Coimbra é casa da Colecção de Arte Contemporânea do Estado

Inaugurado no passado dia 4 de Julho (Dia da Cidade), o Centro de Arte Contemporânea de Coimbra (CACC) situa-se num edifício junto ao Arco da Almedina, na Baixa, e resulta de um trabalho conjunto entre a Câmara Municipal de Coimbra e o Ministério da Cultura.

As instalações definitivas do Centro serão, após profundas obras de requalificação e adaptação, a antiga sucursal da Manutenção Militar em Coimbra (cujo imóvel passou do Ministério da Defesa para Câmara de Coimbra em Maio de 2017), na Avenida Sá da Bandeira.

O r/c tem apenas um pequeno guiché de atendimento e um lance de escadas que nos estende um convite misterioso para o que se passa nos andares de cima. No primeiro piso, a sala acolhe-nos com um texto de enquadramento da exposição e dá-nos pistas para observarmos mais atentamente as obras escolhidas a dedo para este momento inaugural. Subimos outro lance de escadas e, no segundo piso, prendemo-nos a contemplar o traço inconfundível de Paula Rego, "vizinho" da obra Sismo de Julião Sarmento. No terceiro andar, encontramos Rui Chafes, Júlio Pomar, José de Guimarães, Maria Helena Vieira da Silva e Amadeo Souza Cardoso, entre outros.

Colecção

O CACC acolhe 193 obras da Colecção de Arte Contemporânea do Estado, que faziam parte da ex-colecção BPN. Não pensem que vão visitar todas as obras de uma só vez: a programação para o CACC passa por várias exposições autónomas, orientadas cada uma por um eixo de diálogo conceptual. Em cada exposição serão mostradas obras diferentes, agrupadas no mesmo conceito.

Estes eixos estarão, por sua vez, organizados sob um título geral que pretende atrair e consciencializar os visitantes sobre a importância e a novidade das grandes obras desta colecção. 

Exposição Corpo e Matéria

O programa curatorial, da responsabilidade de David Santos e José Maçãs de Carvalho, arranca com um ciclo de exposições que pretendem responder à pergunta De que é feita uma colecção?. A primeira resposta é Corpo e Matéria (conceitos com larga tradição na história da arte), uma exposição visitável até dia 31 de Janeiro, que pretende relacionar obras de pintura, escultura e fotografia que representam olhares diferentes a estes dois amplos conceitos.

Nos três pisos do CACC podem percorrer a exposição inaugural que conta com 27 obras e deixamo-vos o desafio de as explorarem para identificarem ou sentirem corpo e matéria. Nas salas do CACC encontram trabalhos de artistas como Allan Sekula, Amadeo Souza Cardoso, Ana Vidigal, Antoni Muntadas, Douglas Gordon, Helena Almeida, João Louro, João Loureiro, João Tabarra, John Baldessari, Julião Sarmento, Júlio Pomar, Maria Helena Vieira da Silva, Paula Rego ou Rui Chafes, entre outros.

Informações

Preço
3€ (com desconto para estudantes e séniores, famílias e grupos com mais de 10 elementos)

* Gratuito no 4º Sábado de cada mês, algumas efemérides, para escolas e crianças até aos 12 anos, portadores de cartão internacional International Council of Museums, cidadãos portadores de deficiência com cartão identificativo, guias turísticos, professores e auxiliares em acompanhamento de grupos escolares;

Localização e contactos
Largo do Arco de Almedina, 11 (Coimbra)
239 840 754 / centroartecontemporanea@cm-coimbra.pt

Horário de funcionamento
Terça a Sexta: 10h – 18h
Sábado, Domingo e feriado: 10h – 13h e 14h – 18h
(Encerra à segunda-feira)

Texto e fotos: Joana Pires Araújo

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.