O que acham das trotinetes eléctricas em Coimbra?

Não foi só a Primavera que chegou em Março mas também duas empresas de aluguer de trotinetes eléctricas, a Lime e a Flash, que salpicaram Coimbra com esta nova solução de mobilidade. Hoje em dia, os residentes e visitantes da cidade podem escolher deslocar-se em cima de um destes veículos mas convém que respeitem todas as regras.

À semelhança do que sucedeu nas cidades onde a Lime e a Flash disponibilizaram trotinetes, surgiram relatos, em Coimbra, de veículos mal estacionados, de circulação em passeios e da perplexidade pela não utilização de capacete. Será que os utilizadores estão a par da utilização correcta da trotinete? Tirámos algumas dúvidas junto de fontes policiais para resumir algumas das regras mais importantes.

#1.  Uma trotinete é equiparada a uma bicicleta (velocípede) para efeitos de aplicação do Código da Estrada.

#2. Os velocípedes não podem circular nos passeios sempre que o condutor tenha mais de 10 anos. Pela mesma ordem de ideias, não podem circular nas passadeiras (que se destinam apenas a peões). A excepção a esta regra é no caso de se levar a bicicleta ou a trotinete pela mão.

#3. A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária defende que a utilização de capacete não é obrigatória nas bicicletas e trotinetes eléctricas mas recomendam que se use. A DECO tem um entendimento diferente e defende que o uso do capacete é obrigatório, com base no Código da Estrada.

#4. As coimas por infracções ao Código da Estrada são, por regra, as mesmas previstas para os carros mas reduzidas a metade em termos de valores mínimos e máximos.

#5. Não é necessário ter carta de condução para conduzir uma trotinete nem para utilizar uma bicicleta. Assim, os condutores de trotinetes podem ser multados por condução com álcool mas coloca-se a questão das chamadas sanções acessórias. Já houve casos em que os tribunais decidiram que, para além do pagamento da coima, o condutor de trotinete ficou com a carta suspensa (sanção acessória). Se o condutor não tivesse sequer carta de condução mas tivesse praticado um crime rodoviário, podia ficar inibido de a tirar durante um determinado período, ser obrigado a frequentar acções de formação rodoviária, no caso do consumo crónico de álcool podia ser obrigado a fazer tratamentos, ter que efetuar trabalho comunitário, entre outras hipóteses.

#6. No caso do estacionamento incorrecto de uma Lime ou Flash, as autoridades não têm forma de agir já que, ainda que a empresa tenha a identificação do condutor, nada garante que o veículo não tenha sido colocado naquele local por outra pessoa. Sabemos que alguns municípios já estarão a criar taxas de remoção para trotinetes (a aplicar às empresas concessionárias) nos casos de se encontrarem abandonadas ou indevidamente estacionadas.

IMG_4823

Manual para andar de trotinete eléctrica em Coimbra

Para andar de trotinete precisam de um smartphone que suporte a instalação da app da Lime ou da Flash. Assim, tudo começa com a instalação da aplicação escolhida e da associação de um número de telemóvel e de um cartão bancário para os pagamentos.

Tanto a Lime como a Flash cobram uma taxa fixa pelo desbloqueio de um veículo e um montante por minuto, enquanto a trotinete é utilizada. (Atenção, se pararem para dois dedos de conversa com amigos, considera-se que a trotinete está a ser utilizada!). As taxas e promoções podem variar consoante o dia da semana e a hora mas o desbloqueio custa 1€ e cada minuto custa 0,15€. No final, devem pesquisar um local para estacionar a trotinete, idealmente numa zona prevista para estacionamento destes veículos.

A aplicação da Lime para o telemóvel apresenta algumas recomendações de utilização:

Locais para experimentar um passeio

A Câmara Municipal de Coimbra definiu locais para estacionamento das trotinetes. Nalguns casos, apesar de serem considerados passeio, são sítios muito largos que garantem áreas mínimas para a circulação de peões. Aliás, segundo a fonte policial contactada, a delimitação dos passeios em determinadas zonas não é simples (como no caso do Parque Linear do Vale das Flores) mas se as pessoas tiverem cuidado pode haver equilíbrio e coexistência.

Sabemos que pode haver algum receio na hora de experimentar andar numa trotinete e pensámos que o Parque Verde (idealmente numa zona mais sossegada) pode ser uma boa ideia: não só costuma ter veículos disponíveis como espaço para aventuras em duas rodas – e sem correrem o risco de atropelarem peões ou de serem abalroados por um carro. Em última instância, tudo passa pelo civismo das pessoas e da utilização sensata das trotinetes.

A fonte policial que contactámos sugeriu que, no momento da instalação da aplicação no telemóvel, o utilizador tivesse de concluir um teste online para ficar (ou relembrar) algumas noções das regras de trânsito, como é o caso da circulação em rotundas e as prioridades, como se fosse um teste de código.

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.