COOLTURA

3 dias, 6 espectáculos para verem em Coimbra

Até Sábado há música, poesia e artes performativas no primeiro Linha de Fuga em vários espaços da cidade

5ª FEIRA

8 NOVEMBRO | 22H – 23H30 | DECLAMAR POESIA NO SALÃO

Evento de entrada livre no Salão Brazil, dinamizado por um colectivo de cinco diseurs de poesia (Catarina Matos, Lurdes Telmo, Olga Coval, Rui Amado e Vanda Ecm). Para cada sessão é definido um tema e apresentado um alinhamento inicial de poetas e poemas. Segue-se um período de microfone aberto ao público para quem queira ler poemas próprios ou alheios. Nesta sessão o tema é o Fogo e estão todos convidados.

Salão Brazil – Largo do Poço 8, Coimbra
Entrada livre

8 NOVEMBRO | PIANORQUESTRA

É uma estreia em Portugal de 10 mãos e um piano preparado. É essa a proposta dos brasileiros da PianOrquestra, grupo singular que toma o piano como um quase infinito universo de possibilidades. O grupo que garante produzir música instrumental brasileira como nunca ninguém viu ou ouviu inclui o consagrado pianista Claudio Dauelsberg que se apresenta ao lado das também pianistas Mariana Spoladore, Priscila Azevedo e Anne Amberget além da percussionista Masako Tanaka. Em Coimbra, convida Luísa Sobral para com eles subir ao palco num espectáculo que promete muitas emoções fortes e algumas surpresas. A premiada cantora e guitarrista terá a oportunidade de revisitar alguns acarinhados momentos do seu repertório com um acompanhamento inédito, surpreendente e até divertido.

Convento de São Francisco, Coimbra
Bilhetes: 12 a 15€

6ª FEIRA

 

9 NOVEMBRO | 22H30 | SENZA

SENZA comporta uma mensagem de profunda união, não só na estética musical, como cultural. É um projeto musical criado por Catarina Duarte e Nuno Caldeira depois de uma viagem de três meses à Ásia. Na sonoridade das canções é possível reconhecer o encontro de estilos musicais e sonoridades dos diversos países de Língua Portuguesa. Um estilo musical a que chamam fusão-lusófona. A presença de influências musicais de Portugal, Brasil, Cabo-Verde e outros países de Língua Oficial Portuguesa faz de SENZA um produto unificador da lusofonia, com potencial para divulgação da Língua e Cultura Portuguesas. Ouçam aqui o tema Goa com a participação de Rão Kyao.

Oficina Municipal do Teatro – Rua Pedro Nunes, Coimbra
Preço: 5€

 

9 NOVEMBRO | 22H | BEST YOUTH DEMO TAPES II (Cherry Domino)

Há dois anos, com o disco Highway Moon, os Best Youth visistaram o Salão neste formato Demo Tapes. Regressam agora após o lançamento de Cherry Domino com novo disco, novas canções, novas histórias.

Salão Brazil – Largo do Poço 8, Coimbra
Bilhetes: 8€
.

.

SÁBADO

 

10 NOVEMBRO | 21H30 | FERNANDO CUNHA 

Apresentação das novas canções e revisitação de clássicos dos Delfins. O título do novo trabalho em nome próprio de Fernando Cunha reflecte aquela que tem sido, afinal de contas, a maior constante da sua vida: a sua guitarra tem tocado e muito nos últimos 30 anos, tendo marcado a moderna história da música portuguesa, primeiro com os Delfins, grupo de que foi membro fundador e com que se estreou em álbum em 1987, depois com os Resistência, histórico colectivo de que foi igualmente instigador de primeira hora. Fernando Cunha não foi apenas um músico dos Delfins: como co-compositor de boa parte dos clássicos do grupo e produtor de parte significativa da sua discografia, Cunha foi responsável, ainda que não único, por uma sonoridade que alcançou amplo sucesso no nosso país, gerando alguns dos maiores clássicos do nosso cancioneiro colectivo, temas que se mantêm vivos nas memórias das pessoas e nas playlists das rádios. A Guitarra A Tocar é um trabalho de reflexão do músico e uma oportunidade para cumprir sonhos, como musicar poemas de Fernando Pessoa e reunir músicos de que é admirador confesso.

Convento de São Francisco – Av. da Guarda Inglesa, Coimbra
Bilhetes: 8€

 

10 NOVEMBRO | 22H | SIGNOR BENEDIKT THE MOOR X DAISY X ÂNGELA POLÍCIA 

Signor Benedick the Moor é um rapper da Califórnia, conhecido pela abordagem experimental, desrespeito pelas fronteiras de géneros musicais e concertos onde abunda a energia. SB editou pela Deathbomb Arc, uma label underground que edita cassetes e que tem no seu catálogo os Death Grips, clipping. e JPEGMAFIA. O mais recente trabalho de SB para a Deathbomb chama-se cybr.pnk//mnfst.dstnii, com temas retirados de duas mixtapes e incluindo colaborações com Jonathan Snipes (clipping.) e Daveed Diggs (clipping., Hamilton). Os Daisy Mortem são banda sonora de um sonho erótico. Acabaram de editar o primeiro EP La vie c’est mort, onde cantam obsessões sombrias, ao mesmo tempo vão apresentando os temas do primeiro longa duração. Ângela Polícia é de Braga e em 2015 começou a organizar as ideias, letras e batidas que há algum tempo vinha a criar. Em 2016, foi convidado pelos Conjunto Corona para fazer a 1a parte do seu concerto, na apresentação do álbum Cimo de Vila Velvet Cantina. Em 2017, estreia pela Crate Records de Razat, o álbum Pruridades, onde mistura vários movimentos musicais como o Hip-Hop, Dub ou Punk. Tem óptima aceitação por parte da crítica. Â.P. purga os teus tormentos através da sua lírica crua, interventiva e lunática. As suas batidas são sónicas, malaicas e fora da caixa. Em 2017, deu concertos no ViraPop, gnration, Sabotage, Café AuLait, Alma Eléctrica e Aveiroshima, abrindo para artistas como Shabazz Palaces, Cachupa Psicadélica, Scúru Fitchadu, Holy Nothing, Estado de Sítio, entre outros. Além disso, ainda organiza eventos no underground da sua cidade com o seu colectivo artístico Projéctil.

Salão Brazil – Largo do Poço 8, Coimbra
Bilhetes: 5€

 

Lembrete

mistermiss_O.Fryszowski

Não se esqueçam que a partir de dia 9 têm o festival/laboratório de artes performativas Linha de Fuga a acontecer em vários locais da cidade.

Bons espectáculos!

 

 

 

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.