Explorar as Aldeias Históricas | Linhares da Beira

No concelho de Celorico da Beira, onde nasce o delicioso queijo da Serra da Estrela DOP, encontramos Linhares da Beira, uma das 12 Aldeias Históricas. Quilómetros antes de chegarmos, o Castelo que se eleva na paisagem indica-nos o caminho. 

De portas abertas, em tom convidativo, este Monumento Nacional recebe-nos de torres bem erguidas em direcção ao céu: uma torre de menagem e outra com um relógio do séc. XVII que, de meia em meia-hora, relembra a população que o tempo não pára. 

Com a povoação de um lado e a encosta granítica do outro, o panorama visto desde as muralhas é de cortar a respiração. As colinas a perder de vista explicam-nos o porquê de ter sido um importante posto de vigia. E a brisa lá no alto sussurra-nos que a história desta terra começou bem antes da passagem de romanos, visigodos ou árabes. No entanto, foi com a reconquista cristã que Linhares nasceu, no séc. XII, recebendo foral de D. Afonso Henriques.

 

Água mole e pedra dura

Passeando pelas várias ruas vemos algumas construções mais recentes mas a essência das amorosas casas tradicionais, tão bem estimadas, permanece no granito. Janelas e portas trabalhadas ao estilo Manuelino denunciam as casas nobres dos séculos XVIII-XIX. É o caso da Casa do Judeu, precisamente onde se situa o arco que inicia a rua da antiga comunidade judaica (judiaria). 


Mas aqui o pitoresco não tem apenas cor de granito, tem também o som de água. Água que escorre pelas encostas, por canais nas ruas ou água das várias fontes que emergem dentro da aldeia, como a
fonte de S. Caetano. E não esqueçamos a água benta. Mais divino só mesmo visitando ambas as Igrejas (Igreja Matriz e Igreja da Misericórdia), que acolhem obras do principal pintor quinhentista português e da sua escola – Grão Vasco.

Parapente

Do alto dos seus 800 metros, Linhares da Beira tem tudo o que é preciso para os apaixonados de grandes voos. Não seria exagero se estivéssemos a falar apenas metaforicamente mas a verdade é que durante todo o ano este é um local de referência para quem pratica parapente. Sendo um dos berços da modalidade em Portugal, a Catedral do Parapente é palco do Festival Internacional e Liga Nacional de Parapente, juntando dezenas de pilotos no céu do distrito.

Repor energias

As recomendações ao restaurante Cova da Loba são muitas, assegurando um casamento perfeito entre o rústico e o moderno, e as sugestões de dormida não são menos especiais. Se por um lado têm a Casa Pissarra e A Fidalga – turismo rural ideal para quem procura relaxar confortavelmente -, por outro têm o INATEL que já nos habituou a boas estadias. Enquanto os pais se deliciam com a paisagem, as crianças têm um parque infantil para alimentar o espírito, entre o Castelo e a Fonte de S. Caetano.

A história da Lua Nova

Numa noite de lua nova, em 1189, tropas de Leão e Castela preparavam-se para invadir o castelo de Celorico, quando Linhares os cercou pela retaguarda, afugentando-os. Graças a esse feito, a lua ficou gravada no brazão da vila enquanto crescente. Se de noite é só olhar para cima, de dia podem vê-la numa pequena tribuna de pedra, no fórum medieval, monumento de singular em Portugal.

 

Texto: Inês Teixeira
Fotos: Inês Teixeira, Pedro Costa, Filipa Queiroz

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.