Seguimos os neons e descobrimos a nova tentação à moda italiana da cidade

O que é que dois engenheiros, de gerações diferentes e apaixonados por fotografia, um nascido em Timor e outro de Coimbra, podem ter a ver com gelados? Aparentemente nada mas foram os percursos e a cumplicidade entre os dois que deram na nova gelataria artesanal da cidade, a Così, ao fundo das escadas do Quebra Costas, no antigo espaço da Casa das Canetas.

Fazer gelado assim é uma coisa muito bonita, é interessante porque nos permite sermos criativos, inovar e fazer experiências, disse Pedro Baptista na inauguração. Arroz doce, baba de camelo e chocolate com laranja são alguns dos sabores incríveis que podem encontrar na loja que Fernando Castelo Branco idealizou numa longa caminhada de 2 horas em Angola, há 3 anos.

É uma gelataria portuguesa, com certeza, mas à moda italiana. Tanto que, por exemplo, é provavelmente a única em Coimbra onde não se vêem os gelados. Vocês escolhem os sabores mas só os vêem no copo ou no cone porque estão guardados dentro de carapinas, contentores cobertos dentro de um tanque a 13 graus negativos que fazem com que os sabores não se misturem. 

Não é nada de novo, é apenas tradicional e acreditamos que é a melhor maneira de conservar, guardar e servir o gelado, explicou Pedro Baptista, além do investimento em equipamento topo de gama.

Na Così podem ver os gelados a serem feitos in loco com ingredientes regionais e nacionais, como as laranjas do Mondego e amêndoas de Trás-os-Montes, por exemplo. Os indispensáveis, como o chocolate, o pistácio e a avelã, vêm de fora. Não há bases pré-fabricadas, nem corantes ou aromas artificiais. Requeijão com figo caramelizado e abacate e lima são outras das tentações que podem provar.

Fernando Castelo Branco cresceu a saltar de terra em terra entre Timor, Portugal e Angola. Veio para Coimbra estudar nos anos 80 e ficou. Fez parte do Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC) e das Secções de Fotografia e Karaté da Associação Académica de Coimbra. Pedro Baptista foi aluno de Fernando, no curso de Engenharia Geológica, viveu 8 anos em países como a Mauritânia, Guiné Equatorial, Gana e Qatar, e há uns anos que se dedicava também à fotografia de Natureza, além do rugby.

Fernando sempre gostou de culinária, especialmente doçaria. Pedro ajudava a avó numa mercearia quando era pequeno e sempre pensou um dia ter uma loja sua. O primeiro desafiou o segundo e deixaram a construção para abrir a Così, depois de fazerem formação Itália com Giacomo SchiavonFizeram um grande trabalho, este é o estilo clássico italiano, confirmou o mestre italiano na inauguração.

Se quiserem provar sigam os neons - também de fabrico artesanal por António Reis, dedicado ao ofício em extinção desde 1974. Nós provámos e aprovámos. Os gelados são muito cremosos e se dizem que são menos calóricos melhor ainda, certo? Os preços começam nos 2,50€ e, segundo os proprietários, os copos e as colheres serão ecológicas sempre que possível.

 

 

Texto e fotos: Filipa Queiroz

Artigo actualizado às 15h45 de 11 de Fevereiro, 2020

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.