Têm até segunda-feira para provar estes petiscos no parque

Aproveitámos a hora do almoço, que é bem sossegada, para ir almoçar à Feira Cultural de Coimbra. No corredor de comes e bebes, que este ano fica confortavelmente arrumado ao fundo da Feira Cultural e com espaço para sentar também sobre o relvado, estão várias opções, desde as sandes do Victor dos Leitões (3,50€ cada), o Restaurante 007, a Tasquinha Regional com Fumeiro de Seia e a interessante Organização da Mulher Moçambicana. Nesta última, por exemplo, por 8 a 10€ podem provar caril de carne, matapa, pirão, macofo ou caril de amendoím e opções vegetarianas. Também é possível que não consigam resistir a umas lembranças bem castiças feitas com capolana.

Experimentámos A Tasquinha da Marinhoa, do Restaurante Temudus, que sabe receber e onde, apesar de haver peixe, o menu é sobretudo à base de carne daquela raça de gado portuguesa. As marinhoa são carnes de origem protegida, o habitat é esta região, todo o Litoral Centro e Norte, aliás para que ocorra a certificação a criação tem de ser desta região e é uma excelente carne, explicou-nos o gerente do espaço que tem dois restaurantes na zona, um na Rua Mário Pais (zona do Arnado, no centro de Coimbra) e outro em Trouxemil.

Conquistou-nos logo com as entradas de queijo curado e paio de carne marinhoa acompanhados com bom vinho da casa e vista privilegiada para o Mondego. Os preços dos pratos variam entre os 9,50 € e 21,50€, muito bem confeccionados e com doses abundantes.

A sobremesa deixem para uns metros mais à frente, junto ao palco principal, na Queijadinha ou na Pastelaria Arco-Íris que tem exemplares de vários membros da Associação de Doceiros de Coimbra, inclusive os candidatos de Coimbra às 7 Maravilhas Doces de Portugal: arrufadas de Coimbra, pudim das clarissas e pastéis de Santa Clara. Também ficámos curiosos com o Morgado, que a funcionária explicou que não tem glúten (apesar de poder conter vestígios) e é feito apenas com ovos e amêndoa.

Há mais stands, é só explorar, e, claro, aproveitem para regar o passeio com cultura, que tanto pode passar pela literatura como pela arte, música e artesanato, o programa está todo aqui com os respectivos destaques.

Explorem também os stands temáticos. Por exemplo, na zona da entrada fica o Espaço de Difusão: Universidade de Coimbra – Alta e Sofia, da Associação RUAS, onde podem ver uma Aula Aberta sobre a Liberdade concebida pelo artista plástico António Barros. É uma referência à Crise Académica de 1969 com fotografias do momento em que a GNR ocupou a Universidade, há exactamente 50 anos, e a assinatura de uma pessoa real que vivenciou, a seu tempo, a coerção da ditadura do Estado Novo.  

fotografia.png

Boa feira!

 

ATÉ 10 JUN | FEIRA CULTURAL DE COIMBRA
Parque Dr. Manuel Braga, Coimbra
2ª a 5ª feira das 14h às 22h30 | 6ª das 14h às 0h | Sáb e véspera de feriado das 11h às 24h
Feriado: 11h às 22h30
Entrada livre

Native ad 

 

 

 

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.