as e 6as das 14h às 18h, 4as das 14h às 17h30 e sábados por marcação através do email geral@casadaesquina.pt 
Onde? Casa da Esquina 
Quanto custa? Gratuito

Jazz ao Centro - Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra

São 12 concertos no Salão Brazil, Convento São Francisco, Teatro Académico de Gil Vicente, Museu Nacional Machado de Castro, Colégio da Graça / Liga dos Combatentes, Mosteiro de Santa Clara-a-Nova e Oficina Municipal do Teatro. O primeiro fim-de-semana é dedicado ao TriCoimbra: Luso-French Extravaganza, múltiplos cruzamentos dos franceses do Tricollectif, que reúne músicos que na grande maioria originários de Orleães, com músicos portugueses como Luís Vicente, Marcelo dos Reis, Luís Lopes, Mariana Dionísio, João Camões e Alvaro Rosso. 
 
Quando, onde e quanto custa? Programa
FacebookSite 

Esplendor e Dismorfia 

É o espectáculo de encerramento do Linha de Fuga 2020, em Coimbra. Um recital híbrido para dois corpos-paisagem animados pela respiração. Um aglomerado que se destrói e amplia, desastre e anti-desastre em que a aceleração, os fungos e a voz sobrevivem. Esplendores invisíveis. Híper-futuro e híper-passado. Entre a dismorfia, o sol e a carne. Nascida do feliz encontro colaborativo entre a coreógrafa e bailarina Vera Mantero e o construtor sonoro e cénico Jonathan Uliel Saldanha, esta obra particularmente enigmática, propõe-nos uma viagem a um outro espaço mental, um lugar de todos os monstros possíveis. 

Quando? 29 Out, às 21h30
Onde? Oficina Municipal de Teatro, Coimbra
Quanto custa? 5€ (reservas@oteatrao.com/239 714 013 / 912 511 302)

Sweet October, de Ana Bee

Exposição de fotografia que resulta de um projecto lançado inicialmente no Instagram, de vários auto-retratos, e que serviu como catarse para a autora ultrapassar medos e ansiedades decorrentes do diagnóstico oncológico. Segundo Ana Bee estender este projecto a outros doentes oncológicos em particular e ao público em geral decorreu do dever cívico que sentia para com todas as pessoas que como ela sofriam em silêncio. Na página de Facebook de Sweet October foi gerado um o movimento de empatia, que desafia todas as pessoas que sintam poder contribuir para esta causa a realizar o seu próprio exercício de empatia.

Quando? 13 Out a 6 Nov, 2020
Onde? Átrio do Edifício de Ambulatório do IPO de Coimbra
Quanto? Entrada gratuita mas de acesso reservado

177,26 Km de Pedro Valdez Cardoso

Dezanove esculturas de pequena dimensão que têm por base, e em comum, ninhos para aves em madeira, espalham-se pela galeria, cada uma com as suas circunstâncias e identidade: tubos, correntes, atacadores, tijelas, bananas, pão, latas, ossos, copos, cintos, garrafas, canecas, pedaços de madeira, cartão, corda, tampas de frascos, fruta…lê-se como uma lista das compras. Algumas coisas são comuns a todos, ou quase, outras nem por isso...(Excerto texto Eva Oddo Lisboa 29.09.20)

Quando? Até 28 Nov, 2020
Onde? Galeria Sete, Coimbra
Quanto? Entrada Gratuita

Diários do Corona, de Bruno Borges

Apresentação do livro Diários do Corona, com textos de Rosa Machado e Bruno Borges, design de Pedro Nora e publicado pela editora Fojo, em parceria com O Gorila. Quarenta entradas do diário desenhado do autor, agora compiladas em livro. Espelham quatro meses dos efeitos da pandemia de Covid-19 em Portugal, e o absurdo, medo e paranóia que a ela estão associados.

Quando? 24 Out, 2020
Onde? Bruaá Editora/ Livraria do Convento São Francisco
Quanto? Entrada Gratuita

21ª Festa do Cinema Francês

A Festa do Cinema Francês apresenta em Coimbra a pluralidade da produção cinematográfica francesa. O Teatro Académico de Gil Vicente e o Institut Français du Portugal, em parceria com a Alliance Française de Coimbra, acolhem de novo, o principal festival francófono realizado em Portugal, dedicado a uma das mais ricas e vivas cinematografias no mundo.

Quando? 21 a 24 Out, 2020
Quanto? 3,5€ (com descontos)

Texto: Filipa Queiroz
Fotos: Tiago Cerveira, Blue House, Jean Pascal Retel, Oficina Municipal de Teatro, Ana Bee Galeria Sete, Bruaá, Le Meilleur reste à venir (2019)

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.