Quem quer dar uma volta com o piloto Filipe Albuquerque?

Filipe Albuquerque já fez uma demonstração em Coimbra num carro de competição para promover uma corrida num campeonato no Estoril. Foi ao volante de um monolugar com que, na altura, competia no World Series Renault, de aparência semelhante aos que costumamos ver em corridas de Fórmula 1.  Foi em 2007 mas ainda hoje pessoas que gostam de corridas e de carros mas nunca foram ver uma a sério, e mesmo outras que não gostam, ainda hoje se lembram e me falam disso, disse-nos ao telefone do Japão, onde está neste momento a participar na segunda jornada do Campeonato do Mundo de Resistência (WEC).

Dia 19 de Outubro, vai haver outra oportunidade. O piloto conimbricense, que nos últimos anos tem acumulado troféus em campeonatos internacionais, vai fazer uma demonstração com um Ligier JSP217, o carro com que venceu as Quatro Horas de Portimão e ficou em 4º nas 24 Horas de Les Mans. Vai ser muito giro, é um aperitivozinho do que são as corridas. 

A demonstração, que serve para promover a final do campeonato em Portimão no fim do mês, vai acontecer entre as 14h30 e as 15h30 em frente ao Restaurante 39, no Estádio Cidade de Coimbra. Há sessão de autógrafos e fotografias a seguir.

A boa notícia é: além de poderem ver a demonstração do super carro de corrida, o embaixador da Kia também vai dar uma voltinha com alguns privilegiados num Kia Picanto e num Caterham. Querem ser vocês?

Um dos felizardos ou felizardas vai ser um leitor da Coolectiva. Os interessados só têm de partilhar este artigo nas redes sociais, subscrever a nossa newsletter e enviar-nos um email até ao dia 15 à meia noite com o vosso nome e contacto para geral@coolectiva.pt. No assunto: Eu quero dar uma volta com o Filipe. No dia 16 de Outubro anunciaremos o contemplado que será contactado pela redacção.

O piloto 

Tinha 8 anos quando o pai o levou ao Kartódromo da Batalha com o irmão mais velho para experimentar a adrenalina de um kart. Eu não sabia o que era até ao meu pai me levar, por isso é que as demonstrações são oportunidades emocionantes para as pessoas, contou-nos Filipe Albuquerque. As perguntas mais frequentes das pessoas são quanto é que o carro dá, a velocidade de ponta, e quantos cavalos tem. Filipe nunca mais largou o volante desde a experiência dos karts e, em 26 anos, consagrou-se um dos maiores pilotos nacionais, com muitos troféus e títulos, lado a lado com inúmeras estrelas internacionais. Já correu um pouco por todo o mundo, foi piloto oficial da Audi, campeão na Taça Norte Americana de Resistência e nas 24h de Daytona, com João Barbosa e Christian Fittipaldi. Este ano, o piloto - que tem Coimbra escrito no capacete - conseguiu a 6ª posição da categoria de LMP2 nas incríveis 24 horas de Le Mans e venceu as 4 Horas de Spa-Francorchamps, na Bélgica, em dupla com o britânico Phil Hanson. Foi a penúltima prova das European Le Mans Series, dia 27 deste mês é a final, em Portimão.  

O carro

O Ligier JS P217 é um protótipo de Le Mans construído pela Onroak Automotive para atender aos requisitos da FIA e ACO para o Campeonato Mundial de Resistência de LMP2 em 2017. É um carro que faz mesmo muito muito barulho, que é uma coisa que não é nada comum de se ver, mas o barulho é o que dá a emoção nas corridas, explicou-nos Filipe Albuquerque. Eu uso um rádio que protege os ouvidas e que serve para poder comunicar com a box. O nome do carro que vai ser mostrado em Coimbra vem do ex-piloto francês Guy Ligier. O carro também atende aos regulamentos do WeatherTech SportsCar Championship da International Motor Sports Association (IMSA), para a classe dos protótipos. Estreou-se nas corridas nas 24 Horas de Daytona de 2017 e a estreia num Campeonato Mundial de Resistência da FIA foi nas 6 Horas de Spa-Francorchamps. 

A demonstração

Filipe Albuquerque diz está muito limitado naquilo que pode fazer durante a demonstração no dia 19, até porque as estradas públicas são muito sujas para este tipo de carros que têm pneus especiais, mas vai demonstrar como é o carro e o que se sente a conduzi-lo. Nós sentimos muito a temperatura, a aderência, tudo, além da adrenalina, claro. Os carros de corrida e os carros mais desportivos, a adrenalina que dá, é exactamente a de estarmos colados ao banco, com a cabeça para trás, e assim como acelera também trava com a mesma brutidão à qual as pessoas não estão habituadas e isso faz com que se sintam fora do seu habitat natural, ficam com a adrenalina ao máximo, é como andar numa montanha russa só que num carro, confessou. Há pormenores como a importância do peso dos pilotos que talvez muita gente não saiba. Nós também temos de controlar o nosso peso, porque o carro pesa cerca de 960 quilos e é importante o piloto ser leve e pequeno. Um piloto muito grande não cabe neste carro, por exemplo, mas os desportos são o que são, eu nunca iria ser muito bom a jogar basquetebol (risos). Uma das características das corridas de automóveis é o risco, que na demonstração é perto de zero, mas é como em tudo, nas palavras do campeão da cidade - há sempre mas é precisamente o que nos faz sentir adrenalina e faz com que não seja um desporto entediante.

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.