Nestes dois fins de semana o melhor jazz é ao Centro

Steve Coleman and Five Elements e Fred Frith Trio, músicos que marcaram várias gerações de músicos de todo o mundo, a revelação Susana Silva e algumas  jovens promessas do jazz nacional, concertos à tarde e em sítios com jardim, espaço ao ar livre ou café tornam a edição deste ano do Festival Jazz ao Centro especial. Ter contextos em que as pessoas possam receber esta música e partilhar com os amigos, todos os concertos têm características diferentes mas todos são concertos onde se pode levar a família, nas palavras do programador, José Miguel Pereira. 

Há 17 anos que os Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra, co-organizados pela Câmara Municipal de Coimbra (e desde 2016 com os espectáculos cabeças de cartaz no Convento São Francisco), trazem o género musical à cidade. O festival deu mesmo origem ao Jazz ao Centro Clube, 17 discos, uma editora - JACC Records -, e a promoção de projectos como residências artísticas e a revista Jazz.pt. De 18 a 27 de Outubro, têm 16 bons concertos para ver por toda a cidade e estes são alguns destaques:

Alberto Conde Iberian Roots Trio

O músico galego Alberto Conde conheceu a música de Bernardo Sassetti no festival Jazz ao Centro, anos atrás, e a experiência foi de farma modo marcante que decidiu mergulhar nos seus registos gravados, em trio e a solo. Cinco anos depois da morte do pianista e compositor português, Conde convidou o contrabaixista Carlos Barretto e o baterista Alexandre Frazão - companheiros de Sassetti - para revisitar a música de Sassetti. É esse disco, The Wake of an Artist – Tribute to Bernardo Sassetti, que vão poder ouvir nesta noite. 

18 Out, 21h30
Convento São Francisco
8€ a 10€

Steve Coleman and Five Elements

 

Steve Coleman faz parte de um grupo muito restrito de músicos e compositores que têm marcado o curso recente do Jazz. Nascido em Chicago, onde fez o seu aprendizado, mudou-se para Nova Iorque ainda antes de completar 20 anos. Desde então (final da década de 70), tem vivido na cidade e, apesar de ter mantido vários grupos ao longo dos últimos 40 anos, o grupo que formou em 1981, continua a ser o principal veículo do seu esforço criativo e, ainda hoje, um dos grupos mais relevantes do jazz contemporâneo. Na década de 80, Coleman desenvolveu o conceito M-Base, agrupando em torno do termo uma série de estratégias musicais, posições filosóficas e práticas de expressão artística. 

Dia 19 Out, 21h30
Convento São Francisco
11 a 13€

Maria Villanueva, Vânia Couto Siu Kiu

Durante Julho e Agosto, Maria Villanueva e Vânia Couto estiveram em residência artística na Aldeia do Xisto de Barroca, nas margens do rio Zezêre (concelho do Fundão). Embora tivessem pensado num projeto envolvendo primordialmente as duas, a residência foi feita com mais três músicos e, no final da experiência de imersão no ambiente das Aldeias do Xisto e as sessões de gravação do Fab Lab das Aldeias do Xisto (Fundão), tornou-se evidente que Siu Kiu era um quinteto, com Yoshida Carvalho (baixo eléctrico), Lucas de Centi (vibrafone) e Sandra Peréz (percussão). O disco que apresentam foi preparado em recolhas na Galiza e e Portugal. Em Ponteareas e Mondariz, Maria e Vânia foram guiadas por Ilda Amoedo, gestora do Centro de Recuperación da Cultura Popular de Ponteareas, com sede no Castelo de Vila Sobroso. No território das Aldeias do Xisto, o auxílio de Leonor Narciso e das Adufeiras da Casa do Povo de Paúl foram fundamentais.

Dia 25 Out, 18h30
Colégio da Graça – Núcleo de Coimbra da Liga dos Combatentes
Entrada livre e gratuita, sujeita à lotação do espaço

* Com o apoio da APBC, no âmbito da iniciativa denominada Noites temáticas, que ocorre durante

 

Lantana

Para Maria do Mar, Joana Guerra, Helena Espvall, Maria Radich, Anna Piosik e Carla Santana a música que tocam não precisa de conter mensagens mais explícitas (a voz de Radich é um instrumento como os demais): aquilo a que vêm enquanto conceito e projecto não podia ser mais claro, pela atitude de inconformismo, rebeldia e contestação em forma de música, tão inerente a esta que não precisa de ser outra coisa que não som organizado. Uma música orgânica e rizomática feita de florescências selvagens e que irrompem espontaneamente da terra, uma música que não se submete a estereótipos, que explora, que invade, que contraria, que desestabiliza, inclusive as próprias coordenadas do que reconhecemos como “música improvisada”, a tal corrente criativa que tão exclusivistas manifestações – coisa “de rapazes” se diria – vem tendo desde finais da década de 1960. (Texto de Rui Eduardo Paes)

Dia 25 Out, 19h30
Coola Boola Colab
Entrada livre e gratuita, sujeita à lotação do espaço

* Noite Temática APBC

Fred Frith Trio

Closer to the Ground (Intakt, 2018) assenta na simplicidade dos métodos e a atenção dos músicos está devotada ao som, às texturas, aos pequenos motivos que vão emergindo e se consolidam, formando uma atmosfera convidativa e lúdica, mesmo quando as abordagens dos instrumentistas vão para além do convencional (o que acontece frequentemente). Sendo este trio uma working band, ressalta que a simplicidade (real ou aparente) resulta do tempo que todos os temas tiveram para ser absorvidos pelos elementos do grupo. Em muitos momentos, torna-se impossível distinguir entre partes escritas e partes totalmente improvisadas. Nunca se perde, porém, a coerência global, para a qual contribui certamente o virtuosismo dos três. A tour celebra o septuagésimo aniversário de Fred Frith e é uma oportunidade única de ver um dos mais notáveis instrumentistas e compositores dos últimos 50 anos.

