COOLTURA

20º Festival Santos da Casa: programa completo de 15 noites em que não vão querer ficar em casa

O nome vem do programa de música portuguesa Santos da Casa, da Rádio Universidade de Coimbra (RUC); um programa que, há 26 anos, emite das 19 às 20h e que, entretanto, criou o próprio festival. O objectivo é o mesmo: dar a conhecer novas bandas e músicos à cidade. Este ano vão ser 13 + 2 documentários.

Cartaz Festival Santos da Casa

Para esta que é uma “redonda” 20.ª edição o Festival Santos da Casa que, em tempos, apresentou a Coimbra nomes como A Naifa, Paus, Capicua, Linda Martini ou Dead Combo, espalha muita e boa música por, pelo menos, 6 palcos da cidade, de 8 a 25 de Abril. Um é estreia total: a Vinharia da Sé, na Alta. O  alinhamento traz, podemos já dizer à partida, muitas vozes femininas. As entradas ou são livres ou custam a módica quantia de 5€.

Arrumámos aqui o programa das festas e juntámos um cheirinho em vídeo, de quase todos, para aguçar o apetite:

Concerto Dory & The Big Fish
Domingo, 8 de Abril às 17h00 na FNAC – Entrada Livre

A voz é de San de Palma, e a ela juntam-se alguns parceiros de outras aventuras, The Profilers e Os Lábios. Eurico Silvestre no baixo, Telmo Dias e Sérgio Franco nas guitarras, Luís Duarte (The Speeding Bullets, The Cynicals, Anaquim) nos teclados, e Sónia Cabrita (Little B, Viviane, Gaijas) na bateria. Os Dory & The Big Fish surgiram em 2014 com canções blues rock e depois de alguns concertos por toda a Península Ibérica preparam-se para, este ano, apresentarem um conjunto de canções gravadas em estúdio e produzidas por Pedro Vidal.

 

Concerto Claiana + Das Monstrvm
Segunda-feira, 9 de Abril às 19h00 no Corredor RUC – Entrada livre

O projecto Claiana nasceu há quase uma década no imaginário de Gui “Lee” Conceição, cujas influências vão desde Zouk e Michael Jackson a Bruce Lee. Das Monstrvm tem agido na sombra da editora portuense Favela Discos, actuando como participante e catalisador de vários projectos colectivos. Lançou em Julho de 2017  CID 9 e prepara-se para o próximo, que verá o abandono do computador para uma abordagem mais analógica da sua sonoridade obscura e mecanizada.

 

Documentário I Love My Label + Conversa  com Rui Portulez 
Quarta-feira, 11 Abril às 22h00 no Aqui Base Tango  – Entrada Livre

É o retrato da música independente em Portugal através de seis editoras independentes e com a paixão pela música como pano de fundo. Com testemunhos de nomes como Tó Trips, Samuel Úria, Luís Varatojo, B Fachada, Moullinex, Filho da Mãe, Da Chick ou Surma, passando por Torto, They’re Heading West ou Glockenwise, entre muitos outros, o documentário sobre a importância de Ser Independente vai do metal à electrónica, da pop ao rock, dos cantautores aos instrumentalistas.

 

Concerto Cavalheiro
Quinta-feira, 12 Abril às 22h00 na Tabacaria/Teatrão – Bilhete 5€

Tiago Ferreira é do Porto mas vive em Braga. Editou o primeiro EP homónimo em 2009, ano em que também se estreou ao vivo. Depois de Primeiro (LP, 2010), Farsas (EP, 2011), Ritmo Cruzeiro (EP, 2012), Trégua (EP, 2013) e Mar Morto (LP, 2015), o Cavalheiro encontra-se a apresentar e promover o novo LP Falsa Fé, editado em Fevereiro de 2018.

.

Concerto De Turquoise
Sexta-feira, 13 Abril às 19h no Corredor da RUC – Entrada livre

De Turquoise é uma construção íntima a solo de André Júlio Teixeira, onde o instrumento alfa é a guitarra e a voz sua fiel companheira. A viagem é o mote e o mundo a mira. Com uma formação e experiência profissional em música e teatro, Camomila é o mais recente EP do músico multi-instrumentista onde explora o potencial da simplicidade e elasticidade da guitarra e da voz, por vezes subtilmente modeladas com pedais de efeitos.

 

Concerto Lola Lola
Sábado, 14 de Abril às 22h00 no Salão Brazil – Bilhete 5€

Com raízes no Porto, os Lola Lola formaram-se em 2014, fruto da junção de um trio já muito experimentado nas lides musicais: Tiago Gil (Guitarra), Miguel Lourenço (Baixo) e Hélder Coelho (Bateria), todos ex-Os Tornados, ao qual se acrescentou um pujante sax barítono e a desconcertante voz de Carla Capela, conhecida da noite portuense como DJ Just Honey. Alimentados pelo universo musical das décadas de 50 e 60 e inspirados pelo R&B/Popcorn, 60´s Beat e Rock n Roll, os Lola Lola lançaram recentemente o double-sider Voodoo Man/VoodooWoman.

