Já sentiram o perfume a novidade na Rua da Louça?

Telmo Almeida e Luís Martins são do districto de Coimbra, têm mais ou menos a mesma idade e percurso profissional. Trabalharam em grandes hotéis de 5 estrelas e restaurantes com estrelas Michelin (Dinner by Heston Blumenthal e The Fat Duck, por exemplo) em países como a Irlanda, Inglaterra e, em Portugal, na zona do Algarve. Há 4 anos, Luís abriu o restaurante Notes Bar & Kitchen, em Coimbra. Telmo voltou no final do ano passado.

Sempre tive vontade de fazer qualquer coisa cá e sempre quis abrir um bar mas achámos que era importante o complemento comida e o queijo é um gosto pessoal, conta o responsável. Foi assim que nasceu a Queijaria de Coimbra, na Rua da Louça. Há pouca oferta em Portugal de casas especializadas em queijo e aqui na zona Centro não existia nada. O espaço é loja de queijos, garrafeira e bar, com cocktails, esplanada e duas salas, r/c e 1º andar.

Queijos

Podem ser comprados a peso ou consumidos in loco em tábuas de 3, 6, 8 queijos ou mais, com ou sem enchidos  acompanhar. O espaço é secular e foi recuperado com cuidade e mantendo a traça original, como azulejos nas paredes e no chão. O queijo é um produto sensível, tem de ter alguma vigilância, mas se a temperatura estiver controlada e as películas forem trocadas com regularidade pode estar aí meses, revela Telmo Almeida. Os preços das tábuas começam nos 8 e vão até aos 22€, acompanhadas com pão, doces e fruta. Dentro das cerca de 40 variedades que têm, Telmo diz que tentam perceber o gosto do cliente e encaixar, sobretudo os que procurarem uma experiência diferente. Por norma os portugueses procuram queijos estrangeiros e, para já, os best sellers são dois italianos (Pecorino al Tartuffo e Parmigiano - com 24 meses de secura e com 9 anos, tem uma evolução muito grande por isso não é o do supermercado) e um Gouda de cabra (com 12 meses de secura, delicado mas com sabor, com final de boca, é floral, é fresco, um queijo diferente). Mas Telmo gaba os queijos portugueses, mais procurados pelos estrangeiros, e lembra que um até ganhou recentemente  a medalha de ouro nos World Cheese Awards, o de ovelha amanteigado Monte da Vinha. 

Cocktails

A carta tem receitas de Telmo Almeida, algumas pensadas para entrar no queijo outras nem tanto, como o Tiramisú e o Beirão Al Formaggio. Por norma tudo o que é cocktails do tipo 'sour', que normalmente têm citrinos e são cocktails frescos, vão muito bem com o queijo, explica. É bom porque o queijo é gordo e o fresco e cítrico limpa. Nos vinhos, há muita escolha, entre nacional e internacional, tinto e branco. Vendo mais o tinto, porque as pessoas associam muito ao queijo, mas pessoalmente acho que o branco tem mais acidez e liga melhor com o queijo, de uma maneira geral, atira Telmo Almeida. O bar também serve cafés ou digestivos.

Baixa

Desde que voltei encontrei uma Baixa diferente, com muita coisa por fazer mas senti que havia vontade por parte de muita gente em mudar, diz Telmo Almeida. O responsável diz que são as zonas históricas aquilo que gostamos de visitar noutras cidades quando viajamos, cheias de gente, bonitas, limpas e seguras, por isso optou por investir também, com esperança que isso aconteça se, a par com muitos comerciantes, as entidades públicas também trabalharem nesse sentido. É importante haver um comércio diversificado e que as marcas fortes para a Baixa apesar de cada vez mais a tendência, como se vê em zonas como esta noutras cidades, ser a restauração; é preciso mais bares e a concorrência é boa porque faz com que os comerciantes façam cada vez mais e melhor. Apesar de haver bastante procura por parte de turistas, Telmo assegura que a Queijaria de Coimbra já tem vários clientes habituais locais. Está aberta das 16h à meia noite à semana e das 17h às 2h ao fim-de-semana. Fecha ao Domingo e à 2ª feira.  

Texto e fotos: Filipa Queiroz

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.