COMPRAS ECO

1 Milhão de euros para quem queira revolucionar a indústria da moda

H&M lança programa de inovação de 1 milhão de euros. O prazo de candidatura termina a 17 de Outubro.

Ir às compras e investir em moda significa, hoje, algo muito diferente de há umas décadas atrás. Se o fenómeno da chamada fast fashion contribui para a democratização da moda, também traz sérias preocupações ambientais: o vestuário acaba muitas vezes em aterros, sem ser reaproveitado.

De maneira a pensar e desenvolver um modelo circular, em que os materiais podem ser reutilizados ou reciclados, a fundação sem fins lucrativos H&M Foundation abriu a 4ª ronda do seu evento de inovação anual: o Global Change Award. O objectivo deste programa é investir 1 milhão de euros e um programa de coaching em ideias que reinventem toda a indústria da moda.

Com mais de 8000 inscrições de 151 países desde 2015, esta é uma importante competição no que diz respeito à chamada inovação circular. Concede um financiamento substancial e um ano de coaching aos inovadores que criarem soluções que ajudem a proteger o planeta e as nossas condições de vida, num esforço de mudança no sentido de uma indústria da moda circular.

Este ano haverá uma particular atenção às ideias no sector da inovação digital que podem ter um impacto significativo na eficiência, planeamento e utilização de recursos – desde a produção da matéria prima até ao fim de vida da peça.

A digitalização tem o potencial de causar disrupção na raiz, reinventar a forma como as coisas são feitas e ajudar os produtores, vendedores e clientes a tornarem-se circulares. (Erik Bang, Innovation Lead na H&M Foundation)

O período de candidatura estará aberto até 17 de Outubro. Um júri internacional, com um vasto conhecimento nas áreas da moda, ambiente, circularidade, empreendedorismo e inovação, irá seleccionar os 5 vencedores que serão galardoados na Grande Cerimónia de Prémios, na Câmara Municipal de Estocolmo, em Abril de 2019.

Os vencedores anteriores apresentaram ideias relacionadas com técnicas, métodos e tecidos inesperados e que mostram uma amplitude incrível de possibilidades de inovação e de que forma esta pode desbloquear soluções para grandes mudanças.

Desde logo, a Crop-A-Porter lembrou-se de criar biotêxteis sustentáveis utilizando sobras de colheitas de alimentos. A The Regenerator pretende recircular a moda através da separação das misturas de algodão e poliéster, convertendo-as numa nova fibra têxtil. A Algae Apparel está a transformar algas em biofibra e tintas ecológicas que são também benéficas para a pele. A Smart Stitch quer utilizar um fio de fácil dissolução que torna a reparação e a reciclagem muito fáceis. A General Information Fungi Fashion irá comercializar roupas feitas à medida a partir de raízes de cogumelos degradáveis.

Ideias boas, quem tem?

 

ATÉ 17 OUT | GLOBAL CHANGE AWARD 2019

Informações: https://globalchangeaward.com

 

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.