Concerto Sofar Sounds Coimbra Especial Festival Santos da Casa *
Domingo, 15 de Abril às 17h00 em locais a designar

O Sofar Sounds Coimbra leva o melhor da música emergente a espaços intimistas com 3 concertos secretos e acústicos. Na véspera revelamos o local e apenas no início do concerto são conhecidos os artistas. O evento é exclusivo e tem lotação limitada, por isso é melhor garantir lugar aqui. As inscrições fecham 1 semana antes do evento. A 15 de Abril há um momento especial em que o Sofar Sounds celebra com o Santos da Casa – RUC.

 

Documentário Fantasma Lusitano
Quarta-feira, 18 de Abril às 22h00 no Aqui Base Tango – Entrada livre

Fantasma Lusitano é um documentário sobre Jorge Bruto, figura icónica do rock’n’roll nacional. Foi a voz dos Emílio e a tribo do rum, é igualmente o único membro original dos Capitão Fantasma e tem ainda no cv os Bruto and the cannibals e os Club Sin. um filme realizador por David Francisco e Nuno Calado com o Selo Moopie e Antena 3.

 

Concerto Minta & The Brook Trout
Quinta-feira, 19 de Abril às 22h00 na Tabacaria/Teatrão – Bilhete 5€

Francisca Cortesão veste a pele de Minta há dez anos. Slow, lançado no início de 2016, é o terceiro disco da banda e sucede à estreia homónima de 2009 e a Olympia (2012) que foi relançado mais tarde em formato cassete pela Hope For The Tape Deck, de Filadélfia, nos EUA. A Song To Celebrate Our Love foi lançada também na compilação Novos Talentos FNAC. O projecto a solo transformou-se entretanto em banda, no coração da qual estão as canções sucintas de Francisca Cortesão e os arranjos minimais de Mariana Ricardo.

 

Concerto Monday
Sexta-feira, 20 de Abril às 22h00 na Tabacaria/Teatrão – Bilhete 5€

One é o nome do disco de estreia do projecto liderado por Cat Falcão – metade do duo folk Golden Slumbers. As 10 canções do disco foram escritas por Cat Falcão, muitas das quais durante um período entre discos de Golden Slumbers em que viveu em Londres. Já regressada a Lisboa, a produção foi assumida pelo multi-instrumentista António Vasconcelos Dias – colaborador de Benjamim e FLAK, entre muitos outros. Neste conjunto de canções, partindo das bases e influências folk da Cat, são exploradas novas sonoridades, mais eléctricas e, a espaços, experimentais.

Concerto Mathilda
Sabado, 21 de Abril às 19h00 na RUC – Entrada livre

Mafalda Costa é compositora, cantora e instrumentista e tem apenas 18 anos. Refugia-se no alter ego Mathilda para expor fragilidades, acompanhada ora por um ukulele, ora por uma guitarra eléctrica. Ao vivo, faz-se acompanhar por Diogo Alves Pinto, mais conhecido pela sua one-man band Gobi Bear, que desenvolve arranjos com percussões e guitarra. Em Novembro de 2017 lançou Lost Between Self Expression and Self Destruction e em Janeiro de 2018 foi finalista do Festival Termómetro.

Concerto NO!ON
Domingo, 22 de Abril às 19h no Corredor da RUC

Marco Pereira (TatsuMaki; NyX Kaos) e Márcio Alfama (Dead Men Talking, Vanished Into Nowhere) criaram os NO!ON em 2015, em Braga. A música da dupla absorve influências de estilos tão diversos como a eletrónica , o industrial e o experimental. Em 13 de outubro, lançaram o EP 7 com o single Assume My Hate. Em 2018 contam lançar o primeiro trabalho de longa duração, From 7 to 6.

 

Concerto Senhor Vulcão
Terça-feira, 23 de Abril às 22h00 na Vinharia da Sé – Entrada gratuita (cada um(a) dá o que entender)

Fundador e baterista dos extintos Atomic Bees, Senhor Vulcão reencontra-se com as canções longos anos depois. Em 2013 lançou o primeiro volume, Montanha, e em 2015 o seu segundo e terceiro volume, As canções do Bandido e As Flores do Bem, com os quais inicia a Tour do Paraíso, ainda em estrada. Em 2018, para comemorar uma década, edita um novo volume em formato de livro com cerca de 20 canções, com diversas colaborações tanto a nível musical como de imagem.

Concerto The Acoustic Foundation
Quarta-feira, 25 de Abril às 21h00 na FNAC – Entrada livre

Os TAF (The Acoustic Foundation) são considerados uma das novas referências do funk nacional. Mais do que uma banda, são um colectivo de formação aberta, de músicos e bailarinos de danças urbanas, que têm por missão fazer dançar. Funk, soul, pop ou, até, reggae são visitados nos originais da banda, que acaba de lançar Big Sculpture, álbum gravado em Portugal, mas trabalhado em Londres por Mo Hausler, engenheiro de som conhecido pelas colaborações com Björk, Lily Allen, One Direction, Icognito, Chaka Khan, Mika e muitos outros. O single de lançamento do álbum, Feed My Soul, foi adoptado por várias rádios nacionais.

 

 

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.