Em Coimbra podem fazer de conta que são livreiros por um dia

São 9h30 e os passarinhos já estão mais do que acordados. O Exploratório Centro Ciência Viva de Coimbra recebe os primeiros visitantes e na Cafetaria Proteína preparam a esplanada para mais um belo dia de Verão no Parque Verde da cidade. Do outro lado da vitrine de uma pequena livraria que faz esquina, vêem-se dois grandes sorrisos.

Sofia Correia e Cátia Soares aparecem por detrás do balcão da Faz de Conto, cheio de envelopes, sacos, autocolantes, livros de todas as cores, tamanhos e feitios. Temos muitas encomendas para enviar, dispara a proprietária, mais conhecida como Livreira Sofia. É uma das coisas que vais fazer mas primeiro isto é para ti, diz, com um sorriso doce a combinar com o cabelo cor-de-rosa e o vestido às bolinhas, com botões divertidos. Nas mãos segura uma bolsa de pano da livraria, com o meu nome bordado e presentes dentro. Bem-vinda, dizem em uníssono. E assim parece. 

Há muita curiosidade neste início de experiência Faz de Conta Que Sou Livreiro Por Um Dia na acolhedora livraria independente, especializada em livros ilustrados e rodeada por natureza. Afinal, não viemos só para descobrir livros giros, viemos para perceber a visão de como gerir uma pequena empresa, conhecer melhor o mercado livreiro que hoje em dia passa por tantos desafios e a livreira, que mais parece uma espécie de rock star e que teve esta ideia pioneira de abrir as portas à experiência de umas mini-férias numa livraria em Portugal. 

Muitos leitores partilhavam comigo que o seu sonho era ter ou trabalhar numa livraria e que adoravam passar mais tempo na Faz de Conto, explica Sofia. Num ano em que as escolhas para as férias dos portugueses passarão mais pelo território nacional, temos a oportunidade de explorar melhor e de forma inovadora as nossas regiões, continua, antes de nos atirar a primeira missão. 

Receber as novidades

A primeira missão como livreira faz-de-conta, o nome dado a quem participa no programa de 1 ou 3 dias Faz de conta que sou livreiro, pode ser montar uma exposição. Aprender que os livros são colocados em pirâmide, do maior para o mais pequeno, virados para o olhar de quem circula na loja e seleccionados por temas, cores, gosto ou intuição. A opção foram livros relacionados com árvores, até porque não faltam na Faz de Conto. Sofia é engenheira ambiental de formação por isso as obras relacionadas com a Natureza e conservação da mesma abundam. Alguém bate à porta. Sofia e a Cátia dão um pulinho de alegria. É o carteiro, chegaram encomendas, é a melhor parte do dia!, confessam. Há que desempacotar as novidades e colocá-las junto aos outros livros que ainda têm de levar preço. Agora entram clientes. As atenções vão para eles, geralmente pais e filhos mas também adultos apaixonados por ilustração. Será que vão só ver e fazer perguntas ou levam alguma coisa? Batem à porta outra vez. É o contabilista. Menos entusiasmante, mas importante de saber que acontece e que Sofia tem as facturas e recibos prontinhos para lhe entregar.

Observar e aprender

Ouvimos e observamos com atenção: como é que se ajudam os clientes, onde é que estão os livros – ordenados por idade, editora ou nacionalidade -, qual a melhor forma de lhes pegar. Os pop-up, por exemplo, são dos mais frágeis. Um cliente leva…um livro sobre árvores, que tinha acabado de ser exposto! Missão cumprida. Percebe-se que tudo conta numa loja e que, quando há pouco movimento, dá para ler uns livros mas há muitas outras coisas para pensar e fazer como pensar em eventos, criar vitrines, fazer publicações nas redes sociais e tudo pode fazer parte desta experiência. Antes do almoço, deu para fazer uma das coisas que dá mais vontade: desenhar nos sacos e envelopes das encomendas. A Faz de Conto gosta de fazer a diferença por isso cada uma é preparada com (literalmente) muito carinho, recorrendo a carimbos, mensagens escritas e desenhos de estrelas e planetas. A ideia é que, mais do que um produto, os clientes recebam um mimo. O almoço é na Proteína, mesmo ao lado. Uma boa Sopa, Salada de Queijo e Hamburguer Vegetariano na esplanada, com um delicioso sumo de meloa, pêra e laranja a acompanhar. 

Mimos e dedicatórias

Durante o almoço, Sofia partilha experiências, como a de trabalhar numa livraria em Madrid e a ida à Feira do Livro Infantil de Bolonha, onde conheceu autores dos livros que tem na loja ou segue nas redes sociais. Cátia avisa que um cliente telefonou e é preciso reabrir às 14h em ponto para o receber. Explica que uma das coisas que caracteriza a Faz de Conto é a disponibilidade. O que não há na loja, dá para encomendar. Até às 17h preparam-se encomendas para levar aos Correios e atendem-se clientes, como o casal lisboeta que parou de propósito em Coimbra para visitar a livraria. Pedem uma dedicatória para o filho. Ele gosta tanto de a ver a contar histórias, atira à Livreira Sofia. Refere-se aos vídeos publicados no Facebook, inclusive durante a quarentena. Acabei por criar esta ‘persona’ porque vi que as pessoas interagiam mais nas redes sociais quando eu aparecia e gostam de chegar aqui e sentir que me conhecem, explica Sofia Correia. Já vamos na última encomenda e é especial: uma Primeira Biblioteca. Vai ser enviada para Angola. Depois, há buracos para tapar nas prateleiras, de livros que foram retirados e ouros para arrumar. A tarde termina e nem damos conta.

“Faz de conta que sou livreiro por um dia”

Para além do tempo passado na loja, a experiência de um dia de férias na Faz de Conto inclui o kit de boas-vindas (com um livro e outras surpresas), o almoço na Proteína Cafetaria para uma pessoa e uma visita à exposição temporária do Exploratório Bichos de Pata Articulada, Science Photo Gallery e espaço Sair da Casca. O preço é 49€ e está tudo explicado aqui, inclusive a inscrição.

Esta é uma experiência inovadora de turismo cultural e arranca com apenas algumas datas disponíveis em Agosto e Setembro, numa parceria que envolve o Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra, a Euvoo – Agência de Viagens e a Proteína Cafetaria. Não é voluntariado, formação, nem trabalho. São umas férias literárias para adultos, que podem desfrutar do tempo na livraria e na cidade como for mais desejável, diz Sofia. As nossas foram curtas, mas faz de conta.

Texto: Filipa Queiroz
Fotos: Filipa Queiroz, Sofia Correia

* Fizemos a experiência Faz de conta que sou livreiro por um dia a convite da Livraria Faz de Conto.

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.