Dia Mundial do Livro: pedimos a 7 leitores para nos contarem uma história

aqui demos muitas sugestões mas agora desafiámos leitores, em Coimbra, para nos lerem e recomendarem livros que têm um lugar especial na estante lá de casa, e assinalarem connosco o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor. 

Autores, actores, uma bióloga, um advogado e jovens que já são o que provavelmente vão ser a vida toda - apaixonadas por esses pequenos grandes objectos que nos acompanham, Pessoas, desde a Antiguidade.

Dom Quixote de la Mancha, Miguel de Cervantes

O poeta e ensaísta João Rasteiro recomenda-nos o grande marco e o nascimento do grande romance europeu - Dom Quixote de la Mancha (Ed. Dom Quixote), a imortal história do Cavaleiro da Triste Figura que, acompanhado pelo fiel escudeiro, Sancho Pança, avança por montes e vales, lutando contra moinhos de vento e cavaleiros imaginários em nome da justiça. O livro é de Miguel de Cervantes Saavedra e foi publicado no século XVII. No final do vídeo, João lê-nos um poema seu inédito sobre os dias obscuros que actualmente vivemos. 

O paraíso são os outros, Valter Hugo Mãe

A Violeta Carvalho tem 11 anos e escolheu partilhar connosco um dos livros favoritos que fala sobre o amor. O paraíso são os outros (Ed. Porto Editora) é uma história contada precisamente por uma menina que observa como são os casais, de pessoas e de animais, porque o amor a intriga e fascina. O livro é do escritor Valter Hugo Mãe, autor de vários romances traduzidos em muitas línguas e também poesia.

A Manta do José, Miguel Gouveia  

Cátia Soares é uma grande leitora e escolheu ler-nos A Manta do José (Bruaá), sobre o menino que quando nasceu recebeu do avô alfaiate uma bonita manta feita à mão. A história, ilustrada por Raquel Catalina, é adaptada da tradição judaica sobre a infância e a passagem do tempo, onde um cúmplice avô encontra sempre uma solução para que uma velha manta, que em tempos ofereceu ao seu neto, não desapareça. Miguel Gouveia são só escreve como conta histórias e criou a Bruaá Editora em 2008, a meias com a cara metade. 

Coimbra em Palavras, vários autores

Wagner Merije escolheu atirar-nos o poema Exilados, da própria autoria, que integra a colectânea Coimbra em Palavras (Ed. Aquarela Brasileira Livros). O livro reúne textos de 34 autoras e autores, de todos os continentes, que contam e narram experiências vividas e imaginadas na cidade. Merije é jornalista, poeta, escritor, editor, gestor cultural, educador, curador e criador múltiplo, envolvido com projectos multimédia ligados à educação, literatura, música, cinema/vídeo, fotografia, dança e teatro.

Eduardo Galeano, Daniil Harms e Mário Henrique-Leiria

Helena Faria e José Geraldo são contadores natos. Por isso não conseguiram ficar por um, entregaram-nos 4 lindas curtas histórias de Eduardo Galeano, Daniil Harms e Mário Henrique-Leiria. Levam-nos ao Jardim Zoológico que está no Ensina-me Como se Chama (Ed. Bruaá), do autor russo Daniil Harms, perseguido e impedido de publicar a não ser para revistas infantis. A Cegarrega para Crianças é do escritor surrealista Mário Henrique-Leiria e encontram-na no seu Contos do Gin-Tonic (Ed. Editorial Estampa). As últimas duas narrativas são de Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio com dezenas de livros publicados em diversos idiomas que combinam ficção, jornalismo, análise política e História. Os que a actriz e educadora lê com o encenador e também actor e professor encontram-nos no Caçador de Histórias (Ed. Antígona).

Parabéns Calvin & Hobbes, Bill Watterson

Desafiámos Cristina Rufino a escolher um favorito da estante e a bióloga não resistiu às divertidas tiras de Calvin & Hobbes. A edição em que pegou é comemorativa do 10º aniversário, da editora Gradiva. A série criada, escrita e ilustrada pelo autor norte-americano Bill Watterson retrata as aventuras e a amizade de um menino cheio de personalidade e do seu tigre de peluche. Estão traduzidas em mais de 40 línguas. Entre outras coisas, Cristina já acompanhou imensos miúdos, como Calvin, e graúdos, em visitas ao Museu da Ciência da Universidade de Coimbra.

Caviar é uma Ova, Gregório Duvivier

João Coelho é advogado mas devora livros e adora contar - e muitas vezes inventar - as próprias narrativas. Escolheu recomendar-nos o livro Caviar é Uma Ova (Ed. Tinta da China), de Gregório Duvivier, que muitos podem conhecer da série humorística Porta dos Fundos. Nesta selecção de crónicas publicadas no jornal Folha de S. Paulo entre 2013 e 2015, o autor transita entre ficções, memórias de infância, exercícios de estilo, artistas que o influenciaram e a situação política que se vive no Brasil e no mundo com muito sentido de humor.

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.