Há dinheiro e apoio para quem queira transformar o mundo

Bastou uma hora de uma manhã de Dezembro para Alexandra Neves nos ter deixado a sonhar para o resto do mês. Conversámos com a representante regional do Centro da iniciativa Portugal Inovação Social (Portugal Inovação Social) e ficámos a saber que há formas de apoiar financeiramente empreendedores sociais que querem transformar o mundo dos outros, dando respostas diferentes a problemas sociais. Portugal tem um potencial enorme de criatividade, já estava sinalizado para esta temática e foi escolhido para ser este laboratório de experimentação, para dar palco a estes projectos. Esta experimentação permite que seja possível errar, voltar atrás, descobrir outros caminhos para perceber se a sustentabilidade vai funcionar. A nossa ministra dizia muitas vezes: “se erra pouco, inova pouco”.

Ficam interessados? Sentem imediatamente o apelo para tentar mudar o mundo? Não hesitem e contactem o programa para tirar as vossas dúvidas. Quem sabe se as vossas ideias ou até o trabalho que já desenvolvem não são elegíveis para esta iniciativa?

Os apoios do Portugal Inovação Social são atribuídos com exigências: é necessário utilizar métricas muito associadas às da academia, validadas para medir resultados para perceber se o projecto é ou não sustentável. A execução dos projectos implica uma boa dose de gestão e de economia, para que estejamos realmente a falar de um negócio social. Temos de capacitar os autores dos projectos para que, sem nunca se esquecerem do seu propósito, o negócio continuar quando acaba o financiamento.

O que é?

A Portugal Inovação Social é uma iniciativa pública que pretende promover a inovação social e dinamizar o mercado de investimento social em Portugal. Gere cerca de 150 milhões de euros) do Fundo Social Europeu, no âmbito do Acordo de Parceria Portugal 2020) que canaliza para o mercado através de 4 instrumentos de financiamento que têm a ver com o ciclo de vida do projecto.

Esta iniciativa é uma experiência pioneira na Europa e no Mundo: Portugal é o único Estado-Membro que reservou parte dos fundos comunitários até 2020 para o fomento da inovação e do investimento social. A execução da Iniciativa Portugal Inovação Social é coordenada pela Estrutura de Missão Portugal Inovação Social (EMPIS).

Que projectos?

Esta iniciativa financia projectos que proponham abordagens alternativas e inovadoras para responder a problemas sociais. Não há dois projectos iguais e não há exemplos mas mencionamos a Rádio Miúdos, feita por e para miúdos, uma rádio online que transmite programas em português e que não só ajuda a combater o insucesso escolar como também ajuda a comunidade emigrante a praticar a língua portuguesa. Ou o Speak, criado pela associação Fazer Avançar, que promove a integração de pessoas migrantes e refugiadas nas novas cidades através de um programa de intercâmbio de línguas. Ou ainda o Pavilhão Mozart que trabalha dentro dos estabelecimentos prisionais e promove a inclusão social de reclusos através da participação no processo de criação de uma ópera. O objectivo? Que não sejam reincidentes. Aqui estaremos a poupar dinheiro ao Ministério da Justiça.

Perfil do empreendedor

O empreendedor social é um homem sofredor. São os que escolhem sempre o caminho mais difícil: o das pessoas. Ao nível dos financiamentos, isto não é tão rápido, muitas vezes por falta de capacitação dos próprios empreendedores que podem não ter fundo de maneio para ir avançando. Muitos deixam as suas profissões para investir num projecto para os outros, para que outros sejam mais felizes.

Trata-se de gente competente em termos académicos, com muita experiência no estrangeiro, pessoas que deixaram os seus trabalhos confortáveis e bem remunerados para se meterem nisto.

Ecossistema

A verdadeira pegada da Portugal Inovação Social é a criação de um ecossistema composto por três grupos: os empreendedores, o sector público e o sector privado. Este último é uma importante fatia do sucesso dos projectos: são empresas (grandes, pequenas, não importa) que participam nos financiamentos, a título de mecenato ou de responsabilidade social, e que podem reaver o seu dinheiro se o projecto tiver resultados positivos. Uma vez que os empreendedores sociais têm a obrigação de dar feedback ao investidor, isto faz magia porque envolve as empresas – e as empresas são pessoas que também se envolvem nos projectos. Desde 2014 que vão surgindo cada vez mais empresas interessadas em investir na inovação social.

Equipa Portugal Inovação Social

As descrições dos membros que compõem a equipa gestora deste programa são inspiradoras e reparámos que a Alexandra ri por tudo e por quase nada. Porquê? A resposta desarmou-nos: estou no melhor trabalho do mundo, todos os dias, testemunho estes empreendedores, estes loucos, que transformam o mundo das pessoas e envolvo-me com eles por isso a minha taxa de felicidade é altíssima. Represento o programa que está a ajudar a que estes projectos aconteçam.

Texto: Joana Pires Araújo
Fotos: Portugal Inovação Social

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.