COOLTURA

Espreitem as casas de arquitectos, artistas e designers e descubram a vida e obra de um em particular por estes dias em Coimbra

Até ao fim do mês podem ver uma exposição sobre Delfim Amorim e o resultado de um interessante desafio lançado a 21 arquitectos, artistas e designers de retratar as próprias casas

Dizem que Delfim Amorim (1917-1972) não foi um arquitecto conhecido, mas foi muito importante, sobretudo porque levou referências portuguesas para o Brasil, onde viveu, e foi contemporâneo de grandes arquitectos portugueses, como Fernando Távora. No Círculo Sereia do Círculo de Artes Plásticas de Coimbra (CAPC) está uma exposições que é uma proposta de percurso à obra dele. Delfim Amorim: Uma visita à sua obra retrata diversas dimensões da carreira de Amorim, peças de mobiliário desenhadas pelo próprio e uma sala dedicada aos painéis de azulejo em edifícios no Brasil, onde morreu, em 1972.

Luiz Amorim, José António Bandeirinha, Luís Miguel Correia, Carolina Coelho e Bruno Gil são os curadores da mostra, e entendem que a arquitetura de Amorim é de hoje e sobremodo que o seu pensamento decerto a todos motivará uma leitura e revisão atentas. A exposição, organizada pelo CAV, o Dep. de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, a Biblioteca Municipal Rocha Peixoto da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, o Programa de Pós-Graduação e Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco e o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Paraíba. inclui a projecção do filme Quarteto Simbólico, de Josias Teófilo, com Geraldo Gomes, Guilah Naslvsky e Luiz Amorim.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Já na exposição Retrato(s) da minha casa, no Círculo Sede, podem ver retratos das casas de 21 arquitectos, artistas e designers no seu edifício sede, classificado em 2016 de monumento de interesse público. A mostra surgiu inicialmente como resposta ao desafio lançado pela 20.ª Semana  Cultural da Universidade de Coimbra, que este ano tinha o tema Oh as casas, e resulta do convite de Désirée Pedro e Luís Miguel Correia a 21 arquitectos, artistas e designers para pensar a casa-património, a casa-corpoe a casa-mundo e partilharem as respectivas perspectivas.

Os retratos estão agora na intimidade da casa do CAPC, para onde foram pensados e, de acordo com os curadores, vão despertar-nos emoções e lembrar memórias que, jular-se-iam, idas e tão-só nossas. A exposição contou com António Belém Lima, António Olaio, Bruno Gil, Carlos Antunes, Gonçalo Canto, Moniz, Joana Monteiro, João Bicker, João Mendes Ribeiro, Joaquim Almeida, Jorge Figueira, José António Bandeirinha, José Cabral Dias, José Maçãs de Carvalho, Lizá Defossez Ramalho e Artur Rebelo – R2, Luís Quintais, Maria Gambina, Maria, Milano, Paulo Seco, Pedro Maurício Borges, Pedro Pousada e Teresa Pais.

 

ATÉ 29 SETEMBRO | DELFIM AMORIM: UMA VISITA À SUA OBRA + RETRATO(S) DA MINHA CASA
Círculo Sereia
Casa Municipal da Cultura – Piso -1, Parque de Santa Cruz, Jardim da Sereia,
Círculo Sede
Rua Castro Matoso, n.º 18
Horário: Ter a Sáb 14 – 18h
Contacto: geral@capc.com.pt | 910 787 255 | Facebook

 

 

 

One comment

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.