CIDADE

Já foram ao novo museu de Coimbra? Aproveitem que para já é grátis e não tem fila

Mesmo ao pé da Universidade, junto ao novo Hotel Sapientia, abriu a Casa-Museu Elysio de Moura, antiga morada do célebre professor universitário, filantropo e médico.

Com apenas um pé já dentro do n.º 22 da Rua Doutor Guilherme Moreira, parece que já estamos a viajar várias décadas atrás no tempo ou, no mínimo, até a casa dos nossos avós. Papel de parede, naprons, bengalas, cartolas, cheiro a madeira e mármore, uma delícia para os sentidos de qualquer pessoa que se enterneça com o estilo vintage, mas sobretudo para quem goste de História e de boas estórias.

O Prof. Milton Pacheco é um dos responsáveis pelo projecto, e guiou-nos pela residência que faz parte do edifício-sede da Casa da Infância Dr. Elysio de Moura.

Desde a primeira divisão até ao último objecto, o historiador não se cansa de repetir que foi graças à preciosa ajuda de amigos e conhecidos do Dr. Elysio de Moura e da mulher, que foi possível reconstituir a residência onde moraram e contar os pormenores que lhe dão vida e sentido.  Fala do homem que se notabilizou no ensino e na investigação da Psiquiatria e Neurologia em Portugal, que no início da República contribuiu para a manutenção do ensino da Medicina na Universidade de Coimbra (UC), e a par disso se dedicou à fundação e direcção da casa de acolhimento de crianças desfavorecidas ainda hoje em funcionamento.

Natural de Braga, Elysio de Moura só tinha 15 anos quando se inscreveu em Matemática e Filosofia na UC, em 1892. Três anos depois tinha o Bacharel em Filosofia na mão e, só depois, cursou Medicina. O canudo está exposto na Casa-Museu, ao lado de inúmeras fotografias e outros registos. Corredor a corredor, divisão a divisão, a casa surpreende pela beleza, organização e vida que emana de cada peça. Só mesmo o estilo remete para o passado, porque está tudo impecavelmente mantido e restaurado, desde o botão de punho à escova de dentes pousada no lavatório da casa de banho.

O Dr. Elysio de Moura habitou aqui desde os finais dos anos 20 até 1977, explicou-nos Milton Pacheco enquanto passávamos do laboratório para a adorável cozinha e sala de costura com retratos de D. Celestina. Associámos a cada espaço da casa um momento biográfico, continuou. Segundo o historiador, fontes próximas dizem que o académico era uma pessoa muito pragmática na questão da educação das miúdas e muito cioso do seu espaço privado, por isso a maioria das visitas nem passavam da Sala dos Amendoins. 

A Sala dos Amendoins fica à entrada da casa e tem uns sofás especiais. Têm compartimentos e estavam sempre cheios de amendoins, figos e frutos secos que o Dr. Elysio gostava de dar às meninas. As protegidas mais novas da Casa da Infância tinham acesso livre a toda a residência.

Mas há muito para ver. O quarto, por exemplo, também dá a sensação de que o Dr. Elysio de Moura e a mulher lá dormiram na noite anterior. A bolsa de higiene na casa de banho ainda tem frascos intactos de pó talco, medicamentos e sabonetes.

A Casa-Museu foi inaugurada em Junho de 2018, no dia em que passavam 41 anos da morte de Elysio de Moura, em 1977, a poucos dias de completar 100 anos. É apenas uma pequena parte de um enorme projecto de recuperação do património do Dr. Elysio de Moura. A entrada é gratuita mas é preciso marcar.

 

CASA MUSEU ELYSIO DE MOURA
Rua Doutor Guilherme Moreira nº 22, Coimbra
Horário: 2ª, 3ª e 5ª feira das 10h – 13h e das 14h às 17h
Visitas por marcação
Contactos: cmelysiodemoura@gmail.com | 239 822 650
Facebook

*Artigo actualizado em Maio, 2019

 

 

 

 

   

 

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.