FIT MIÚDOS

Pais, não se zanguem se não comermos a fruta depois do treino!

maria joao campos

MARIA JOÃO CAMPOS

Nutricionista

mjoaofields@gmail.com@gmail.com

Numa sociedade cada vez mais sedentária e cujas atrações para o que é “extra-escola” estão frequentemente associadas a atividades de sofá, estimular as crianças para atividades extracurriculares desportivas torna-se muito relevante.

É fundamental os pais perceberem que não é porque a criança pratica desporto todos os dias da semana que pode comer de tudo, nas quantidades que quer. Não! Os miúdos que se exercitam mais beneficiam muito de uma alimentação adaptada ao treino e à competição.

Mas desde tão pequenos e já com este tipo de linguagem? Pois é! Se incutirmos bons hábitos alimentares desde cedo, quando os virmos inseridos numa equipa em que as regras alimentares são iguais para todos, temos o trabalho facilitado.

Mas não é só este o benefício: é que não é tão pouco frequente quanto possam pensar, encontrar crianças com excesso de peso e obesidade que praticam desporto diariamente. Logo, a intervenção tem que ser efetuada para bem das crianças, da sua saúde e, por fim, da sua performance desportiva.

O que é que os filhos devem ingerir no pré-treino?

Claro que essa resposta varia com a hora do treino ou com a modalidade, mas imediatamente antes do treino podem e devem ingerir uma peça de fruta (qualquer? Sim, a que gostarem). Uma hora antes podem beber leite ou um iogurte e comer um pão, preferencialmente com queijo. Este lanche vai dar-lhes energia suficiente para o treino.

E quando sai do treino?

Então vejamos: se a criança jantar até 30-45 minutos mal termine o treino, pode apenas fazer esta refeição. Mas se com os banhos e a logística familiar esse tempo aumentar muito, deve beber ou um iogurte ou um leite com chocolate, mal termine o treino e até chegar a hora de jantar. Quando chega a casa, o jantar deve ser composto por: sopa, prato e preferencialmente fruta; mas se o seu filho já tiver ingerido três peças de fruta nesse dia (incluindo a pré-treino) pode negociar com ele e fornecer-lhe um iogurte como sobremesa (tornando-se um pouco francês) ou aumentar a porção de sopa, ou de hortícolas ou a salada no prato. Nesta refeição a fruta não é imprescindível, só o é se a criança não tiver ingerido as peças estipuladas.

Expliquem aos vossos filhos o porquê destas “negociatas” alimentares. Se as crianças são mais dominadas pelos pais, na puberdade a intervenção dos progenitores torna-se mais complexa. Mas não podemos desistir. Informar para permitir que errem menos é a nossa máxima.

Nesta idade, também podem começar a haver diferenças mais evidentes entre a alimentação de uma rapariga e de um rapaz. O nutricionista saberá ajudá-lo!

Ah, e como o dia ainda não acabou, se o seu filho estiver com vontade de comer antes de se deitar, o leite ou o iogurte são acertados para uma ceia saudável depois de um dia de treino.

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.