Esta gelataria de Coimbra está tão carregada de história como de perdição

Quer em copinho ou cone?, atira Miguel Santos do outro lado do balcão. Ele é o rosto bem conhecido de um dos negócios com mais história da cidade, a irresistível Gelataria Pinguim. Há 4 gerações que a família faz e vende gelados artesanais, segundo o modelo italiano e com receita própriaComeçou com o meu bisavô, em Lisboa, em 1925, contou-nos Miguel Santos. Na altura ainda se chamava Sibéria, depois é que o meu avô veio 

 

 

A Pinguim vai ser brevemente ampliada, com mais uma sala - fechada, para dar para o Verão e para o Inverno -, e com as peças que contam a história da marca a receber o merecido destaque. Entretanto, passem por lá e provem ou levem para casa em robustas caixas de esferovite, como se usa em Itália. Este gelado, em derretendo, você nunca mais o congela, rematou o dono da gelataria. É o preço da qualidade. 

 para Coimbra, lá pelos anos 1940, e o meu pai depois mudou o nome para Pinguim. Dos gelados aos sorvetes, sem leite e com fruta de época, todos são 100‰ artesanais e naturais, ou seja, sem corantes nem conservantes químicos. Os de fruta não têm leite e há opções ainda mais saudáveis, como o morango que em vez de acúcar é adoçado com stevia. É para toda a gente, mas principalmente a criança, claro - e nem é pelos sabores é pelas cores!

A Pinguim está aberta o ano inteiro. Cá em Portugal nem por isso, mas noutros países vende-se gelados de Inverno e de Verão, o alemão por exemplo é um doido por isto, até pode estar a nevar, contou Miguel. Enquanto isso reparamos nas fotografias na parede. É um panfleto da fábrica antiga, em Lisboa, e nas fotografias é o meu avô quando quando veio para Coimbra, a vender gelados na rua, gelados no Verão e castanhas e frutos secos no Inverno, era assim que levava comidinha para casa.

Dentro da gelataria há sofás e mesas, até porque, para além dos gelados, também vendem crepes e outras delícias, algumas feitas com Nutella. Dica: há um sabor de gelado que é feito com chocolate e avelãs mas não se chama Nutella. O Gianduia é o gianduia, parece Nutella, e se estivesse escrito Nutella já tinha desaparecido, mas eu não gosto disso, quando quiser fazer de Nutella agarro num frasco e faço, explicou o dono.

Quando forem à gelataria, reparem na máquina que está na janela, é a que o avô usava quando a loja era em São José, do outro lado da cidade. Fazia os gelados à frente dos clientes, conta o neto, que só há 5 anos recuperou o negócio, depois de uma carreira na Marinha mercante. 

 

Então, que sabor vão provar primeiro? Miguel Santos nem hesita em escolher um favorito. O meu é o Amaretto, avelãs torradas - é da Sicília.

A Pinguim está aberta das 9h à meia noite, todos os dias menos à segunda-feira, no número 132 da Av. João das Regras em Santa Clara, Coimbra.

 

 

 

Texto e fotos: Filipa Queiroz 

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.