COOLTURA

Ajudem este Requiem pelas Florestas Portuguesas a fazer-se ouvir

Jovem compositora está a angariar apoios para o projecto dedicado à causa dos fogos e às vítimas dos incêndios do ano passado em Portugal

É uma causa que deixou de ser apenas nossa e que tocou, e inspirou, uma jovem estrangeira enquanto visitava o país. Martina Vídenová é checa e ficou de tal maneira tocada pela tragédia dos incêndios florestais no ano passado, sobretudo na região Centro, que compôs um Requiem pelas Florestas Portuguesas.

O Requiem é uma missa para os mortos, oferecida para o repouso da alma de uma ou mais pessoas falecidas, e é frequentemente (mas não necessariamente) celebrada no contexto de um funeral. Foi por isso que foi escolhido pela jovem compositora de música clássica e musicóloga, que o dedica não só às florestas portuguesas como às vítimas e familiares das vítimas dos incêndios. O projecto Home Is The Place Where Fire Burns (Casa É Onde O Fogo Arde, numa tradução livre) inclui um vídeo, que está a ser gravado a preto e branco nos locais afectados pelos fogos, exposições, e vai ser lançado em disco. Mas para isto tudo, são precisos apoios.

Neste link encontram toda a informação e podem contribuir para o crowdfunding de Martina, que quer usar a arte para alertar para o flagelo dos fogos florestais, contra a passividade e indiferença, incentivando a procura de novas formas de activismo ecológico e social através da arte e, ao mesmo tempo, promovendo a música clássica contemporânea e a criação de novos públicos e novos formatos. O dinheiro é para pagar os músicos, equipamento, produção, transporte e logística.

O tema é interpretado principalmente por membros da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música e do Coro Casa da Música, dirigidos por Jan Wierzba. O vídeo é de Yvon TeysslerováLuís Rosa Lopes e João Sousa.

Se quiserem ver e ouvir um bocadinho do que já foi feito têm aqui a reportagem da SIC Notícias.

REQUIEM ÀS FLORESTAS PORTUGUESAS
Site oficial 
Contactos: marci.v@seznam.cz

 

 

 

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.