COMPRAS

Saem 10 leituras quentinhas em português

Hoje é o Dia do Livro Português.

Foi criado pela Sociedade Portuguesa de Autores,  a cooperativa que há mais de 90 anos representa e zela pelos direitos dos autores portugueses. Porquê 26 de Março? Porque foi neste dia que há 531 anos se imprimiu o primeiro livro em Portugal. Chama-se “Pentateuco” e estava escrito em hebraico. Na verdade, o primeiro livro escrito em português chama-se  “Constituições que fez o Senhor Dom Diogo de Sousa, Bispo do Porto” e só foi à estampa dez anos depois.

A Coolectiva foi espreitar a algumas livrarias as mais recentes edições e reedições de obras que vale a pena conhecer. Entre elas estão duas da escritora, poetisa e política Natália Correia, pela editora Ponto de Fuga; e um clássico do incontornável Eça de Queiroz.

"Entre a Raíz e a Utopia - Escritos sobre António Sérgio e o Cooperativismo"       "Descobri que Era Europeia - Impressões duma Viagem à América"        "A Ilustre Casa de Ramires"

Também novidades na poesia, Alice Vieira com uma obra inspirada num verso de Ruy Belo; e duas gerações de romancistas – José Saramago, uma obra póstuma que reúne crónicas publicadas pelo Nobel da Literatura no jornal A Capital; e João Tordo que lança já o décimo primeiro romance.

"Olha-me Como Quem Chove"       "A Bagagem do Viajante"        "Ensina-me a Voar Sobre os Telhados"

Dentro da não-ficção destacamos a primeira investigação sobre violência sexual em Portugal de Isabel Ventura; uma biografia do chefe da polícia secreta russa do jornalista e comentador de política externa José Milhazes; e a selecção de textos representativos do pensamento do Padre António Vieira sobre a escravatura organizada por José Eduardo Franco, Pedro Calafate e Ricardo Ventura.

"Medusa no Palácio da Justiça ou Uma História da Violação Sexual"       "Lavrenti Béria, o Carrasco ao Serviço de Estaline"      "Cada Um É da Cor do Seu Coração — Negros, Ameríndios e a Questão da Escravatura em Vieira"

Para os mais novos, fresquinho acaba de sair o segundo livro infantil de Rui Guedes com ilustrações de Sameiro Sequeira.

"Ao Fundo da Minha Rua"

 

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.