COOLTURA

A Trincheira Teatro vai declarar-se à Rua da Sofia e podemos todos assistir

Ninguém diria mas já tem quase 500 anos. Foi feita para que lá fosse instalada a Universidade de Coimbra, desenhada a partir do modelo da Sorbonne, em Paris. Hoje, à primeira vista, a Rua da Sofia é lugar de passagem, de algum comércio e restauração. Mas olhando melhor, com mais atenção, talvez mesmo por detrás das fachadas que rasgam a via central da cidade, pode haver muito mais. Nós apaixonámo-nos por ela. E o que levou a apaixonarmos-nos por ela foi virarmos os olhos para ela, só isso, diz Pedro Lamas.

O dramaturgo assina com João Paiva a direcção do espectáculo Sofia, Meu Amor!, que estreia no próximo Sábado, dia 30, e também participa como actor neste que é o primeiríssimo espectáculo da recém-criada Rede Artéria, o projecto de intervenção sócio-cultural que articula produção de conhecimento científico, com participação da comunidade e criação artística. Em Sofia, Meu Amor! o colectivo Trincheira Teatro junta episódios e estilhaços das vidas, públicas e privadas, reais e imaginadas, que o património da Rua da Sofia e zona envolvente alberga, albergou ou poderá albergar. Confuso? Nem por isso. Diferente? Sem dúvida.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O cartaz da espectáculo (em cima) é a imagem de um vaso com terra despedaçado no chão com uma flor que se mantém erguida. Porque é importante a forma, mas mais importante ainda é o conteúdo. Lamas explica: Sem terra não há vida e o vaso perde a função. O património só faz sentido enquanto existir vida.

A Trincheira – Associação Cultural e Recreativa apresenta Sofia, Meu Amor! à medida que percorre a via classificada pela UNESCO como Património Mundial no conjunto Universidade de Coimbra, Alta e Sofia. Foi aliás por desse facto que nasceu a vontade e o desafio de procurar uma nova relação entre os habitantes/ utilizadores do espaço e procurar que ajam em sua defesa, o valorizem e com isso melhorem a relação de autoestima. Demorou 2 anos a conceber, desde a investigação académica, com o apoio do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, passando pelo envolvimento da comunidade local, até à criação do espectáculo em si, coordenado pelo Teatrão (que também organiza isto lá na rua).

É uma tentativa de tornar visível este ouro que se esconde por detrás das fachadas dos edifícios, continua Pedro Lamas, para quem o panorama teatral de Coimbra (também) apaixona mais do que qualquer outro.  Aos actores da Trincheira juntam-se elementos das Classes de Teatro do Teatrão e do Curso de Artes do Espetáculo do Colégio São Teotônio, e está previsto um programa de actividades paralelas ao espectáculo que podem ver aqui. Há também a ideia de continuidade e até de itinerância, levar a rua a outras ruas, como se leva o amor.

Co-financiado pelo Centro 2020 – Programa Operacional Regional do Centro, o Artéria vai criar e fazer circular espetáculos em oito concelhos da Região Centro. Depois de Coimbra, o  Sofia, Meu Amor! vai ser apresentado na Guarda (Largo João de Deus, 7 de Julho), Ourém (Vila Medieval, 15 de julho) e Belmonte (Rua 1.º de Maio, 22 de julho).

Como é um espetáculo apresentado em percurso, e apesar de a entrada ser livre, a lotação é limitada por isso é preciso reservarem para o número 919 612 123.

 

Bom espectáculo!

 

30 JUNHO / 1 JULHO | 18H / 15H – 18H30 | SOFIA, MEU AMOR! 
Encontro no princípio da Rua da Sofia, Praça 8 de Maio, Coimbra
M/6
Entrada livre (mas sujeita a reserva obrigatória devido a limitações da lotação)
Reservas: 919 612 123

 

 

One comment

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.