FIT MIÚDOS

M de Mãe e de quê mesmo?

Lara LimaLara Lima
Directora BmQ, Terapeuta e Coach
lara@bmqbylaralima.com

 

 

 

Olá de novo. De Mãe para Mãe, digo-vos, antes de mais, que me sinto MUITO orgulhosa por conseguir MANTER o propósito de escrever estas crónicas, e MAIS orgulhosa ainda por MERECER o vosso tempo para lerem estas linhas. Em 2000, quando comecei a trabalhar com Mamãs, estava longe de conhecer a quantidade de palavras começadas por M que ser Mãe trazia consigo. Na verdade, até me parecia uma palavra bem pequena, com três letrinhas apenas. Não foi sequer em 2012, quando se iniciou a minha jornada no Maravilhoso Mundo da Maternidade, que se fez o caminho na direcção da biblioteca, mas sim este ano quando, como finalista, a minha filha teve de fazer um trabalho sobre a Mãe e juntas acabámos por descobrir o Mundo dos emes, bem semelhante à linguagem dos pês – irritante para quem desconhece, impossível para quem não entende e viciante para quem fala.

# M de MAIS e de MENOS

Ser Mãe é ser MAIS. Mais quilos na gestação, mais copa por causa da amamentação, mais dieta, mais peso na carteira, e ao mesmo tempo menos cerveja, menos sapatos, menos malas, menos momentos a sós, menos tempo com as amigas, mas definitivamente MAIS porque ser Mãe não subtrai, apenas soma. Soma amor mas também soma tarefas, soma carinhos e também preocupações. Soma noites sem dormir e também abracinhos que valem ouro. Soma desenhos e amu-te munto, até à loa. Soma tempo até a eternidade porque, uma vez Mãe, Mãe para sempre. 

# M de MAS, de METAFÍSICO e de MATERIAL

Outra coisa que o M de Mãe soma é o número de MAS na nossa vida. Seja para responder aos eternos mas daqueles seres de palmo e meio – que têm sempre um mas para cada situação ou comportamento questionado -, seja para os defendermos perante outros quando temos nos mesmos comportamentos que um dia já nos indignaram. Passa a ser um constante suspense verbal – ia adorar tomar café contigo mas….É preciso ter muito cuidado com este MAS, porque se não estivermos atentas ele passa do plano Metafísico para o plano Material, destruindo toda a vida social que trabalhamos para ter desde a faculdade.

# M de MOVIMENTO, de MULTIDÃO, de MULTIPLICAÇÃO e de MATEMÁTICA

Ser Mãe é um MOVIMENTO perpétuo, mesmo antes de vermos aqueles dois traços no teste, que nos deixou sentadas à espera de uma resposta que confirmasse o que já sabíamos. E sabíamos por quê? Porque andávamos cansadas e com um sono incrível. E por quê? Porque havia um movimento constante e frenético de células a Multiplicarem-se dentro de MIM. De repente no meu T1 habitava uma MULTIDÃO, que agora dorme na minha cama e que tenho de distribuir de manhã pelas escolas e à tarde pelas actividades. Desde então parece que pari a Lei da MULTIPLICAÇÃO. Tudo se multiplicou, das tarefas às nódoas na roupa, sem esquecer as reuniões (quer sejam idas  ao Centro de Saúde, Infantário ou eventos sociais, pelo menos a minha filha de 5 anos tem uma agenda mais intensa do que a Lili Caneças). Já a MATEMÁTICA ganhou um novo sentido porque a unidade parece ter ficado suspensa na ilusão da tabuada dos uns, que para mim começa agora no dois, ou no três dependendo do número de crias que tenho coladas a mim (isto quando consigo sair só com as minhas e não vem nenhum amigo colado ao engano). A tabuada do um não entra na Matemática Materna.

# M de MODESTIA, de MÉRITO e de MULTIFACETADA

Toda a Mãe se diz MODESTA, mas a verdade é que, modéstia à parte o mérito é meu – quando não é meu é da minha cria. A verdade é que, só por si, a palavra Mãe exclui a palavra Modéstia, porque ser Mãe já inclui um Mérito Honoris Causa que lhe permite ser aceite como: Médica de serviço, que com um beijinho e colinho cura todas as feridas; Modista das festas de Natal da escolinha, conseguindo feitos como vestidos de noiva em papel higiénico e fatos de super-heróis com material reciclado; Actriz da peça de teatro de fim de ano; Maquilhadora no espectáculo de ballet e, se for Mãe de um menino, a grande probabilidade de ser piloto ou jogar à defesa. Se tiver mais de um, passa grande parte do tempo como Magistrada das querelas fazendo da Paz a sua Missão.

# M de MULHER, de MUNDO e de MITO

Definitivamente para a maior parte das Mães o eme nunca vem só. Uma Mãe Moderna acredita que o M vem sempre com o prefixo de S: Super-Mulher, Super-Mãe. Porém, isso só acontece na banda desenhada da Marvel, porque até onde vai a minha experiência pessoal e profissional não há Mães perfeitas, Mulheres perfeitas, nem Mundos perfeitos. A Evolução da Humanidade é a prova disso. A Evolução da Humanidade mostra que Mãe que é Mãe erra sempre, mas que esse erro é fundamental para continuarmos a evoluir e a acreditar que podemos fazer MAIS e MELHOR quando formos Mães, e quando esse momento chegar ter como única certeza : vamos errar, mas vamos também acertar muito mais do que erramos, e erraremos sempre com a dúvida constante de termos feito o que achávamos ser o certo.

# M de METAMORFOSE

Por fim, a verdade única: ser Mãe é uma constante METAMORFOSE, em que as certezas de hoje são as mentiras de amanhã, e as dúvidas de agora serão as certezas sobre o nosso próximo alvo – a próxima amiga, Mãe de primeira viagem.

 

 

4 comments

  1. Fantástico! Mais um excelente artigo! Made by Lara Lima… who else? 😉

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.