Nesta exposição, os visitantes produzem som enquanto se mexem. Intrigados?

Rudolfo Quintas encontrou uma ponte entre a linguagem corporal e a representação sonora que propõe aos visitantes construírem os seus retratos e autorretratos – e ainda vão a tempo de experimentar!

De que maneira a forma como nos movemos e como comunicamos com o corpo pode traduzir-se num retrato sonoro? Como compor música para um corpo no espaço, e em que sentido essa composição altera a perceção do próprio corpo e do espaço? Estas são algumas questões que o artista coloca neste trabalho, demostrando a singularidade da expressão corporal de cada um de nós.

This slideshow requires JavaScript.

Rudolfo Quintas desenvolve projectos multidisciplinares no âmbito da new media art/artes digitais e cria instalações audiovisuais interactivas na intersecção da performance e software art. A reflexão sobre a expressão do corpo na prática da composição sonora e visual, através da programação generativa e interactiva do software que desenvolve, é uma presença constante no seu trabalho. Tem apresentado os seus projectos em galerias, centros culturais e festivais de arte, em Portugal e no estrangeiro. Recebeu o Transmediale Distinction Award, pelo festival de arte e cultura digital Transmediale em Berlim, entre outros prémios e bolsas. O seu trabalho encontra-se publicado em jornais de investigação e edições de arte.

Esta exposição inclui-se na programação da iniciativa Dar a Ouvir. Paisagens Sonoras da Cidade, co-organizada pela Câmara Municipal de Coimbra/ Convento São Francisco e o Serviço Educativo do Jazz ao Centro.

 

ATÉ 2 SET | 15H | PRÉSENCE de RUDOLFO QUINTAS

Convento S. Francisco

Entrada gratuita

Contactos: 239 857 191, bilheteira@coimbraconvento.pt

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.