Quando vão fazer a Grande Rota do Bussaco?

Se pretendem evitar grandes aglomerados de pessoas, os destinos mais adequados serão os que permitem que o isolamento social case com a descoberta e contacto com a natureza. Trazemos boas notícias: a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM Região de Coimbra ou CIM-RC) lançou os chamados Caminhos da Região de Coimbra, uma rede de trilhos pedestres com cerca de 700 quilómetros (km) de turismo de natureza.

Quando falamos na região de Coimbra, vem-nos à cabeça um conjunto de contrastes, desde a paisagem costeira à gandaresa, o verde do vale do Mondego e ainda a extensa mancha florestal até às serras. Cada rota é a oportunidade ideal para explorar os recursos naturais da Região e tem uma extensão, duração e nível de dificuldade diferentes. Estas 7 centenas de km de rotas municipais e intermunicipais estão devidamente sinalizadas com estruturas de informação e também de observação e de relação com a natureza.

Grande Rota do Bussaco

Este percurso linear desenvolve-se nos concelhos da Mealhada, Penacova e Mortágua. A rota tem um total de 56 km e é composta por 3 ramais distintos, cada um deles partindo ou terminando no mesmo local, a Mata Nacional do Bussaco:
. Troço Mealhada – Bussaco (extensão de 12 km);
. Troço Mortágua – Bussaco (com 21 km); e
. Troço Penacova – Bussaco (com 23 km).

Para o viajante, o culminar desta grande rota na Mata Nacional do Bussaco permite a descoberta de uma região em 3 perspectivas, dependendo do ramal que percorram.

Mata Nacional do Bussaco

É uma das matas nacionais mais ricas em património natural, arquitectónico e cultural, um verdadeiro oásis da Região Centro para os amantes do turismo de natureza. O local parece saído de um conto de fadas: 105 hectares a uma altitude de cerca de 550 metros e um microclima próprio, pela influência atlântica, e propício ao desenvolvimento de uma extraordinária diversidade florística e faunística. Aliás, a Mata Nacional do Bussaco possui uma das melhores colecções dendrológicas da Europa.

A Mata é densa e sabe a um mergulho num mar de verde composto por vegetação perenifólia tipicamente mediterrânica (na vertente sul) e vegetação caducifólia, típica de climas temperados (na vertente norte).

Para além do Arboreto, dos Jardins e Vale dos Fetos, Pinhal do Marquês e Floresta Relíquia, destacamos ainda o Palace Hotel do Bussaco (edifício do séc. XIX, de estilo neomanuelino), com o seu Jardim Novo, a Via Sacra, única no mundo, à escala de Jerusalém, com uma extensão de 3 km e composta por 20 passos (Prisão e Paixão de Cristo), o convento de Santa Cruz, o Museu Militar, o monumento comemorativo da Batalha do Bussaco, os miradouros, com destaque para a Cruz Alta (550m), entre outros.

Descobertas

Se a Mata Nacional do Bussaco é o epicentro dos 3 ramais desta grande rota, há muito mais para descobrir e explorar nesta zona da região de Coimbra. Falamos dos vinhos da Bairrada e as suas caves e adegas, onde se produzem os vinhos tintos, brancos e espumantes, o típico leitão assado e, ainda, a vila de Luso, conhecida pela sua estância termal e pelo consumo de água mineral. Os turistas são ainda convidados a percorrer estradões e aldeias que contam histórias e estórias da passagem das tropas napoleónicas pelo território, mas também a desfrutar das ricas flora e fauna proporcionadas pelas ribeiras que encontram ao longo do percurso.

Cuidados

. Sigam apenas pelos trilhos sinalizados;
. Respeitem a avifauna, não toquem nos ninhos, evitem ruídos e comportamentos que a perturbem e observem a fauna à distância, preferencialmente com binóculos;
. Não abandonem o lixo, coloquem-no num ponto de recolha;
. Não colham nem danifiquem a flora;
. Respeitar a propriedade privada;
. Evitem comportamentos que perturbem o ambiente local e não façam lume;
. Sejam afáveis com os habitantes locais.

Podem obter informações adicionais neste folheto.

Turismo de Natureza na região de Coimbra

São 9 as propostas apresentadas no separador do Turismo de Natureza da página da Região de Coimbra: 4 grandes rotas (Bussaco (56km), Alva (106km), Mondego (124km) e o Caminho Natural da Espiritualidade (67km), além de um conjunto de pequenos percursos (como a Rota das Salinas, a Rota do Calcário, a Rota Monumental das Aves de Montemor-o-Velho, o Percurso Pedestre Ribeirinho, e o Percurso Interpretativo da Livraria do Mondego) e ainda actividades de birdwatching (observação de aves) e sobre cogumelos.

Artigo Patrocinado

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.