Guia para um desconfinamento responsável

Muito se tem dito sobre o tão aguardado fim do estado de emergência e o borburinho nas ruas é já visível: circulam mais carros, há mais pessoas que circulam nos passeios, os supermercados estão mais concorridos.

Ao mesmo tempo que nos sentimos aliviados com a eficácia das medidas implementadas e do seu cumprimento generalizado pela população, também cresce algum receio sobre as consequências deste regresso à normalidade (possível). Apesar de enfrentarmos o desconhecido, a luta contra a pandemia também está nas nossas mãos e nas nossas atitudes do quotidiano.

Se Abril foi um mês importante, Maio é determinante. Com o desconfinamento progressivo temos responsabilidades acrescidas de seguir ainda de forma mais premente as indicações da Direcção-Geral de Saúde. Estas são palavras do Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, e várias outras vozes repetem que temos de aprender a conviver com o vírus mas como devemos viver os nossos dias de forma responsável e saudável?

Compilámos informação da DGS e fizemos um roteiro de medidas que todos podem adoptar para que, juntos, sejamos agentes da saúde pública. 

Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Medidas gerais de protecção:

#1 Manter, sempre que possível, uma distância superior a 2 metros das outras pessoas;
#2 Lavar as mãos com regularidade, com água e sabão ou solução à base de álcool, durante pelo menos 20 segundos;
#3 Tossir e espirrar para o braço ou para um lenço de papel, que deve ser deitado ao lixo de seguida, lavando as mãos depois;
#4 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos; 
#5 Evitar partilhar comida ou objectos pessoais (copos, telemóveis...);
#6 Confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigiância activa;
#7 Proibição de eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas (funerais com a presença de familiares e lotação máxima de 5 pessoas/100m2 em espaços fechados).


Uso de máscaras

A DGS recomenda o uso de máscara por todas as pessoas, independentemente da idade porque, apesar da maior taxa de mortalidade ser em idosos ou pessoas com doenças crónicas, os jovens podem ser transmissores da doença e afectar outros.

As máscaras não protegem as pessoas se não forem usadas correctamente e se não forem seguidas as regras de higienização das mãos, que não deixam de vigorar com o fim do estado de emergência. O uso de máscaras na comunidade não dispensa a adesão às regras de distanciamento social, de etiqueta respiratória, de higiene das mãos e a utilização de barreiras físicas.

Se quiserem saber como devem colocar e retirar as máscaras, vejam este vídeo da Direcção-Geral de Saúde.

Tipos de máscaras

- Respiradores (Filtering Face Piece ou FFP): equipamentos de protecção individual, habitualmente feitos de microfibra sintética, destinados aos profissionais de saúde;
- Máscaras cirúrgicas: dispositivos compostos por TNT (tecido não tecido) que previnem a transmissão de agentes infecciosos das pessoas que utilizam a máscara para as restantes;
- Máscaras não-cirúrgicas, comunitárias ou de uso social: dispositivos de diferentes materiais têxteis, destinados à população geral,  sendo necessária muita atenção às suas características distintas porque existem algumas de uso único e outras reutilizáveis. Os níveis de protecção variam consoante o material utilizado:
     - máscaras de tecido: quando feitas com várias camadas, reduzem a exposição das outras pessoas às gotículas expelidas por quem a está a utilizar mas a sua eficácia é reduzida e exigem que a distância social seja respeitada;
     - máscaras com filtro de carbono activado: populares contra a poluição, são eficazes na filtragem de pó mas não contra vírus. O nível de protecção que oferecem é inferior ao das máscaras cirúrgicas e o carbono activado aborve milhares de vezes o seu peso em toxinas;
     - máscaras de esponja: não têm qualquer eficácia e o seu uso é meramente estético já que não oferecem protecção;

Teletrabalho

Sempre que possível, e havendo acordo com a entidade empregadora, devem trabalhar a partir de casa e, desta forma, reduzir deslocações. Outra forma de organização do trabalho pode passar pelo teletrabalho parcial, com horários desfasados ou equipas em espelho.

Local de trabalho

Quando estamos a proteger um trabalhador, estamos a proteger todos. Assim, devem lavar as mãos à entrada e à saída do estabelecimento de trabalho, antes e depois das refeições, depois de actividades de grupo (como reuniões) e de idas à casa de banho. A DGS disponibilizou um manual de medidas de prevenção da COVID19 nas empresas e podem também ouvir este webinar da responsabilidade da Directora-Geral da Autoridade para as Condições no Trabalho.

Cultura e Desporto

A frequência de cinemas, teatros, auditórios e salas de espectáculos vai exigir lugares marcados, lotação reduzida e distanciamento físico.

A prática de desporto é possível sem utilização de balneários nem piscinas.

Escolas e equipamentos sociais

É obrigatório o uso de máscaras, excepto por crianças em creches e jardins de infância.

Transportes públicos

É obrigatório o uso de máscara.

Comércio e serviços

As lojas que reabrem vão funcionar a partir das 10h e é obrigatório o uso de máscara. Nos cabeleireiros e similares é necessária marcação prévia e o cumprimento de condições específicas. Nos restaurantes, a lotação é de 50% e o funcionamento até às 23h. Nos serviços públicos é também obrigatório o uso de máscara e o atendimento é realizado por marcação prévia.

O desconfinamento não equivale necessariamente a visitas diárias a supermercados, farmácias, lojas e outros serviços, basta planear uma lista de compras quinzenal ou semanal. Sempre que possível, podem recorrer a serviços de entrega ao domicílio e utilizar serviços telefónicos ou online para entrar em contacto com os serviços.

Informação fidedigna

Não só durante as semanas em que vigorou o estado de emergência mas em qualquer altura, é fundamental acompanhar fontes de informação fidedignas de instituições oficiais como a DGS, SNS, INEM.

A linha SNS24 é a porta de entrada para o cidadão esclarecer dúvidas e obter informação.

O plano de desconfinamento apresentado pelo Governo está disponível para consulta e passa pela reavaliação das decisões tomadas a cada 15 dias.

Texto: Joana Pires Araújo
Fotos: Banco de imagens (Francisco Surrador, Anna Auza)

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.