Podem ir dar amor aos 16 valentins e valentinas da Casa Acreditar

O cancro é democrático. Não tem género nem nacionalidade, nem idade, nem nada. Datas como o Dia Internacional da Criança com Cancro, 15 de Fevereiro, continuam a ser uma oportunidade de mostrar que o cancro infantil existe, não é uma doença de adultos, disse-nos Filipa Carvalho, coordenadora de comunicação da Casa Acreditar de Lisboa, a primeira a ser construída no país. E mais: é de origem desconhecida.

É importante que nem as crianças nem os pais se sintam culpados ou achem que fizeram algo de errado porque, ao contrário do cancro nos adultos, as causas não são conhecidas, são causadas por alterações genéticas, por exemplo, por isso não pode haver responsabilização. Também não existem propriamente factores de risco, mas há coisas a que os pais podem estar atentos.

Casa da Acreditar de Coimbra, onde estão actualmente 16 crianças e jovens e respectivas famílias, vai estar aberta a toda a comunidade dia 14 de Fevereiro das 12h às 20h para comemorar o 9º aniversário. É um Open Day para quem quiser conhecer o espaço e o projecto, e oferecer Amor no dia dele. Além disso, Filipa Carvalho explicou-nos como é que vocês podem ajudar nos outros 364 dias do ano:

PODEM DAR: 

  • Alimentos como leite, farinha e óleo
  • Brinquedos novos – neste momento puzzles, em particular
  • Cola líquida para trabalhos manuais
  • Resmas de papel de impressora
  • Colheres de sobremesa de inox

PODEM SER VOLUNTÁRIOS: 

Duas vezes por ano a Acreditar faz recrutamentos de voluntários, que recebem formação e estágios. Em Coimbra a situação não é a ideal porque a maioria são estudantes e por isso não há continuidade. Queremos criar relações mais duradouras com as famílias por isso está subjacente a ideia de compromisso, explicou-nos Filipa Carvalho. Se forem de Coimbra ou arredores e tiverem disponibilidade já sabem, há quem precise de vocês. Também há este projecto específico para profissionais da área da Educação e Desenvolvimento.

PODEM APOIAR OS SOBREVIVENTES:

A Acreditar trabalha com os chamados sobreviventes, ou seja os jovens que estiveram doentes e sofreram todas as consequências e danos emocionais que isso acarreta. A Acreditar apoia a reintegração desses jovens na sociedade, como a procura de emprego, por exemplo. Esquecemo-nos muitas vezes do depois e os sobreviventes lutam pelos interesses deles, no acesso aos seguros de saúde, por exemplo, disse-nos a responsável da Acreditar. Conhecem sobreviventes? Não hesitem em dar-lhes uma mão. Além disso, caso trabalhem em escolas ou empresas saibam que o pessoal da Acreditar está disponível para se deslocar aos vossos locais de trabalho e desmistificar tudo o que está relacionado com o cancro e tirar dúvidas.

 

São diagnosticados 400 novos casos de cancro em crianças até aos 18 anos por ano em Portugal. Segundo Filipa Carvalho nos elucidou, a taxa de cura ronda os 80% o que, não sendo ideal, é bom e mostra que o país está ao nível do resto dos países da Europa em termos de tratamento e incidência. De resto, Portugal tem acordos com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa de forma a apoiar as crianças que não têm a mesma sorte, sobretudo porque o momento da detecção é muito importante e nos países africanos ela é muito mais tardia por falta de conhecimento.

 

ACREDITAR (COIMBRA)
Rua Camilo Pessanha, 2 (junto ao Hospital Pediátrico) – Coimbra
Site
Horário: 2ª – 6ª | 9h às 18h
Contactos: 239 482 027 | 91 230 49 83 | 239 482 386 |  acreditar_nrc@acreditar.pt

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.