Uma quarentena de livros e histórias para descobrir

Tudo o que o homem podia ganhar no jogo da peste e da vida era o conhecimento e a memória. Quem não ouviu falar de Albert Camus por estes dias? Impossível não recordar, em plena pandemia do novo coronavírus, o livro do escritor argelino A Peste (1972) sobre uma epidemia que obriga uma população a fazer quarentena. Também o Ensaio Sobre a Cegueira (1995), de José Saramago, O Amor nos Tempos de Cólera (1985), de Gabriel García Márquez ou ainda Viagem à Volta do Meu Quarto (1794), o relato autobiográfico de um jovem oficial que, detido no quarto durante 6 semanas, observa a mobília, os quadros e as decorações como se fossem paisagens de uma terra longínqua. Se clicarem nos links podem encomendar o livro ou comprar a versão digital em várias livrarias nacionais.

Para quem gosta de ler, a falta de tempo e o cansaço são quase sempre a desculpa para não pegarem numa obra há mais tempo do que o desejável, por isso nada como aproveitar o momento de recolhimento a que o estado de emergência obriga para pôr a leitura em dia. Para quem não gosta, é a oportunidade para se calhar descobrir o prazer relaxante da leitura que vos pode levar onde menos esperam sem saírem do lugar. O truque está em encontrar o livro certo e o facto de não quererem sair para comprar já não é impeditivo, nem mesmo o facto de não poderem ou conseguirem ler. Damos algumas sugestões de sites onde encontram livros digitais (gratuitos e pagos), vídeos com leituras de histórias e audiolivros para miúdos e graúdos. 

Livros

O Plano Nacional de Leitura tem várias sugestões e algumas descarregar nestas bibliotecas digitais. Também têm a colecção Essencial Sobre... disponibilizada pela Imprensa Nacional – Casa da Moeda (INCM), o Arquivo Pessoa que é a base de dados da maior parte da obra do poeta Fernando Pessoa e a Biblioteca Virtual Camões, com livros sobre várias temáticas. A Biblioteca Digital Luso-Brasileira e o Projecto Adamastor também têm muita coisa e a Chiado Books está a disponibilizar um livro digital gratuito por dia.

Aqui têm livros infantis e algumas boas opções internacionais para descarregar ebooks são o Project Gutenberg, acessível de forma fácil e gratuita, a Open Library e a Amazon. Alguns escritores também estão a disponibilizar os próprios livros como Paulo Coelho aqui. Vão espreitar as redes sociais dos vossos favoritos, quem sabe não estão a seguir o exemplo. 

Leitura de histórias

Além de fazer entregas ao domicílio, como já dissemos aqui, a livraria Faz de Conto tem continuado as suas leituras domingueiras em directo no Instagram e a página Amigos da Biblioteca Infantil/Ludoteca da Biblioteca Municipal de Coimbra também tem muitas sugestões. A cooperativa cultural Bairro dos Livros, do Porto, criou uma Biblioteca Emocional e também tem uma Hora do Conto virtual, inclusive com os próprios escritores, à qual podem assistir aqui. Outras páginas com histórias para os mais pequenos são No Meu Saco de Histórias e a Estação das Letras.

 

Audiolivros

O jornal Público convidou autores, ilustradores, tradutores e às vezes as respectivas proles para emprestarem a voz a várias obras. Basta clicarem na capa de cada um destes livros e verem o que acontece. A Wook tem esta lista de audiolivros disponíveis. A Ubook está a oferecer 7 dias de acesso gratuito aos livros, podcasts e documentários mas uma das plataformas mais recomendadas é o Audible, que também podem experimentar durante 30 dias de forma gratuita e depois a assinatura custa cerca de 8€ por mês. Já pensaram que podem pôr os miúdos a praticar o inglês a ouvir o Harry Potter?

O Open Culture tem muitos títulos organizados por género e listados alfabeticamente pelo apelido do autor. O Lit2Go tem uma colecção abrangente de contos e poemas e têm ainda o FreeClassicAudioBooks. Para quem não saiba o Spotify também tem audiolivros e com um catálogo surpreendente que inclui desde grandes clássicos como Great Expectations, de Charles Dickens, Pride and Prejudice, de Jane Austen, Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf e Brave New World, atenção, lido pelo próprio Aldous Huxley. Se procurarem The Beats também podem ouvir Allen Ginsberg a ler Howl e Jack Kerouac a ler American Haikus.

Texto: Filipa Queiroz
Fotos: Banco de imagens

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.