Sabemos de um sítio onde vale mesmo (mesmo!) a pena ir comer

O Académico Café é um clássico da Praça da República mas talvez muitos o associem apenas às noites de cerveja na mão. A verdade é que o negócio passou para as mãos do Pedro Serra há quase 4 anos. O Pedro é um músico da cidade (e dj e compositor e empreendedor e outras tantas coisas!) que absorveu muito do que viu e experimentou por esse Mundo fora, nas suas digressões e passeios em países como a Bélgica e a Alemanha. Agarrou a oportunidade de explorar o espaço porque achou que era preciso apostar na cozinha e nuns comes e bebes.

A experiência que eu tinha era do lado de cá do balcão mas acreditem que sou muito observador e acho que sei o que é preciso para que o cliente se sinta bem nesta casa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Almoçámos ao som de uma conversa animada com o Pedro e a Cátia Melo que adoram comida e falam com aquele entusiasmo de quem quer servir aos outros pratos que dão vontade de lamber os beiços e de repetir vezes sem conta.

O forte da casa são as tostas: a Bacon Hot (a famosa tosta de bacon, alioli, queijo e malagueta em pickle) e a Pepperonni Hot (uma pizza numa tosta com pepperoni, queijo, ovo estrelado e pimentos) são as favoritas dos habituais (e chegaram a ser-nos indicadas como uma das 100 razões que nos fazem gostar de Coimbra). Custam 4,20€ (ou 5,50€ se optarem pelo menu com batata frita) e só dizemos coisas boas: pão saboroso, recheio mesmo bom e generoso. Seguimos a sugestão do Pedro e acompanhámos com a cerveja Portuguese Pedro, produzida em parceria com a Praxis.

Uma puxa a outra: a cerveja faz ressair o sabor da tosta; depois, quando voltas à tosta, parece que ganha ainda mais paladar.

Mas o Académico também apresenta opções vegetarianas bem apetitosas (não conseguimos decidir de qual gostámos mais): podem escolher o hamburguer veggie vegetariano ou o vegan. O primeiro é feito com uma pasta de grão de bico, cominhos, salsa, pimenta e reage como a massa dos sonhos: vai a fritar, aumenta e fica fofa, (tem ovo). É servido com tomate, alface, maionese de lima e gengibre e rebentos. O vegan consiste numa pasta de feijão preto, aveia, cebola caramelizada, pimento, azeite, noz moscada, pimenta e é complementado com maionese vegan, rúcula e rodela de tomate.

A ementa muda duas vezes por ano, para que o palato acompanhe o tempo lá fora. A chuva e o frio estão mesmo a pedir uns pratos especiais de Inverno: a sandes de rojão (porque a Cátia é de Famalicão), a tosta chili & cheese ou o hambúrguer de alheira com ovo e grelos. Só os nomes fazem crescer água na boa, não é? A costela da Beira Alta (Celorico da Beira) fez com que fosse incontornável ter boa alheira e morcela no cardápio.

Pelo meio, a Cátia diz que o ketchup é o melhor do mundo: Paladin, feito em Portugal, não há nada melhor para acompanhar as batatas fritas.

A carta conta ainda com uma variedade de petiscos como o entrecosto assado com molho barbecue, ovos rancheiros (para beber cerveja, é o melhor que existe), ovos rotos com presunto, rojões à minhota e moelas tradicionais.

Quando chegámos às sobremesas, o Pedro disse-nos que entregou o pelouro à criatividade da Carla, uma cozinheira de mão cheia que teve total carta branca para as pensar e propôr. Pedro, que decisão tão acertada: as sobremesas são de cair para o lado. Provámos o cheesecake caseiro (3€) e achámos que estava delicioso, passámos para umas colheradas da delícia de oreos e morangos (3,50€) e os estômagos suspiraram de felicidade mas quando experimentámos a taça banoffee de banana (3,50€) sentimos que a experiência foi realmente especial. Aliás, há quem visite o Académico todos os dias só pelo bar de sobremesas – compreendemos, não criticamos o excesso de açúcar e talvez comecemos a fazer exactamente o mesmo!

Não há ali grandes truques nem a necessidade de impressionar: a carta é despretensiosa mas muito equilibrada, a cozinha é genuína e o atendimento muito eficaz. Percebemos que há muita atenção ao detalhe (no design dos menus, por exemplo) e vontade de proporcionar uma experiência boa e honesta. Se acham que vão encontrar o mesmo ambiente de dia e de noite, desenganem-se: de dia não há fumarada, come-se tranquilamente e o serviço é muito rápido.

E porque não há nada perfeito, o estacionamento pode desanimar-vos na altura de escolherem ir lá petiscar mas, vão por nós, vale bem a pena.

Só podemos dizer: obrigada, Pedro. Só para terem uma ideia, foi daquelas refeições em que, mesmo quando já não parecia possível, encontrámos sempre mais um bocadinho de espaço na barriga para provar tudo o que nos colocaram à frente.

*A Coolectiva experimentou os pratos mencionados a convite do Académico Café

ACADÉMICO CAFÉ
Praça da República, Coimbra
Horário: 2ª – 6ª: das 11h às 03h | Sáb: das 12h às 03h | Dom: das 15h às 02h
Contactos: 239 826 796, cafeacademico.geral@gmail.com

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.