Só falta ver elfos e hobbits neste passeio do Talasnal ao Casal Novo

São dezenas os quilómetros que podemos percorrer pelos trilhos da Serra da Lousã. Para todos os gostos e de todos os níveis de dificuldade, os caminhos ligam várias das Aldeias de Xisto e brindam-nos com a singularidade de cada uma delas, levando-nos numa viagem temporal aos caminhos percorridos no passado pelos habitantes. Este casamento perfeito entre o meio natural e o património  

pode ainda ser complementado por algumas áreas de restauração e de alojamento. Mas para vos deixar um cheirinho, mostramos-vos um pouco do troço entre as aldeias Casal Novo e Talasnal, que faz parte da Pequena Rota 2 das Aldeias de Xisto da Lousã, que por sua vez liga as duas aldeias ao Castelo da Lousã e Santuário de Nossa Senhora da Piedade. 

Talasnal

Esta aldeia mágica imerge da Natureza e faz-nos querer percorrer cada recanto em busca de um ser élfico que nos guie entre o xisto e a floresta. Ponto alto de visibilidade para todas as Aldeias de Xisto, é um lugar a explorar e a partir do qual podem embrenhar-se na serenidade do troço sinalizado como PR2 - LSA. Na vegetação, saltam à vista os loureiros, carvalhos, castanheiros e vegetação ribeirinha. A primeira parte do percurso transporta-nos para o bosque húmido e repleto de vida, banhado pela ribeira da Vergada. Junto à ribeira, que corre para o Ceira e o Mondego, há ruínas de um moinho de água, um dos 50 existentes na região. A segunda parte do percurso já é mais árida e reflecte o poder de invasão de algumas espécies arbóreas exóticas, como é o caso da acácia. No entanto, é lá que conseguem um excelente panorama das encostas verdes da Serra e do Talasnal. Caminhando mais um pouco vão dar ao fundo da aldeia Casal Novo, a partir da qual podem continuar o percurso até ao Castelo e ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, se quiserem.

 

Casal Novo

A 550m de altitude, é a primeira Aldeia de Xisto para quem sobe a Serra pela estrada a partir da Lousã, e que quase passa despercebida por se situar numa dobra da encosta, em declive acentuado, e rodeada por vegetação. Esta serena e pacata aldeia, integrada no Sítio de Importância Comunitária Serra da Lousã- Rede Natura 2000, é toda ela um miradouro. No entanto, é da Eira que a vista sobre a Lousã e o castelo se torna estonteante. Baptizada provavelmente a partir de um aglomerado de duas ou três casas mais recentes do que as aldeias vizinhas, Casal Novo conheceu, na década de 70, a ironia do desenvolvimento local: No dia em que o último habitante se meteu ao caminho, já de malas aviadas, avistou as camionetas que chegaram para abrir a estrada e ligar a luz, objectivos por que sempre lutara dezenas de anos, lê-se no livro Serras de Portuga (Círc. Leitores, 1994).  

 

 

 

Refúgio da Serra da Lousã

Hoje, a ocupação é esporádica, mas acolhe todos aqueles que precisam de uma escapadinha na Natureza. Quer seja para descansar, relaxar, meditar, caminhar, observar a Natureza ou simplesmente respirar ar puro, têm mais informações sobre este refúgio aqui e aqui. Quem for amante da Natureza gostará especialmente de saber que a aldeia tem visitas frequentes de veados, javalis, corços, ginetas, raposas, ouriços, aves de rapina, salamandras e muita fauna mais. Boa respiração e muita inspiração.

Texto: Inês Teixeira
Fotos: Rui Couto

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.