Este ano a Semana Cultural é mais curta mas intensa

Este ano a Semana Cultural da Universidade de Coimbra vai ser mais curta mas mesmo assim mais comprida do que o próprio nome. Gonçalo M. Tavares e Nancy Vieira são alguns dos nomes a destacar dos 15 dias de programação, com muito para ver e fazer nesta edição que celebra os 730 anos da Academia.  

Um marco de longevidade e de resiliência que só foi possível pela capacidade que a instituição teve de, durante a sua história secular, saber 'ousar' para ir mais longe, para antecipar soluções e para olhar além de barreiras contextuais, lê-se na apresentação do programa que justifica o tema deste ano: Ousadias

A programação abre e fecha com uma espécie de Parabéns a você à universidade através dos concertos Universis, com a Orquestra Académica da Universidade de Coimbra  a estrear uma peça orquestral e coral inédita de Luís Cardoso no dia 1 de Março, e Ousadias. O último também celebra os 250 do nascimento de Beethoven, a 14 de Março, com a Orquestra Clássica do Centro a interpretar a 8ª Sinfonia e Fantasia Coral.

São 30 eventos que a Semana Cultural apresenta à cidade, entre espectáculos de música, teatro, cinema, exposições, debates, oficinas e instalações, quase todos gratuitos. Fazemos alguns destaques do programa que podem ir consultando como sempre na nossa Agenda ou aqui

A Ousadia da Primavera

2 a 7 de Março | 10h30
Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

Gratuito 

É uma criação da Marionet para maiores de 6 anos. Um percurso dramatizado em torno de protagonistas do mundo natural que habitam no Quadrado Central do Jardim Botânico cujo ponto de partida é o livro Ritmos do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, de Ana Cristina Tavares. O livro está dividido em 12 actos de transformação da flora no jardim, um por cada mês do ano, e aqui apresenta-se a dramatização do 3º acto da obra, correspondente ao mês de Março, altura em que o jardim se precipita para a ousadia da Primavera. 

Ousar Duvidar

5 Março até 30 de Abril | 17h
Sala de São Pedro, Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra
Gratuito

Não sei por onde vou, não sei para onde vou, sei que não vou por aí. É uma exposição dedicada a evocar os 50 anos da morte de José Régio organizada em 8 módulos que cobrem cada faceta relevante da actividade do escritor. Através de livros (em muitos casos primeiras edições), imagens e depoimentos revisita-se a obra regiana ao nível do teatro, ensaio, ficção e poesia, assim como a correspondência e relação com a cidade de Coimbra. No dia de inauguração há declamação de poemas, às 18h.

Atlas do Corpo e da Imaginação ao Vivo

10 Março | 21H30 
Teatro Académico de Gil Vicente
5€ (com descontos)

É uma conferência-performance do autor Gonçalo M. Tavares e Os Espacialistas que parte do livro Atlas do Corpo e da Imaginação. Atravessa a literatura, o pensamento e as artes, passando pela imagem e por temas como os da identidade e tecnologia, morte e ligações amorosas; cidade, racionalidade e loucura; alimentação e desejo, entre outros. 

Esteira Cheia

6 Março | 21H30
Teatro Académico de Gil Vicente
12,5€ (com descontos)

É um espectáculo organizado pela Associação de Estudantes Cabo-verdianos de Coimbra para celebrar os patrimónios classificados em 2013 pela UNESCO (a Língua Portuguesa e a Universidade de Coimbra, Alta e Sofia) e a Morna recentemente inscrita na lista representativa de Património Cultural Imaterial da Humanidade. A Orquestra da Tuna Académica da Universidade de Coimbra interpreta em sinergia com duas grandes artistas cabo-verdianas, Nancy Vieira e Nissah Barbosa. 

Concerto RAP Feminino - Ouvir, ver, emancipar

13 Março | 21h 
Teatro Académico de Gil Vicente
10€ (com descontos)


É um espectáculo que conta com as artistas Mynda Guevara, Pi, Muleca XIII e Blink e encerra um programa de todo o dia 13 dedicado ao estilo de música RAP no feminino. Antes, pelas 16h, têm o workshop RAP em Debate no Café do Teatro Académico de Gil Vicente e, às 18h, a estreia do filme de Raquel Freire que foi feito para o evento. A realizadora vai estar presente para uma conversa pós-filme. O workshop e o filme são de entrada livre.

 

Podem consultar o programa completo da Semana Cultural na nossa Agenda ou aqui. A maior parte dos eventos são gratuitos e para todos os públicos.

Texto: Filipa Queiroz
Fotos: Marionet, DR, oficiais + banco de imagens

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.