Dia 25 Out, 21h30
Teatro Académico de Gil Vicente

Susana Santos Silva / Yedo Gibson / Vasco Trilla Fish Wool


A trompetista portuense Susana Santos Silva reside actualmente na Suécia e é uma instrumentista muito requisitada, estando a realizar concertos com formações muito relevantes como a Orchestre National de Jazz (França), a Fire! Orchestra (Suécia) e sendo convidado do Fred Frith Trio em dois
concertos da digressão que passa por Coimbra no mesmo dia deste concerto. O baterista catalão (de origem portuguesa) Vasco Trilla é, de igual forma, uma figura omnipresente
na cena da música improvisada europeia. A eles junta-se o brasileiro Yedo Gibson, e já gravaram no Salão Brazil, em Coimbra, os temas que agora apresentam neste concerto.

Dia 25 Out, 23h00
Salão Brazil
Entrada livre e gratuita, sujeita à lotação do espaço

* Noite Temática APBC

Ka Baird


Kathleen Baird foi uma das fundadoras, em 2001, do projecto Spires That In the Sunset Rise, grupo representativo da riqueza da cena de Chicago, capaz de alimentar a visão de artistas para quem não há fronteiras estanques entre géneros musicais. Não obstante, em 2014, Baird trocou Chicago por Nova Iorque, prosseguindo uma nova direção onde passou a integrar o processamento electrónico da flauta, as técnicas vocais estendidas e uma maior consciência do movimento no acto performativo. O disco de estreia, enquanto Ka Baird, foi editado em 2017 pela Drag City foi muito bem recebido
em ambos os lados do Atlântico, mesmo que a música fosse difícil de catalogar. Esteve em Portugal em Fevereiro de 2018 e,
embora indicado para os mais abertos à música exploratória, é um dos que talvez não queiram perder desta edição do Festival.

Dia 26 Out, 18h00
Casa das Artes Bissaya Barreto
Entrada livre e gratuita, sujeita à lotação do espaço

Estes são apenas alguns destaques destes 16 concertos que têm para ver no Festival Jazz ao Centro – Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra:

Dia 18 Out, 21h30
Convento São Francisco
Alberto Conde “Iberian Roots” Trio

Dia 18 Out, 23h00
Salão Brazil
Luso-Dutch Large Ensemble

Dia 19 Out, 16h00
Rádio Universidade de Coimbra
Jasper Stadhouders

Dia 19 Out, 17h30
Museu Nacional Machado de Castro
Zíngaro / Warelis / Espvall / Dos Reis

Dia 19 Out, 18h30
Casa das Artes Bissaya Barreto
Michael Moore / Hugo Antunes

Dia 19 Out, 21h30
Convento São Francisco
Steve Coleman and Five Elements 

Dia 19 Out, 23h00
Salão Brazil
Dikeman / Vicente / De Joode / Govaert Twenty One 4tet

Dia 20 Out, 17h00
Centro Norton de Matos
Orquestra de Jazz de Espinho & Mário Costa

Dia 25 Out, 18h30
Colégio da Graça – Núcleo de Coimbra da Liga dos Combatentes
Maria Villanueva & Vânia Couto “Siu Kiu”

Dia 25 Out, 19h30
Coola Boola Colab
Lantana*

Dia 25 Out, 21h30
TAGV
Fred Frith Trio

Dia 25 Out, 23h00
Salão Brazil
Susana Santos Silva / Yedo Gibson / Vasco Trilla Fish Wool

Dia 26 Out, 17h00
Casa da Mutualidade / APP
DeclAMAR Poesia & Jazz

Dia 26 Out, 18h00
Casa das Artes Bissaya Barreto
Ka Baird

Dia 26 Out, 22h00
Salão Brazil
Gabriel Ferrandini Volúpias

Dia 27 Out, 17h00
Centro de Artes Visuais
Amado / McPhee / Kessler / Corsano Quartet

Outras actividades:

Dia 10 Out, 21h30
Convento São Francisco

Fragoso Quinteto
Grupo Cena Jovem Jazz.pt / no âmbito do ciclo DesConcertos do CSF

Dia 17 Out, 18h30
Coola Boola

Cocktail Listening Party
com Luís Vicente, Hugo Antunes e John Dikeman
* No contexto do lançamento do disco do quinteto Corda Bamba, gravado durante uma residência artística no Salão Brazil, três dos músicos participantes guiam-nos numa audição em primeira mão.

Dia 18 Out, 18h30
Casa das Artes Bissaya Barreto

Matinée
com Rui Miguel Abreu (dj set)
*Para sintonizar a alma e o corpo com o primeiro dia de Festival Jazz ao Centro, a CABB convidou o crítico musical, radialista e director do Rimas e Batidas, Rui Miguel Abreu. Transmissão em direto na Rádio Baixa.

 

Dia 14 Nov, 21h30
Convento São Francisco

Miguel Rodrigues Trio
José Diogo Martins – piano
Francisco Brito - contrabaixo
Miguel Rodrigues – bateria
* Grupo Cena Jovem Jazz.pt / no âmbito do ciclo DesConcertos do CSF

 

Dia 12 Dez, 21h30
Convento São Francisco


*Grupo vencedor da Open Call #2 Cena Jovem Jazz.pt
Grupo Cena Jovem Jazz.pt / no âmbito do ciclo DesConcertos do CSF

Texto: Filipa Queiroz,
com Festival Jazz ao Centro

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.