Já viram folk rock chinês? Esta banda vem a Portugal e passa por Coimbra

Os Wu Tiao Ren são considerados uma das bandas mais interessantes da actualidade e têm uma boa colecção de seguidores fiéis. Só no início do ano deram mais de 40 espectáculos em dois meses na China e já têm uma nova digressão agendada para o final do ano. A estreia europeia vai ser em Portugal, pela mão do festival  

This is My City – Global Creative Network (TIMC). A banda vai fazer uma digressão de Norte a Sul do país entre os dias 30 de Agosto e 8 de Setembro, passando por vários sítios - um deles bastante inusitado, a redação do Jornal de Notícias, no Porto. Dia 5 de Setembro toca no Salão Brasil, em Coimbra.

Wu Tiao Ren

Da região chinesa de Haifeng, a banda começou em 2008 num bairro da cidade de Shantou, província de Guangdong, na China. É um quarteto, liderado por Amao e Renke, e cantam em dialecto de Haifeng e em mandarim. As composições versam sobre as vidas de marginais na China, desde o voyeur solteirão que passa horas a ver operárias a entrar e sair de fábricas ao ciclista que passeia um porco, passando pelo vendedor de divisas no mercado negro e o jovem revolucionário assassinado por Chiang Kai-shek em 1929. Marcado pela influência da ópera local e canções de pescadores, incluem nos temas gravações dos sons nas ruas e encenações de discussões entre vizinhos. Devem muito ao folk rock dos compatriotas das grandes metrópoles do Norte, dominantes na cena underground chinesa. Contudo, o acordeão de Renke invoca a verve preguiçosa do sul subtropical (...) são solarengos e os temas mitológicos do litoral conjuram um mundo de deuses do mar e pescadoras quixotescas, escreveu a revista The Wire. Vai ser a segunda vez que a banda actua fora da Ásia, a primeira foi no Brasil, no ano passado.  

This is My City

Criado em Macau, em 2006, o TIMC é um festival multidisciplinar e multicultural com foco em 4 aspectos fundamentais: Criatividade, Inovação, Cultura Urbana e Tecnologia. Sofreu algumas transformações ao longo do tempo e entretanto alargou e avançou na direcção de integrar todo o Delta do Rio das Pérolas numa rede criativa, promovendo a cultura lusófona na região. Em 2018, realizou-se em Zhuhai, Shenzhen, Macau e São Paulo, no Brasil. Este ano, passa por Portugal, onde já tinha trazido artistas chineses  para uma residência em Montemor-o-Novo, há 5 anos. O cofundador, Manuel Correia da Silva, diz que a ideia surgiu na sequência de um convite da Casa da Música, no Porto e as expectativas são bastante altasManuel nasceu em Portugal mas cresceu entre Macau e Lisboa e é co-fundador de vários projectos criativos como a Lines Lab, None of Your Business e Associação Cultural +853.

Programa em Portugal:

30 Ago – Porto | Jornal de Notícias
31 Ago – Porto | Casa da Música
1, 2, 3, 4 Set – Residência artística em parceria com Omnichord Records, Leiria
5 Set – Coimbra | Salão Brasil
6 Set – Lisboa | Musicbox
7 Set – Leiria | Atlas
8 Set – Montemor-o-Novo | Oficinas do Convento

 

Texto: Filipa Queiroz

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.