Neste dia vamos ver concertos e dar uma mão aos profissionais das artes

De Albergaria-a-Velha a Torres Novas, passando por Aveiro, Leiria, Estarreja e Ovar, no dia 20 de Junho volta a ligar-se o som e a acenderem-se as luzes dos teatros municipais, depois de meses de silêncio e afastamento devido à pandemia de Covid-19.

Pelas 21h30, 21 artistas como António Zambujo, Diogo Piçarra, Clã, Agir, Ana Moura e Pedro Abrunhosa actuam em 21 teatros para celebrar o Regresso ao Futuro. A ideia é reafirmar a vocação decisiva dos teatros municipais para a sustentabilidade da cultura em Portugal, a sua importante contribuição para a circulação artística, agindo como um catalisador de esperança, resiliência e confiança para o público, sempre dentro das regras sanitárias em vigor. É, também, um acontecimento solidário que une e mobiliza não só os espaços como os artistas, as equipas técnicas, a organização da Sons em Trânsito e o público. 

Os bilhetes custam 10€, estão à venda nos locais habituais e nas bilheteiras dos teatros, e as receitas vão para o Fundo de Solidariedade para a Cultura, criado pela Audiogest (associação que representa produtores musicais) e GDA (Gestão dos Direitos dos Artistas), destinado a todos os profissionais dos sectores das artes. Tratar-se-á, não de um apoio à produção, mas de um verdadeiro auxílio solidário de emergência que procurará dar prioridade àqueles que têm maiores necessidades económicas, lê-se no manifesto da Sons em Trânsito.

O público também é convidado a levar alimentos não perecíveis para entrega nos teatros, que serão recolhidos e distribuídos pela União Audiovisual junto dos profissionais dos sectores das artes que se encontram em situação de maior vulnerabilidade alimentar. Vejam em baixo o cartaz com todos os artistas e teatros que integram a iniciativa.

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.