PASSEIOS

Este condomínio de luxo não tem 5 estrelas mas tem 500 repuxos

Natureza, sossego e um passeio pela História ao ar livre em Conímbriga e Condeixa-a-Velha.

Mansões ajardinadas, corredores com tapetes de mosaico, um fórum, um anfiteatro, termas públicas e privadas, uma basílica e a enorme residência aristocrática onde podem ver 500 (sim, 500) pequenos jactos de água a funcionar no jardim interior – o que já de si seria extraordinário, não fosse o pormenor de terem sido feitos há quase 2 mil anos.

Conímbriga era um autêntico condomínio de luxo na Era do Império Romano, requintadamente protegida por uma gigantesca muralha, tão forte que partes ainda se mantém de pé séculos e séculos depois. A visita à antiga povoação é um passeio que pode ser tão didático como glamoroso, depende da perspectiva, rematado com um lanche ao sol no terraço da cafetaria ou atacando a marmita que levarem de casa no parque das merendas. 

Abertas ao público desde os anos 30, as ruínas da povoação que foi habitada, pelo menos, entre o séc. 9 a.C. e os séculos 7 e 8 da nossa Era, são um importante monumento nacional e um museu ao ar livre de vestígios das civilizações que nos antecederam. Como a romana, que transformou Conímbriga numa cidade bem próspera, daí toda a riqueza que se nota graças ao notável estado de conservação do urbanismo antigo e belíssimos mosaicos.

curiosidades interessantes para, por exemplo, mostrarem aos miúdos. Desde as cruzes suásticas, que para os romanos eram símbolo de boa sorte, ao Labirinto do Minotauro. Esse está no Museu Monográfico que está cheio de outros artefactos encontrados nas escavações arqueológicas, como objectos de uso quotidiano, dispostos por tema. O Museu evoca o forum monumental, a riqueza das domus, a pujança do comércio, a religião e crendices da população romanizada e a presença suevo-visigótica.

Também podem aproveitar para contar histórias como a do nome de Coimbra, afinal, consta que é por causa de Conímbriga que a antiga Aeminium mudou de nome. Mais precisamente por causa do bispo e respectiva cúria episcopal que, quando se mudou para a beira rio Mondego, e de tanto os chamarem de gentes de Conímbriga, o nome acabou por pegar, reduzido em algumas letras.

Contaram-nos a história no Museu PO.RO.S. que, como dissemos aqui, é o melhor aperitivo para este passeio. Conímbriga fica a sensivelmente 15 a 20 minutos de carro de Coimbra, a poucos quilómetros de Condeixa-a-Nova. Basta seguirem em direcção a Condeixa-a-Velha e vão ver as indicações. Se puderem, aproveitem para ter outra perspectiva das ruínas e explorem também essa pequena localidade.

Se quiserem ir a Conímbriga de transportes públicos, há autocarros a partir de Coimbra diariamente. Têm aqui os horários, a viagem demora cerca de 45 minutos e custa 2,60€. Também há ligação gratuita desde o Museu PO.RO.S. às 16h. O bilhete de entrada nesse museu dá direito a 20% de desconto na entrada em Conímbriga.

 

CONÍMBRIGA
Ruínas e Museu Monográfico – Condeixa-a-Velha
Site
Horário: 2ª a 
Dom | 10h – 19h
Encerrado a 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro
Preço: 4,5€ (com descontos)

 

 

Um comentário

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.