Esta pesquisa quer receber e partilhar as vossas ideias sobre Coimbra

A plataforma Mundus está a fazer um levantamento dos principais problemas da cidade de Coimbra a partir da perspectiva dos cidadãos e cidadãs. O meio de informação e reflexão alternativa e independente quer (re)pensar a cidade onde foi criado e por isso vai dedicar-lhe a próxima edição, número 12.

Queremos falar sobre a sua história, reflectir sobre os seus problemas e o seu futuro - sobre possibilidades de mudança, sobre horizontes utópicos de como a vida pode vir a ser, aqui, em Coimbra. Neste link podem ler mais sobre a iniciativa e preencher o formulário (que pode ser anónimo) com perguntas sobre a vossa percepção da cidade, em que áreas identificadas ou que queiram identificar estão os principais problemas, como é que eles vos afectam e que medidas tomariam se pudessem. 

A plataforma, que foi criada por estudantes, garante que os dados recolhidos serão usados exclusivamente na próxima edição do Mundus, sem fins comerciais e garantindo a anonimidade dos participantes. Mais do que falar sobre Coimbra, defende que é preciso ouvir quem a conhece, ou seja, quem vive, estuda e/ou trabalha na cidade, ou já o fez por algum período.

Têm até ao final de Maio para enviar o vosso contributo para o Mundus, que habitualmente aborda quer a realidade nacional quer a internacional, através de prismas diversos e dando espaço para perspectivas críticas. Tem edições impressas, um Patreon activo e está nas redes sociais InstagramFacebook. A cada trimestre, o jornal fica disponível em formato digital aqui.

Texto: Filipa Queiroz
Foto: Mundus

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Anabela lopes
23.08.2020

Visitei Coimbra a 23/08/2020. Confesso que tinha uma ideia muito positiva de coimbra. Fiquei desiludida. Tem Patrimonio rico e tao bonito mas nao souberam cuidar desse mesmo patrimonio (velho, jardim botanico sem brilho nas plantas, muito triste) nem organização em conseguir mais turismo.
Para se entrar e visitar esse mesmo patrimonio tinha que se pagar tudo, preços exorbitantes, incusive igrejas, cujo o pagamento deveria ser pedido ao nosso criterio, e não exigerem o pagamento de 1 euro ou 2.50. Não visitei porque o meu grupo era de 8 pessoas , era mto dinheiro. Enfim! Para ir a coimbra temos que levar um bolso cheio de dinheiro só para visitar as igrejas e mosteiros universidades. O que nos safou da ida a coimbra foi a visita aos museus nacionais que aos domingos e até as 14 horas nao se pagava. Fiquei muito triste. Já visitei muitas cidades do pais e nada disto me aconteceu. Está um coimbra triste com o patrimônio velho, decadente, triste e sem visitas porque há impedimento de ser visitada.
Sugiro que alterem isso, senão a cidade mais velha ficará, só teram estudantes e mais nada. Tudo se paga e muito caro.