COOLTURA

Este livro é um tributo de amor a Coimbra e não é só elogios

"Coimbra em Palavras" (2018) acaba de ser lançado pela editora Aquarela Brasileira Livros e reúne textos de autores dos 7 cantos do mundo com a cidade e a expressão portuguesa em comum

A ideia foi de Wagner Merije. O activista cultural e criador multimédia envolvido com projetos ligados à música, literatura, cinema/vídeo, fotografia, dança, teatro e educação, actualmente doutorando em Literatura Portuguesa na Universidade de Coimbra (UC), acha a cidade incrível e cheia de histórias. Por isso, e por amor à literatura, quis pôr em livro as lembranças e reflexões de quem nasceu, viveu ou simplesmente passou por aqui. Ao todo, 34 autores de 5 continentes meteram Coimbra em Palavras (Aquarela Brasileira Livros, 2018) para celebrar a cidade e os encontros que proporciona.

Coimbra merece, é uma cidade que por tudo o que se passou e ainda se vai passar é uma das mais importantes do mundo quando se fala em conhecimento, disse o organizador da colectânea na apresentação da obra, no passado dia 2, na Casa da Escrita. É um livro que olha para Coimbra com amor e respeito mas também criticismo, propondo um diálogo de construção de novas realidades, uma proposta de novas informações que geram novas realidades e isso é literário demaismuito rico para nós que gostamos de literatura, continuou Merije.

José Augusto Cardoso Bernardes, Professor de Literatura Portuguesa na Faculdade de Letras de Coimbra, assina o prefácio. É um tributo de amor, disse o também Diretor da Biblioteca Geral da UC, e por isso mesmo nem tudo é lisonjeiro. Há registos menos positivos mas, como todos sabemos, um tributo de amor envolve desgosto, lacrimónia e censura, descreveu o académico que já publicou estudos sobre autores canónicos da Literatura Portuguesa. Aliás, este Coimbra em Palavras inclui textos de Camões, Eça de Queirós, Florbela Espanca, Gregório de Matos, Gonçalves Dias e Tomás Antônio Gonzaga.

A cantora e compositora Adriana Calcanhotto, Embaixadora da Universidade de Coimbra e Embaixadora da Poesia Portuguesa no Brasil, assina o posfácio da obra; Élia Ramalho a capa e um poema. A artista plástica diz que o escreveu precisamente durante o Curso de Formação Como Escrever Canções, leccionado por Calcanhotto na UC no ano passado, um ano que Ramalho diz que ficou marcado pelo contacto com a comunidade de estudantes brasileiros – os tais 10% que têm um impacto muito notável.

Coimbra em Palavras faz parte de uma colecção da Aquarela Brasileira Livros, editora sediada em São Paulo que chega agora a Portugal, e que apresenta histórias afectivas de cidades, estados e países, pela visão e sentidos de quem vive e se reconhece em suas ruas, casas, esquinas e bares. O livro vai ser apresentado no dia 13 de Outubro em Lisboa, na livraria Tigre de Papel, e Wagner Merije deixou um recado: Que não paremos por aqui, né? Que quem começou agora [a escrever sobre Coimbra] e quem já estava na estrada continue, porque acho que a literatura é fundamental na vida de todos nós e na vida da Humanidade, e se a gente continuar sensibilizando as pessoas, provocando o diálogo saudável, vamos sair todos melhores das leituras. 

COIMBRA EM PALAVRAS
Aquarela Brasileira Livros
Site oficialFacebook 
Contacto: faleaquarela@gmail.com

One comment

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.