Este restaurante tem um menu terapêutico

Risoto de cebolinho e óleo de trufa

Começamos com um agradecimento: obrigada, Amadeu Carvalho, por arregaçar as mangas e abrir, em plena Baixa da cidade, o Armazém Vilaça. Fomos lá jantar e a experiência foi deliciosa - em todos os sentidos. Não vamos negar que estávamos com muita vontade de embarcar numa viagem pelos sentidos, no n.º 8 do Adro de Cima. 

Este edifício emblemático de Coimbra, que era o armazém da farmácia Vilaça (que continua a funcionar, na Rua Ferreira Borges), esteve fechado durante cerca de 40 anos e estava bastante degradado. Em 2017, reabriu como restaurante e tudo o que já tínhamos lido e ouvido era bastante promissor. 

O espaço tem umas portadas abertas para a rua e, do lado de fora, podemos espreitar o ambiente acolhedor da sala do r/c. A remodelação do restaurante preservou alguns elementos originais, como as escadas do armazém, reveladores da ocupação antiga.

No 1.º andar, pudemos visitar um pequeno museu que valoriza o espólio da antiga farmácia e que faz parte da história farmacêutica da cidade e do país - como um exemplar da primeira embalagem de Aspirina vendida em Portugal e umas caixinhas que parecem ser de fósforos mas que eram de preservativos, o que permitia aos cavalheiros da época alguma discrição quando faziam o seu pedido, na farmácia.

Todos os utensílios e ferramentas foram encontrados no próprio armazém e acabam por embelezar a zona do museu mas também as salas do restaurante. A ementa anuncia-se como um ensaio gastronómico e a proposta é de uma terapia para o comensal: há entradas Para desinfectar, pratos principais Para curar e sobremesas Para cicatrizar. As descrições dos pratos incluem vários nomes técnicos que estão explicados em nota de rodapé.

Para começar, as nossas opções recaíram sobre o risoto de cebolinho e óleo de trufa e o sashimi de robalo com oximel (molho agri-doce) de miso. Continuámos a nossa cura com o Beef de carne maturada com batata gratinada e pomo (puré) de beterraba e as Almofadinhas de vegetais crocantes e cogumelos. Os nossos estômagos já estavam recuperados de todas as dores de alma mas ainda houve espaço para dividirmos o remate final com o Éclair com polpa de morango.

Não queremos correr o risco de adjectivar a qualidade ou a criatividade dos pratos de autor que provámos porque não somos nenhum perito mas, cá para nós que ninguém nos ouve, estava tudo mesmo excepcional. O serviço foi tão rápido que, no final da refeição, até pedimos um chá, só para aproveitar mais um bocado do serão naquele lugar confortável. E se o espaço e a comida são cinco estrelas, temos de confessar que o serviço merece uma menção especial pelo profissionalismo e pela simpatia. A repetir.

Actualmente, o Armazém Vilaça tem menus a 9,5€ e, aos Domingos, menus variados de Brunch e Sunday Roast, a partir das 10h. Podem seguir no Instagram e Facebook

Texto e fotos: Joana Pires Araújo

Artigo actualizado às 11h de 6 de Agosto, 2020

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.