COOLTURA

Feminismo x 3

Três eventos, a mesma motivação e o mesmo propósito. O feminismo como tema,  e o esclarecimento e o engajamento como palavras de ordem.

Dia 18 de Abril, no Aqui Base TangoFeminismo: sim ou sim? Uma tertúlia direccionada aos jovens dos 16 aos 30 anos sobre o que é afinal ser feminista. A iniciativa é do Núcleo de Coimbra, integrado no vasto programa do projecto colaborativo Mulheres e Artes Os Dias das Mulheres – Do Internacional à Democracia. Desta vez a iniciativa conta com a associação e organização não governamental de defesa dos Direitos Humanos e Democracia Akto. No debate, aberto ao público, além de se esclarecer pretende-se descobrir, em conjunto, que passos podem ser dados no sentido de fazer com que a sociedade seja mais justa e igualitária.

No mesmo dia, pela 21h30, novo encontro público, desta vez no Café Santa Cruz. Feminismo para todos é o tema que vai estar em cima da mesa da Dra. Adriana Bebiano e a mestre Patrícia Alexandra Tavares Santos. Adriana Bebiano é investigadora do Centro de Estudos Sociais e Professora Auxiliar do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Os Estudos Feministas estão entre as actuais áreas de interesse. Entre outros, lecciona no doutoramento em Estudos Feministas (FLUC / CES), programa do qual é diretora. Despoletar um debate e esclarecimento de (pre) conceitos que envolvem o tema do Feminismo é o objectivo da conversa organizada pela Secção de Defesa dos Direitos Humanos e Associação Académica da Universidade de Coimbra, bem como permitir que se faça uma abordagem clara, livre de tabus ou receios de uma temática que diz respeito a toda a sociedade em geral.

Mulheres, do Corpo à Cidade

Dez dias depois, no teatro da Cerca de São Bernardo, é a vez de Mulheres, do Corpo à Cidade: Existências e Resistências. O projecto da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) pretende chegar a diferentes mulheres, moradoras da cidade de Coimbra, e perceber que significado atribuem à casa-comum que é Património da Humanidade, logo património de todas e todos. Propõem-se a entender como é que a casa-património se relaciona com a casa-corpo e a casa-comum de cada uma das mulheres. É através do olhar e das vozes de várias mulheres que irão promover a reflexão sobre os três conceitos de casa: casa-comum, casa-corpo e casa-património.

Historicamente, as cidades foram divididas em lugares “para homens” e lugares “para mulheres”, acabando os homens por ocupar o espaço público e as mulheres restringidas ao espaço privado: a casa. Esta casa-abrigo, sentida como protectora, que abriga e resguarda as mulheres e os seus corpos, torna-se demasiadas vezes um lugar fechado que reprime, oprime e aprisiona essas mesmas mulheres, os seus corpos e as suas vidas. O corpo é também uma casa, constituída por diferentes camadas. A relação que as mulheres estabelecem com o seu corpo-casa está intimamente ligada à forma como estas vivem e resistem nos espaços públicos e privados. A casa abarca um património material e imaterial, constitui um espaço fundamental das experiências socializantes e representa um lugar que envolve a vida privada e íntima daquelas e daqueles que a utilizam. 

A UMAR começou por ser União de Mulheres Antifascistas e Revolucionárias, até 1989. Hoje é associação de mulheres e Organização Não Governamental, representada no Conselho Consultivo da Comissão para a Igualdade e Direitos das Mulheres desde 1977. Nasceu da participação activa das mulheres com o 25 de Abril de 1974 e da necessidade sentida, por muitas delas, de criarem uma associação que lutasse pelos seus direitos, naquele novo contexto político. A UMAR é hoje uma associação que se reclama de um feminismo comprometido socialmente, empenhada em despertar a consciência feminista na sociedade portuguesa.

 

18 ABRIL | 18H30 | FEMINISMO: SIM OU SIM?
Aqui Base Tango – Rua Venâncio Rodrigues nº8, Coimbra
Entrada Gratuita

18 ABRIL | 21H30 | FEMINISMO PARA TODOS
Praça 8 de Maio Coimbra
Entrada Gratuita

28 ABRIL | 13H | MULHERES DO CORPO À CIDADE: EXISTÊNCIAS E RESISTÊNCIAS
Teatro da Cerca de São Bernardo
Entrada Gratuita

 

*Artigo actualizado dia 13/04 às 21h30

One comment

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.