COOLTURA

Já ouviram ler teatro?

Há duas casas das artes conimbricenses unidas pela leitura teatral por estes dias. Entre o Teatro Académico Gil Vicente (TAGV) e o Teatro da Cerca de São Bernardo (TCSB), vão andar palavras soltas para ouvidos mais apurados ou, simplesmente, curiosos. Palavras saídas directamente da boca de quem as escreveu. Até Julho, o Ciclo Dramaturgos Portugueses Contemporâneos traz Miguel Castro Caldas, Cláudia Lucas Chéu e Jorge Palinhos à cidade.

 O Clube de Leitura Teatral apresenta-se como sendo de leituras informais, cada sessão dedicada a textos de um dramaturgo/escritor. É uma iniciativa coordenada por Ricardo Correia (TAGV) e por António Augusto Barros (Escola da Noite), com o objetivo de divulgar e promover a dramaturgia, e está aberta à participação de colectivos, associações e interessados na escrita para teatro.

15 MAIO | 18H30 | TEATRO DA CERCA DE SÃO BERNARDO
Cerca de S. Bernardo, Coimbra
Entrada Livre

Miguel Castro Caldas convida a leitura dos seus textos não costumo falar contigo e Terreno Selvagem. O dramaturgo escreve para a cena e para o papel, traduz e dá aulas de dramaturgia. Trabalhou em teatro com Bruno Bravo, Jorge Silva Melo, Gonçalo Waddington, António Simão, Tiago Rodrigues, entre outros. Tem textos publicados na colecção Livrinhos de Teatro dos Artistas Unidos, na editora Ambar, Douda Correria, Mariposa Azual, Culturgest, Primeiros Sintomas e revistas Artistas Unidos, Fatal e Blimunda. Traduziu Samuel Beckett, Harold Pinter, Ali Smith, William Maxwell, Joyce Carol Oates, Salman Rushdie, Senel Paz, entre outros. Foi intérprete em teatro, ópera e performance. Como encenador, trabalhou com estruturas como o Cão Solteiro, O Rumo do Fumo, Galeria ZDB, mala voadora, Nuno M Cardoso.

 

5 JUNHO | 18H30 | TEATRO DA CERCA DE SÃO BERNARDO
Cerca de S. Bernardo, Coimbra
Entrada Livre

Cláudia Lucas Chéu propõe a leitura dos textos Violência (2013) e Cassandra Bitter Tongue (2015). A dramaturga estreou-se na encenação no Teatro São Luiz com Poltrona – monólogo para uma mulher. Tem publicados os textos para teatro e poesia. Foi galardoada com o Emmy Award como elemento na equipa de argumentistas da telenovela Laços de Sangue. É co-fundadora do Teatro Nacional 21 e da Cama de Gato Edições.

 

3 JULHO |  18H30 | TEATRO ACADÉMICO GIL VICENTE
Praça da República, Rua Sá da Bandeira
Entrada Livre

 Jorge Palinhos tem escrito e trabalhado em teatro desde 2003. Várias peças da autoria do dramaturgo têm sido apresentadas e premiadas nacional e internacionalmente. Foi co-fundador da companhia Terra na Boca, onde coordenou os projetos Ar das Palavras e Teatro Imediato. Teve formação em dramaturgia com Guillermo Heras, Hans-Thiers Lehmann, Jean-Pierre Sarrazac, Mick Gordon, Michael Bradford, Andrea Thome, Jose Sanchis Sinisterra, entre outros. É editor da revista Drama, da Associação Portuguesa de Argumentistas e Dramaturgos, colaborador da Revista Nua e membro da comissão científica da revista Persona. Tem também colaborado com as publicações Sinais de Cena, Bang, P3, Grande Porto e Porto24. É ainda autor de guiões de curtas-metragens e de contos publicados em revistas e antologias. Atualmente é membro da direção da Plateia e está a desenvolver uma tese sobre dramaturgia contemporânea com bolsa da FCT.

 

Começa amanhã. Boas sessões!

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.