Vai haver surpresas nas lojas da Baixa de Coimbra

Ir às compras à Baixa de Coimbra é, por si só, uma espécie de caça ao tesouro. Nunca se sabe o que pode acontecer e é sempre possível descobrir uma relíquia entre ourivesarias, retrosarias, montras vintage e manequins démodé.

Nos dias 26 e 27 de Julho, esse tesourinho pode ser música independente. E grátis. O Festival (in)Comum volta pela 3ª edição com uma dúzia de showcases acústicos em espaços de comércio tradicional da cidade pela mão da associação Lugar Comum

Esperam-vos então mini-concertos, em palcos mais pequenos e informais do que aqueles a que artistas e espectadores estão habituados. É uma manobra feita com a Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra (APBC) para aproximar e diversificar públicos, fazendo a música chegar à malha urbana e lojistas da zona. 

Mas há mais: este ano o evento inclui um workshop de rádio para crianças e jovens, uma exposição e a projecção de documentários.

O festival arranca na sexta-feira, 26 de Julho, pelas 16h30, com as tais pequenas actuações de cerca de 25 minutos. Duas jovens lisboetas apresentam os discos de estreia, de estilo folk - a menina misteriosa April Marmara, com o disco de estreia New Home, e Marinho com as suas Ghost Notes.

Também Éme, o jovem que admite que não cresceu a ouvir Sérgio Godinho, José Mário Branco nem José Afonso mas que quando os descobriu ficou encantado e inspirado; e o galego Santi Araújo com o EP Catedral, de canções que se abrem desde às sonoridades folk-rock de corte americano ao britpop e indie:

A música continua à noite com o concerto de Joana Espadinha, já em largo formato, no Salão Brazil. Espadinha estudou música no mítico Hot Clube de Portugal e Conservatório de Amesterdão, participou em discos de vários artistas e lançou recentemente o primeiro em nome próprio, Avesso. Já devem ter ouvido esta canção dela por aí:

No Sábado, dia 27 de Julho, o festival volta a arrancar pelas 11h. Está previsto um workshop na Rádio Baixa, que também é gratuito e é dirigido ao público mais jovem. Esta vertente de Serviço Educativo do evento, em colaboração com a Rádio Universidade de Coimbra, vai, segundo a organização, permitir aos pais verem os concertos enquanto os filhos aprendem a fazer rádio e DJaying.

O número 23 da Rua Eduardo Coelho também vai ter uma exposição de fotografia, que será um olhar sobre as edições anteriores do festival, segundo a organização, e projecção de documentários. 

Quais são os documentários só se vai saber mais em cima do acontecimento, aqui ou aqui, tal como os locais exactos dos concertos. Assim que forem disponibilizados poderão consultá-los na Agenda da Coolectiva, e contem também com um mapa do evento para vos guiar de concerto em concerto.

Esta vai ser o primeiro de quatro Noites Temáticas promovidas pela APBC. As restantes acontecem ao longo dos próximos meses, mais precisamente a 30 de Agosto (Fado), 27 de Setembro (Enigma Challenge) e 25 de Outubro (Jazz), para o caso de também quererem apontar na agenda.

Texto: Filipa Queiroz
Foto: Eduardo Gonçalves

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.