ECO PASSEIOS

Socorro, uma vespa asiática!

INÊS TEIXEIRArsz_1rsz_1foto_perfil_inês_teixeira
Antropóloga e Ambientalista
ines.af@gmail.com

 

 

Coimbra é um dos sítios preferidos da Vespa Velutina. Mas calma! Em princípio só ataca se for atacada. Introduzida na Europa através do transporte de hortículas proveniente da China, a também conhecida por vespa asiática (Vespa Velutina Nigrithorax), tem conquistado terreno nacional, a uma velocidade maior do que o nosso equilíbrio ambiental suporta. Já foram detectados mais de 30 ninhos só na nossa cidade, muitos deles no Choupal, e muitos outros no meio da cidade e arredores. Sendo uma espécie invasora e predadora de abelhas e de outros insectos, a expansão no território pode trazer efeitos drásticos, essencialmente ao nível da polinização. Para além disso, apesar de não ser mais hostil do que as vespas autóctones, quando sente o ninho ameaçado pode ser bastante agressiva para o ser humano.

Como é que se distinguem das outras vespas? Para além das extremidades das patas serem amarelas, a Velutina (duas imagens de cima na foto em baixo) tem o tórax negro, o abdómen é mais escuro do que o das vespas autóctones (duas imagens de baixo na foto em baixo) e tem uma lista mais grossa amarela com um triângulo preto.

Collage_Fotor_vespas_!-1

O ninho da vespa asiática é redondo, ou em forma de pêra, e pode chegar a ter 1 metro de altura. Por norma, encontra-se no topo de árvores de grande porte.

O que fazer se virem uma, ou um ninho? Vão à página SOS Vespa e coloquem a localização na aplicação; contactem a SOS AMBIENTE (808 200 520) que eles informam sobre o procedimento a seguir; contactem a Câmara Municipal e preencham o anexo IV da Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa velutina em Portugal (a Junta de Freguesia pode ajudar).

Se possível, fotografem a vespa ou ninho para ajudar na identificação! Mas tenham cuidado e não destruam nem deixem destruir os ninhos, porque as vespas podem disseminar e formar novos ninhos. Os meios competentes tratarão do assunto.

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.