FESTIVAIS MIÚDOS

Agora é que não dá para resistir ao festival Bons Sons, e podem levar os miúdos

Já havia motivos de sobra para ir ao festival de música Bons Sons, mas se ainda não estavam convencidos, o cartaz acaba de ser divulgado, entre outras novidades. E atenção que os bilhetes são mais baratos se forem comprados com antecedência. Dead Combo, Mazgani, Sara Tavares, Sean Riley & The Slow Riders, Paus e Linda Martini são alguns dos nomes da música portuguesa que vão passar por Cem Soldos, em Tomar, entre 9 a 12 de Agosto. E esta é apenas a ponta do icebergue.

Para quem nunca foi, o Bons Sons é um festival feito literalmente numa aldeia. Há um palco numa igreja outro num coreto, por exemplo. Os comes e bebes são em cafés, restaurantes e residências de moradores locais, e a filosofia é ecológica e de respeito pela natureza. Por exemplo, os copos são “alugados”, ou seja, os festivaleiros compram-nos, utilizam, reutilizam, e no final do evento devolvem (ou não) e recebem o dinheiro de volta. As bandas em cartaz são todas nacionais, de estilos diferentes, há actividades para crianças e o ambiente é altamente ecléctico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pois bem, para os que já conhecem e confirmam tudo isto, este ano o festival foi aumentado e melhorado. Este ano há mais um palco, o palco Zeca Afonso, num anfiteatro natural com algumas oliveiras, e o palco Tarde ao Sol, na Igreja de São Sebastião, passa a prestar homenagem a Amália Rodrigues. É aí que vão actuar o exímio Norberto Lobo e o sobrinho de Zeca Afonso, João Afonso, por exemplo. O cartaz está todo aqui.

Vão ser quatro quentes dias de Agosto, rodeados de verde, com 45 atuações em oito palcos espalhados pela aldeia, transformada em festival de música. Outra novidade bastante prática serão os pagamentos cashless, ou seja, sem usar notas e moedas. A pulseira de acesso ao festival vai ter um chip recarregável e os festivaleiros passam a carregá-las à entrada, com o valor que pensam gastar, e a usá-las para pagar tudo dentro do recinto. A área de restauração também vai ser maior e com uma oferta mais diversificada. Quanto ao alojamento, a zona do campismo vai ser reforçada e oferece alternativas ao campismo tradicional. Quem não quiser levar tenda, pode alugar uma das que já estão montadas no recinto, disponíveis em vários tamanhos.

Paralelamente aos concertos, há actividades de manhã até ao final da tarde, como workshops e exibição de filmes.  Para os mais novos, há sessões musicais para crianças até aos 6 anos (acompanhadas pelos pais) às 10h e às 11h, e até uma sessão dedicada a grávidas para estimular, com sons e música, o desenvolvimento do bebé. Mais divertido ainda, a Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino (AEPGA) promove passeios de burro, aulas sobre os animais e disponibiliza uma Burroteca. Para os miúdos mais graúdos, dos 6 aos 12 anos, da parte da tarde há as oficinas de Orquestra Tradicional e Vem Tocar Baterias, para além dos Jogos do Helder, de inspiração medieval, feitos de madeira ou corda. No Espaço Criança também há actividades dirigidas aos mais novos directamente focadas na aprendizagem de boas práticas ambientais e na transmissão de conhecimentos relacionados com as funções da Natureza e do Clima e ciclos que as regulam.

É preciso dizer mais?

Os bilhetes estão á venda neste sítios. A primeira campanha já acabou, agora até ao final de Julho os passes para os 4 dias de festival custam 40€ e os bilhetes diários 20€, com campismo incluído. Em Agosto os passes passam a custar 45€ e o bilhete diário 22€. Crianças até aos 12 anos não pagam, mediante a apresentação de um documento de identificação válido.

2 comments

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.