Querem ajudar Moçambique?

O ciclone Idai e as cheias que se seguiram no centro de Moçambique, Zimbabué e Maláui, no passado dia 15 de Março, vitimaram mortalmente mais de 700 pessoas – cerca de 468 só em Moçambique. Segundo as autoridades moçambicanas, na Beira, cidade no centro do país, considerada irmã de Coimbra, cerca de 500 mil residentes ficaram sem energia e comunicações e pelo menos 400 mil pessoas estão desalojadas, entre elas dezenas de portugueses.

Como toda a ajuda é bem-vinda, em Coimbra estas são algumas das entidades que estão a receber donativos ou bens alimentares, produtos de higiene e limpeza e produtos de tratamento de água:

–  Casa Municipal da Proteção Civilno Quartel dos Bombeiros Sapadores (Av. Mendes Silva), a Câmara Municipal de Coimbra recebe produtos alimentares enlatados com período de validade prolongado, produtos para o tratamento de água e produtos de higiene e limpeza. Também donativos em dinheiro para a conta com o IBAN: PT50 0010 0000 363191100017 4, ou por pagamento de serviços para a entidade 20999, com a referência 999 999 999;

União das Freguesias de Coimbra (UFC) associou-se à Helpo e está a organizar uma rede de pontos de recolha para quem quiser ajudar. A UFC assegura a logística da recolha e a gestão e entrega dos donativos será feita pela organização não governamental. Podem contribuir com: roupa de bebé e criança (até aos 5 anos), fraldas de pano, mantas do tipo polar, farinhas lácteas e não lácteas, sabão, lixívia, pastilhas desinfetantes para a água e alimentos enlatados não perecíveis como feijão, grão, arroz, massa, aveia, óleo, açúcar e frutos secos embalados. Alguns locais de recolha são: AragonLingerie (C.C. Gira Solum), Chocolate Chocolate – Coimbra (R. Brasil), Gira·Solum Galerias, Holidaypet PetHotel (Anobra), Rações Coimbra (Antanhol), União Freguesias Coimbra – Sé Nova, Santa Cruz, Almedina, São Bartolomeu (sede e qualquer delegação), RMP- Refrigeração e Climatização (Figueira da Foz);

UNICEF via MBWay, depósito bancário ou correio. Todos os detalhes estão disponíveis aqui;

Delegação de Coimbra da Cruz Vermelha Portuguesa vai fazer parte de uma missão rumo ao país e aceita donativos em dinheiro. A informação e dados bancários estão aqui; Loja CTT da Avenida Fernão de Magalhães recebe, até 8 de Abril, todo o tipo de vestuário e donativos. Basta pedir uma Embalagem Solidária, colocar o donativo e o envio é gratuito;

Sport Lisboa e Benfica em Coimbra, na Estrada da Beira, 367, Alto São João, recebe donativos até ao final do mês de Março, em forma de alimentos não perecíveis;

Cáritas aceita donativos em dinheiro através do Fundo de Emergências Internacionais e o IBAN: PT50 0033 0000 01090040150 12;


Casa da Esquina recebe, dias 28 de Março e 4 de Abril, entre as 19h e as 21h, enlatados de longa duração (atum, feijão, grão de bico, etc), produtos de higiene (pensos higiénicos, tampões, sabão, fraldas etc), e produtos de tratamento de água. 

De acordo com a informação divulgada no site, a UNICEF , que tem profissionais no terreno, diz que é preocupante o facto de as inundações, aliadas às condições de sobrelotação nos abrigos, a falta de higiene, as águas estagnadas e as fontes de água infectadas, criarem as condições para uma rápida propagação de doenças como a cólera, a malária e adiarreiaSegundo as avaliações iniciais na Beira mais de 2.600 salas de aula foram destruídas, 39 centros de saúde sofreram graves danos e pelo menos 11 mil casas foram totalmente destruídas.

De acordo com as autoridades moçambicanas, nomeadamente o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC), o número de pessoas afetadas pelo ciclone já é de 797 mil, sendo que este total de pessoas afetadas não significa que estejam em risco de vida, mas que perderam as casas ou estão em zonas isoladas a precisar de assistência.

*Informação actualizada às 18:00 do dia 26 de Março, 2019
 

 

 

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.