Vamos à antestreia do filme “Pedro e Inês” em Coimbra?

Assim as mulheres passam umas às outras a sua teia ancestral de seduções, subentendidos, receitas que hão-de prender os homens pela gula, a luxúria, a preguiça e todos os pecados capitais, é por isso que elas nunca querem os santos, os que não se deixam tentar, os que resistem à mesa, à indolência, à cama, à feitiçaria dos temperos, ao sortilégio das carícias, à bruxaria das intrigas. Rosa Lobato Faria imaginou e escreveu em A Trança de Inês (2001), e agora António Ferreira transformou em filme. Mas não, apesar de ter base no amor trágico do Infante D. Pedro e Inês de Castro, o romance não é (apenas) histórico, também é moderno e até futurístico, contado em três tempos – na época medieval, na actualidade, e num futuro idealizado em que as pessoas regressam ao campo vindas da cidade.

Pedro e Inês estreia a 18 de Outubro nos cinemas nacionais. Demorou 10 anos a ser concretizado pelo realizador, que é de Coimbra, e, como tal, já estava farto de ouvir falar na incontornável tragédia de amor. Até ler o livro. A longa-metragem é uma coprodução de três países – Brasil, França e Portugal -, contou, só em Coimbra, com cerca de mil figurantes, e foi filmada em sítios como a igreja da Sé Velha e a Quinta das Lágrimas, o Castelo de Montemor-o-Velho e a Quinta do Chalé e aldeia de Cerdeira, na Lousã.

Diogo Amaral e Joana de Verona são os grandes protagonistas e há mais nomes bem conhecidos do cinema, teatro e televisão como Vera Kolodzig, Custódia Gallego, Cristóvão Campos, João Lagarto e Miguel Borges. Eles vão estar na antestreia, com toda a pompa e circunstância, dia 14 de Outubro no Teatro Académico Gil Vicente.

Querem ir? Temos um convite duplo para oferecer. Partilhem este artigo na vossa página do Facebook e mandem-nos numa mensagem o episódio ou gesto de amor mais bonito que já vos fizeram. Mandem aqui pelo Facebook ou escrevam em baixo na caixa de comentários deste artigo, pode ser só uma frase ou duas. Anunciaremos o vencedor no dia 10 de Outubro.

Boa sorte!

14 OUTUBRO | 18H | ANTESTREIA PEDRO E INÊS, DE ANTÓNIO FERREIRA
Teatro Académico Gil Vicente – Praça da República, Coimbra
Site | Facebook |
Maiores de 14 anos
Bilhetes: 7€ (5€ estudante, > 65) na bilheteira do TAGV BOL
Contactos: 239 855 630 | bilheteira@tagv.uc.pt

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Nícia
24.09.2018

Sem duvida nenhuma que o gesto mais bonito que fizeram por mim por amor foi o meu namorado ter saído do Porto, a sua cidade natal, e vindo para Coimbra comigo porque ganhei uma bolsa na universidade. Ao colocar-me como prioridade máxima acabou por ser um gesto do qual me vou esquecer! ❤️

RUI JOSÉ DE OLIVEIRA FÉLIX AMADO
25.09.2018

A coisa mais bela e amorosa que uma amante me proporcionou foi a estampagem de flores naturais num vestido para ficar com aroma de Primavera em pleno Inverno quando o tirasse

    Coolectiva
    10.10.2018

    Boa tarde, Rui. Parabéns, foi o vencedor do nosso passatempo, ganhou o convite duplo para a antestreia do filme “Pedro e Inês”. Convidamo-lo a passar pela nossa redacção para levantá-lo até sexta-feira, dia 12, entre as 9h e as 17h.

Licinia
26.09.2018

A maior prova de amor……Nos anos 70 o meu namorado/marido hoje, ia namorar-me à aldeia, unico transporte era o comboio q ficava a meia hora a pé da estação. De noite havia poucos comboios, dormia nos bancos da estação até poder viajar.

01.10.2018

O gesto mais bonito que o meu namorado me fez foi quando acabou o secundário. Ele vivia na Guarda desde sempre com os pais e veio de comboio à procura de emprego em Coimbra. Ele alugou um apartamento, para poder estar comigo todos os dias! <3

Sofia Rato
02.10.2018

O mais belo gesto de amor que por mim fizeram foi deixarem-me ir. Porque o egoísmo que temos quase intrinsecamente, obriga-nos a querer que alguém seja nosso. Mas não somos de ninguém. Agradeço para sempre à pessoa que, apesar de me amar, me deixou seguir o meu sonho.