Mandámos vir indiano e descobrimos uma bela história

Naan de Alho e Queijo com Chamuça de Vegetais, para começar. Ambos literalmente de lamber os dedos, até porque se podem comer sem faca e garfo, como toda a comida indiana - foi pensada para comer usando o pão (naan) como talher e sempre, sempre, só com a mão direita. Na Índia, a mão esquerda é considerada impura, só serve para tocar e lavar coisas sujas.

Mas continuemos: a seguir abrimos as caixas com o Paneer Saag, as almôndegas de legumes Malai Kofta e o arroz basmati de cominhos. Antes de chegar à boca, já nariz e os olhos davam pulinhos de alegria e viajam até ao império das especiarias como o caril, açafrão, canela, cardamomo, coentros, cominhos, curcuma, erva-doce, pimenta e tantas outras. Em Junho, faz um ano que Coimbra ganhou um estabelecimento onde se pode almoçar e jantar comida indiana autêntica. Chama-se Italian Indian Palace e tem tido bastante sucesso, até enquanto esteve limitado às entregas ao domicílio, durante o período de confinamento obrigatório, por causa da pandemia de Covid-19.

Conversámos com o dono, Harry Singh, e descobrimos que foi a terceira casa que abriu na região. O primeiro restaurante fica em Viseu e inaugurou em 2014. Singh é indiano e contou-nos, ao telefone, que vivia no Reino Unido quando começou a vir passar férias a Portugal e se apaixonou pelo país. Primeiro esteve no Algarve, depois em Lisboa e no Porto mas foi Viseu que lhe arrebatou o coração e um dia o fez apanhar o avião com bilhete só de vinda. 

É um país muito simpático, gosto imenso do clima e das pessoas, diz. São fantásticas, muito hospitaleiras e prestáveis, continua a descrever, com um entusiasmo que comove. Falamos inglês mas só porque se sente mais confortável.

Gostei logo imenso de Viseu porque é uma cidade tão limpa e segura, continuou Harry Singh. Para trás, o empresário deixou o supermercado que tinha na cidade de Birmingham e a prática de hockey de campo. Cá só têm hockey em patins ou no gelo por isso agora fico só pela meditação, atira. Singh diz que a ideia do restaurante surgiu, antes de mais, por necessidade. Era muito difícil comer comida vegetariana e vegan, conta, explicando também que, para o negócio ser menos arriscado, colocou também na ementa 10% de oferta de comida italiana. Não sabia se as pessoas iam gostar mas felizmente fomos crescendo, muito graças ao boca-a-boca e às recomendações na Internet. As boas relações com fornecedores e outros colaboradores ajudaram.

As pizzas e as massas são a alternativa para quem não aprecia a especialidade da casa. Mas são poucos. Os portugueses adoram a nossa comida indiana, quase todos os nossos clientes são nacionais e dizem que vêm de outras localidades de propósito, gostam muito de experimentar. Em 2017, Singh abriu o segundo restaurante em Oliveira do Hospital seguido do de Coimbra, em Junho de 2019. Este é o que está a ter mais sucesso, as pessoas adoram e acho que há muitos vegetarianos cá.

Pratos e ingredientes 

Apesar de ser muito apreciado por quem não come carne nem peixe -  a Índia é o país com a maior taxa de vegetarianismo no mundo -, o frango e o borrego Tikka Massala são dos pratos mais procurados pelos portugueses. As lentilhas, o queijo indiano e os espinafres tiram muita gente de casa ou fazem-na pegar no telefone para fazer uma encomenda, e também há peixe e marisco. O Camarão Saag, por exemplo, é uma delícia. Se estão a pensar que não gostam de picante, saibam que podem escolher pouco ou mesmo sem picante. O arroz basmati acompanha e há vários à escolha, do Simples ao Especial, de Côco, Cogumelos, Ovo e de Cominhos.

Não usamos sabores artificiais, tentamos fazer tudo no nosso restaurante e quase não usamos ingredientes congelados; é tudo fresco e comprado localmente, excepto algumas coisas que mandamos vir da Índia ou o borrego, que é da Nova Zelândia, porque é mesmo muito bom, diz Harry Singh. Gosto de dar comida boa e saudável às pessoas, continua. Claro que precisamos de dinheiro, toda a gente precisa, mas para mim a prioridade é mesmo a qualidade. Se quiserem provar uma bebida típida, peçam o Lassi Manga e a vossa refeição de conforto fica completa. Os preços variam entre os 8,95€ e os 11,95€ por prato, mas há menus a 6,90€ com bebida e café.

Reabertura 

O chef do Italian India Palace e parte do pessoal é indiano mas também há funcionários portugueses. São tão simpáticos e honestos, isso é mesmo importante para mim, comenta o empresário. Durante toda esta crise da pandemia de Covid-19 temos tentado fazer o nosso caminho, não muito mas OK; conseguimos manter tudo a andar e só podemos esperar que tudo fique bem o mais brevemente possível, diz Harry Singh, assegurando que para ele a segurança é o mais importante. Aliás, é uma das coisas que mais valoriza no país que escolheu para viver. O Governo aqui cuida das pessoas e os cidadãos sentem-se protegidos. Neste momento só temos de cumprir o que nos é indicado, acho que é muito muito importante que as pessoas sigam as instruções, o dinheiro é importante mas não é o mais importante, remata. Como tantos outros estabelecimentos do país, os restaurantes Italian Indian Palace reabriram portas, tendo em conta todas as medidas de segurança da Organização Mundial de Saúde

Serviço

COIMBRA
Rua Carlos Seixas, nº 202, 3030-177 Coimbra
Podem pedir take away ou encomendar através das apps Uber, Glovo, Bring Eat ou ligando o 239704011/966026566

VISEU
Rua Dr. António José de Almeida, nº302/304, 3510-044 Viseu
Podem pedir take away ou encomendar através das apps Uber, Glovo, Bring Eat ou ligando para o nº 232469278 
Site | Facebook

OLIVEIRA DO HOSPITAL
Estrada Nacional 17, nº 19, 3400 Oliveira do Hospital
Podem pedir take away das 11:30 às 14:30 e 18:30 às 22h através dos números 238671053 /96602656
Facebook
 

Texto e fotos: Filipa Queiroz
Fotos: Italian Indian Palace

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.